Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Idosos com 64 anos serão vacinados a partir de sexta

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Calendário foi divulgado pelo governo do Estado, mas depende da programação e do estoque dos municípios


Anderson Fattori
do Diário do Grande ABC

21/04/2021 | 00:01


O governo do Estado divulgou ontem datas dos próximos grupos que serão incluídos na campanha de vacinação contra a Covid. Idosos com 64 anos serão imunizados a partir de sexta-feira e as pessoas com 63 anos, no dia 29 de abril, logo depois, dia 6 de maio, será a vez do público entre 60 e 62 anos. A estimativa é vacinar 2,24 milhões de pessoas neste grupo. 

Assim que terminar a fase por idades começa a vacinação das comorbidades e de determinadas categorias, como pessoas com síndrome de Down, pacientes renais em tratamento de diálise (terapia renal substitutiva), transplantados em uso de imunossupressores – nestes três grupos serão vacinadas pessoas de 18 a 59 anos –, além de trabalhadores do Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), da área de segurança, manutenção, limpeza e agentes de estação na linha de frente com 47 anos ou mais, além de operadores de trem de todas as idades.

O cumprimento do calendário depende de produções de novas doses por parte do Butantan (Coronavac) e da Fiocruz (Covishield). Os municípios ainda têm autonomia para antecipar os grupos, de acordo com o estoque disponível. “Estamos esperando mais vacinas. Há sinalização do Ministério da Saúde, mas contamos que a Fiocruz entregará as suas vacinas e, portanto, estaremos cumprindo esse cronograma”, afirmou Regiane de Paula, coordenadora geral do PEI (Programa Estadual de Imunização).

BUTANVAC

Diretor do Butantan, Dimas Covas afirmou ontem que espera ser “rapidamente deferida” aprovação dos estudos clínicos da Butanvac pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). De acordo com Covas, foi finalizado nesta semana o protocolo de estudos clínicos da vacina. Para o diretor, é esperado que esse passo aconteça de maneira mais rápida, já que, segundo ele, “as dúvidas já estavam sendo discutidas com a Anvisa previamente” e a expectativa é que a produção inicial do imunizante seja em maio. 

Anvisa libera coquetel contra a Covid para pessoas do grupo de risco
(do Estadão Conteúdo)

Por unanimidade, a diretoria colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deliberou ontem pela autorização temporária do uso do coquetel Regen-Cov2 no tratamento de pacientes com Covid. 

Liberado em caráter experimental, o tratamento reúne os medicamentos casirivimabe e imdevimabe (cujos nomes originais são, respectivamente, casirivimab e imdevimab) e é destinado a casos leves e moderados com resultado positivo para coronavírus de pacientes do grupo de risco e que não precisem de suplementação de oxigênio.

O uso será restrito a hospitais, com venda proibida no comércio. Este é o segundo tratamento para a doença liberado para uso emergencial no País, após a aprovação do remdesivir em março. O coquetel é usado nos Estados Unidos desde novembro, tendo sido um dos utilizados por Donald Trump.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Idosos com 64 anos serão vacinados a partir de sexta

Calendário foi divulgado pelo governo do Estado, mas depende da programação e do estoque dos municípios

Anderson Fattori
do Diário do Grande ABC

21/04/2021 | 00:01


O governo do Estado divulgou ontem datas dos próximos grupos que serão incluídos na campanha de vacinação contra a Covid. Idosos com 64 anos serão imunizados a partir de sexta-feira e as pessoas com 63 anos, no dia 29 de abril, logo depois, dia 6 de maio, será a vez do público entre 60 e 62 anos. A estimativa é vacinar 2,24 milhões de pessoas neste grupo. 

Assim que terminar a fase por idades começa a vacinação das comorbidades e de determinadas categorias, como pessoas com síndrome de Down, pacientes renais em tratamento de diálise (terapia renal substitutiva), transplantados em uso de imunossupressores – nestes três grupos serão vacinadas pessoas de 18 a 59 anos –, além de trabalhadores do Metrô e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), da área de segurança, manutenção, limpeza e agentes de estação na linha de frente com 47 anos ou mais, além de operadores de trem de todas as idades.

O cumprimento do calendário depende de produções de novas doses por parte do Butantan (Coronavac) e da Fiocruz (Covishield). Os municípios ainda têm autonomia para antecipar os grupos, de acordo com o estoque disponível. “Estamos esperando mais vacinas. Há sinalização do Ministério da Saúde, mas contamos que a Fiocruz entregará as suas vacinas e, portanto, estaremos cumprindo esse cronograma”, afirmou Regiane de Paula, coordenadora geral do PEI (Programa Estadual de Imunização).

BUTANVAC

Diretor do Butantan, Dimas Covas afirmou ontem que espera ser “rapidamente deferida” aprovação dos estudos clínicos da Butanvac pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). De acordo com Covas, foi finalizado nesta semana o protocolo de estudos clínicos da vacina. Para o diretor, é esperado que esse passo aconteça de maneira mais rápida, já que, segundo ele, “as dúvidas já estavam sendo discutidas com a Anvisa previamente” e a expectativa é que a produção inicial do imunizante seja em maio. 

Anvisa libera coquetel contra a Covid para pessoas do grupo de risco
(do Estadão Conteúdo)

Por unanimidade, a diretoria colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deliberou ontem pela autorização temporária do uso do coquetel Regen-Cov2 no tratamento de pacientes com Covid. 

Liberado em caráter experimental, o tratamento reúne os medicamentos casirivimabe e imdevimabe (cujos nomes originais são, respectivamente, casirivimab e imdevimab) e é destinado a casos leves e moderados com resultado positivo para coronavírus de pacientes do grupo de risco e que não precisem de suplementação de oxigênio.

O uso será restrito a hospitais, com venda proibida no comércio. Este é o segundo tratamento para a doença liberado para uso emergencial no País, após a aprovação do remdesivir em março. O coquetel é usado nos Estados Unidos desde novembro, tendo sido um dos utilizados por Donald Trump.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;