Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Maioria das cidades da região não seguirá Plano SP

Celso Luiz/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Estabelecimentos não essenciais poderão funcionar das 6h à 0h, com 80% de sua capacidade nos municípios que manterão restrições


Daniel Tossato

12/08/2021 | 12:31


Atualizada às 18h26

Após assembleia realizada no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, na manhã desta quinta-feira, as cidades de Santo André, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra decidiram que não vão seguir Plano SP depois do dia 17 de agosto, quando não haverá mais restrições de horários e capacidade de ocupação e prestação de serviços, determinado pelo Estado de São Paulo.

Durante o encontro ficou definido que Santo André, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra vão manter capacidade limitada em 80% de estabelecimentos e horário de funcionamento das 6h até 0h. Já São Bernardo deve manter as atividades econômicas das 6h Às 22h, com tolerância até 23h, e capacidade de 60%. Já a Prefeitura de São Caetano decidiu por seguir o Plano SP e retirará as restrições já após o dia 17 de agosto.

Conforme o prefeito de Santo André e presidente do Consórcio, Paulo Serra (PSDB), os municípios da região fecharam questão em não acompanhar o Plano SP. 

"As cidades não seguirão, em sua integralidade, a flexibilização do dia 17 (de agosto). A gente tem preferido, por precaução, ainda fazer essa reabertura de forma gradual e vamos manter, na grande maioria das cidades, 80% de ocupação (dos estabelecimentos) e horário até a 0h. Uma ou outra cidade também seguiu o mesmo conceito, umas mais restritiva, outras menos, mas de uma forma geral o Grande ABC não vao evoluir no dia 17. Até por precaução com a variante delta, que está muito presente aí em todos os estudos e por conta da vacinação, que vai bem aqui na região, mas para a gente dar um tempo para a vacina ter sua eficácia. A gente sabe que são 15 dias (para a vacina realizar imunização)", declarou o presidente do Consórcio Intermuicipal, Paulo Serra.

A Prefeitura de São Bernardo informou, após a reunião em nota, que também prorrogou até o dia 31 de agosto o decreto municipal 21.664/2021, que trata da Fase de Transição do Plano São Paulo. Desta forma, estão mantidas as atuais regras de funcionamento das atividades econômicas no município, das 6h às 22h, com tolerância de uma hora, ou seja, até as 23h, e capacidade máxima de ocupação de 60%. A medida será publicada no jornal Notícias do Município amanhã.

Mais cesdo, representante da prefeitura de São Caetano, o chefe de Gabinete do prefeito Tite Campanella (Cidadania), Bruno Vassari, declarou eu se reuniria com o chefe do Executivo ainda hoje para deliberar sobre a decisão tomada no Consórcio. O Palácio da Cerâmica, entretanto, adiantou que pretendia seguir o Governo do Estado.

Conforme o secretário Executivo do Consórcio, Acácio Miranda, os prefeitos que decidiram não seguir o Plano SP entendem que ainda é preciso tomar ações relacionadas à saúde pública devido pandemia do novo coronavírus.

“Os prefeitos entenderam que a manutenção da saúde pública ainda é primordial, então a decisão foi tomada nesse sentido. A pandemia não acabou, por isso tomaram essa decisão, para lembrar a população que ainda estamos em meio a uma crise sanitária”, declarou o secretário.

Ainda segundo Miranda, os prefeitos deverão se reunir novamente no final de agosto quando deliberarão, mais uma vez, sobre se manterão restrições ou se adotarão modelo do Plano SP.

OFÍCIO

Além de seis prefeituras da região fecharem questão sobre não seguir o Plano SP, as administrações também aprovaram a elaboração de um ofício, enviado para a Capital, com pedido para que a cidade de São Paulo também mantenha restrições mesmo após o dia 17 de agosto. O documento deverá ser enviado na próxima terça-feira.

Os prefeitos da região entendem que ainda devem manter preocupação com a variante delta da Covid-19 e que não adiantaria a região manter restrição enquanto a Capital, que mantém diversos pontos de fronteira com as cidades do Grande ABC, retirar todas as defesas sanitária no município.

Conforme nota do Consórcio, o objetivo do pedido à Capital, além de evitar o trânsito da variante, é aguardar a ampliação da cobertura de vacinação.

“O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC oficializa, nesta terça-feira, ao prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, pedido para que a Capital siga o Grande ABC na manutenção das restrições de horários e capacidade de ocupação das atividades de comércio e prestação de serviços. O pleito foi deliberado em assembleia do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, realizada por videoconferência”, sustentou o documento.

O presidente do Consórcio, Paulo Serra, sustenta que os prefeitos do Grande ABC entendem que ainda não é o momento de liberar todos os horários para o comércio e serviços e autorizar 100% da ocupação dos estabelecimentos. “ A ideia é contar com o apoio da Capital, considerando sua proximidade com a nossa região”, declaro o mandatário do colegiado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;