Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 16 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Suposto pai biológico de filha adotiva de Agnaldo Timóteo tenta reaproximação depois de saber sobre o testamento do cantor

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/05/2021 | 10:10


O testamento deixado por Agnaldo Timóteo, que morreu vítima da Covid-19, está criando polêmicas na família do cantor. Segundo o jornal Extra, o suposto pai biológico da filha de Agnaldo está tentando se reaproximar da menina após saber que ela tem direito a 50% da herança do pai adotivo, avaliada em 16 milhões de reais. A outra metade foi deixada para quatro membros da família.

Agnaldo criou Keyty Evelyn por 12 anos, e agora, Lazarus, nigeriano que mora em São Paulo, tenta contato com a menina - que está sob tutela do advogado do cantor, Sidney Lobo Pedroso. Essa foi uma vontade de Agnaldo, que deixou o pedido no testamento que fez um mês antes de morrer.

No documento, há uma cláusula que afirma que Keyty só poderá se desfazer de algum bem da herança quando completar 40 anos de idade. Alguns dos bens são uma casa na Barra da Tijuca, onde ele morava com Keyty e que agora está fechada, um apartamento em Vila Valqueire, uma sala comercial em Copacabana, um imóvel em São Paulo, alguns carros e direitos autorais.

O cantor conheceu Keyty em 2008, quando ainda era vereador. A menina tinha dois anos de idade e a mãe, moradora de rua, procurou ajuda no gabinete dele. Agnaldo acabou alugando um local para mãe e filha morarem, no entanto, a mãe tem problemas mentais e voltou para a rua com a menina. A avó de Keyty acabou conseguindo a guarda da neta, que foi passada de forma informal para o cantor. Ele chegou a iniciar o processo de adoção da menina antes de morrer, como conta o sobrinho do cantor, Timotinho:

- Quando ele teve o AVC, em 2019, ele já estava com isso na cabeça de oficializar a adoção dela. Quando ele foi internado, a família dele dificultou muitas coisas para a menina, e eu tive que cuidar dela. Ela era a paixão dele. Ele cuidava muito bem dela e não queria deixá-la desamparada.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;