Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa fecham em alta, acompanhando NY, após PIB dos EUA e ata do Fed



26/05/2022 | 13:50


As bolsas europeias fecharam em alta robusta nesta quinta-feira, 26, ampliando os ganhos da quarta-feira. Os mercados no Velho Continente seguiram a tendência de Wall Street, após a ata da última reunião monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) confirmar as expectativas de investidores quanto ao aperto monetário nos EUA. A leitura do documento foi reforçada pela contração do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no primeiro trimestre, segundo revisão divulgada nesta quinta.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão em alta de 0,78%, aos 437,71 pontos.

O bom humor nas praças europeias refletiu o movimento das bolsas nova-iorquinas na quarta, pós ata do Fed, e nas primeiras horas do pregão desta quinta em Wall Street, que reagiu à queda anualizada de 1,5% do PIB americano no primeiro trimestre.

Segundo a Oxford Economics, a leitura mostra que os risco de uma recessão nos EUA estão aumentando. Para o mercado em geral, o dado reforça a percepção de que o Fed vai apertar sua política monetária gradualmente.

"O Fed se comprometeu a fazer dois aumentos de taxa de juros de meio ponto porcentual antes do Simpósio em Jackson Hole, e isso eliminou o risco de um aperto agressivo de curto prazo", diz o analista da Oanda Edward Moya.

Entre os principais mercados europeus nesta quinta, o índice DAX, da bolsa de Frankfurt, fechou em alta de 1,59%, aos 14.231,29 pontos, enquanto o parisiense CAC 40 avançou 1,78%, aos 6.410,58 pontos.

Já o índice londrino FTSE 100 subiu menos, em alta de 0,56%, aos 7.564,92 pontos.

Segundo a Capital Economics, o mercado acionário britânico não deve superar o momento negativo recente antes de meados de 2023, mesmo se a economia do Reino Unido evitar uma recessão. A consultoria espera que o FTSE 100 caia para cerca de 6,8 mil pontos até o período citado, prejudicado pela alta inflação, desaceleração econômica e aperto monetário pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês).

Não só o BC inglês deve seguir com seu aperto, como também o Banco Central Europeu (BCE) deve iniciar seu próprio ciclo de retirada de estímulos, de acordo com a Capital. A casa prevê alta de 50 pontos-base do juro em julho.

Entre outros mercados europeus, o FTSE MIB, de Milão, avançou 1,22%, aos 24.54650 pontos. Nas praças ibéricas, o madrilenho IBEX 35 teve alta de 1,47%, aos 8.888,80 pontos, e o lisboeta PSI 20 fechou com ganhos de 1,95%, aos 6.305,14 pontos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;