Tecnologia Titulo
Black Women in Tech: Microsoft abre 50 vagas para quarta turma do programa
Da Redação, com assessoria
Do 33Giga
25/08/2022 | 13:55
Compartilhar notícia


A Microsoft e WoMakersCode, comunidade global criada no Brasil com o objetivo de promover capacitação, empoderamento e protagonismo feminino na tecnologia, abrem inscrições para a quarta turma do Black Women in Tech, programa de treinamento com foco na formação de mulheres pretas e pardas, cis ou transgênero. São 50 vagas para o curso que conta com mentorias gratuitas, focadas em tecnologia e nas certificações técnicas em Fundamentos do Microsoft Azure (AZ-900). Elas também receberão um voucher ao final do curso para tirar a certificação oficial da Microsoft.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

A iniciativa tem como objetivo ampliar a igualdade de gênero e racial no segmento, contribuindo para diminuir a escassez de profissionais especializados em tecnologia. As interessadas devem se inscrever no site da WoMakersCode até 30 de agosto. As aulas terão início em 12 de setembro.

O critério prévio para a seleção das candidatas do Black Women in Tech é ter mais de 18 anos, se autodeclarar preta ou parda, que já tenham algum contato com tecnologia – seja curso técnico, graduação (concluída ou não) ou estudo por conta própria – e ter a disponibilidade para poder dedicar-se de 12 de setembro a 10 de dezembro, das 18h às 19h, conforme o cronograma que será compartilhado com as selecionadas, além de possuir computador ou notebook e acesso à internet.

Leia mais:
“Precisamos de iniciativas para melhorar presença feminina no mercado”, diz COO da Gama Academy
40 canais no YouTube para entender o empoderamento feminino
Conheça as executivas mais poderosas da tecnologia




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;