Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sem três, oposição prega unidade

Vereadores contrários ao governo Marinho insistem para emplacar a CPI dos Uniformes em São Bernardo


Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

19/02/2014 | 06:54


Contestado por não assinar o pedido de CPI dos Uniformes na semana passada, o vereador Hiroyuki Minami (PSDB) não participou da reunião da bancada de oposição na Câmara de São Bernardo realizada ontem, para mostrar que o bloco está unido para instaurar o pedido de investigação. Osvaldo Camargo e Estevão Camolesi (ambos do PPS) também não compareceram.

Minami se recusou a assinar o documento, encabeçado por Julinho Fuzari (PPS), alegando que a compra dos kits escolares está sendo investigada pelo Ministério Público, e que a ação não deveria ser feita de maneira isolada pelo popular-socialista, que posteriormente buscou adesões.

Ontem, Pery Cartola (Solidariedade), Juarez Tudo Azul (PSDB), Julinho Fuzari, Marcelo Lima e Manuel Pereira da Silva (ambos do PPS) rechaçaram qualquer clima de inimizade entre os oito vereadores contrários ao governo do prefeito Luiz Marinho (PT).
“Esse pedido de CPI é o mesmo que foi apresentado ano passado”, disse Julinho.

Líder do PSDB, Juarez Tudo Azul alegou que na primeira vez que Julinho Fuzari passou recolhendo as assinaturas, ainda havia dúvidas sobre o caso. “Agora, o Ministério Público concluiu que houve irregularidades (desvio de R$ 3 milhões na compra dos uniformes). É claro que a decisão de assinar a CPI cabe ao Minami, mas acredito que ele vá aderir.”
A justificativa para a ausência do tucano é que ele já tinha um compromisso agendado ontem.

Os oposicionistas vão tentar colher novamente as dez assinaturas para instaurar o pedido de averiguação na sessão de hoje. Esta será a quarta vez que a oposição tentará emplacar a CPI dos Uniformes.

Cientes da dificuldade para convencer os governistas, eles vão recorrer à mobilização popular e às redes sociais para conseguir as duas rubricas que faltam.

“O cidadão terá um papel fundamental a partir de agora, cobrando o seu vereador para que possamos aprofundar a análise sobre esse escândalo”, disse Pery.
Segundo Marcelo Lima, o objetivo da CPI neste momento é apurar o envolvimento de funcionários da Prefeitura no esquema. “Esse assunto não pode cair no esquecimento”, disse Lima.

O bloco oposicionista considerou que outras reuniões serão realizadas sempre que houver a necessidade de se debruçar sobre temas polêmicos do Legislativo.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;