Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Grande ABC e os antecedentes do golpe

A industrializada região nos meses que antecederam a chegada dos militares ao poder organizava-se socialmente e Santo André era o centro das atenções


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

26/01/2021 | 07:00


COMUNICAÇÃO
O caso dos sete prefeitos em uma só gestão no início da década de 1960 em Santo André foi um dos destaques locais da época. Ganhava projeção pela força que a região obtinha, inclusive na área das comunicações. News Seller se destacava como jornal impresso semanalmente, até se transformar no Diário do Grande ABC de hoje.
No campo radiofônico, as quatro emissoras pioneiras eram disputadas também pelas posições políticas. Ecoavam e influenciavam: ABC e Clube de Santo André, Independência de São Bernardo e Cacique de São Caetano.

Católicos x comunistas.
Brandão e o apoio da esquerda.
Capuava: encampação e demissões.

401 – Em julho de 1963 era realizado, em Santo André, o 26º Congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes), que elegia José Serra presidente – ele mesmo, o atual senador. O pôster daquele congresso da UNE é formado por três fotos: uma representa a educação; outra, o trabalho metalúrgico; e a terceira, o trabalho agrícola.
402 – Em agosto de 1963, o presidente da República, João Goulart, visita a região. Discursa em três lugares. Declara: “Eu confio na recuperação do Brasil. Não receio nem ‘agostados’, nem ‘setembrinas’ ou ‘setembradas’”. Jango referia-se aos problemas políticos coincidentemente registrados em agosto, mês da morte de Getúlio Vagas e da renúncia de Jânio Quadros, os tais “agostados”.
403 – Em outubro de 1963, a realização da eleição municipal 27 na história do Grande ABC. De um lado, o manifesto das congregações católicas de Santo André, anticomunista e de apoio ao candidato a prefeito Lauro Gomes. De outro lado, o monsenhor José Antunes, diretor da Federação das Congregações Marianas da Diocese de Santo André, declarando não haver restrição alguma aos dois candidatos à Prefeitura.
404 – Concorrendo com Lauro Gomes estava o médico Newton da Costa Brandão, apoiado pelos sindicatos dos trabalhadores.
405 – Lauro Gomes ganharia a eleição e seria cassado, caso não morresse antes. Brandão, o perdedor de 1963, seria prefeito três vezes de Santo André, vestindo a camisa da Arena (partido de sustentação do regime) e, depois, do PTB trabalhista, herança de Getúlio.
406 – Em 28 de outubro de 1963 foi declarada a primeira grande greve dos trabalhadores da Refinaria União, em Capuava, a chamada “Greve da Encampação”, que perdura por 17 dias. A produção não é paralisada: 154 empregados que não aderiram à greve conseguem manter a refinaria em funcionamento.
407 – Não parar a produção rendeu louvores aos que não aderiram à greve. E rendeu demissão às lideranças grevistas: 51 petroleiros vão para a rua.
408 – O presidente João Goulart encampa a refinaria. Recoloca os trabalhadores em outros postos da Petrobras. Os militares derrubam a estatização. E demitem os 51 grevistas de Capuava.
409 – Anos depois, em 1974, ainda no regime militar, a Refinaria de Capuava é incorporada ao sistema Petrobras, onde permanece.
410 – E não deu outra: João Cara Valentim telefona do Rio de Janeiro atendendo a apelo desta página Memória. Confirma todas as informações aqui relatadas sobre os sete prefeitos da gestão andreense de 1960 a 1963. Fala de Lauro Gomes, que irritou o sexto prefeito, Clovis Thon, “assumindo” o seu gabinete antes de tomar posse oficialmente, o que levou Thon a repassar o cargo a Valentim (o sétimo prefeito). O que influiu decisivamente na renúncia de Thon foi uma ordem de Lauro Gomes considerada fora de propósito. Não temos autorização de Valentim para divulgar que ordem foi aquela. Mas João Cara Valentim promete vir a Santo André tão logo seja eliminado o problema da pandemia. E então muita coisa ligada à história política da região será revelada por aquele que é “o último dos moicanos”.

Diário há meio século
Terça-feira, 26 de janeiro de 1971 – ano 13, edição 1444
Manchete – Cai líder africano. General Idi Amin derruba o presidente Milton Obote e toma o poder em Kampala, Uganda
Basquete Feminino – Começa o torneio juvenil em São Bernardo: São Paulo 67, Rio Grande do Sul 36; Guanabara 43, Brasília 36.

Em 26 de janeiro de...
1916 – O inspetor Mauricio de Camargo tem proferido palestras no Grupo Escolar de Santo André. Tema: ensino público. Participam professores das várias escolas do Grande ABC – então município de São Bernardo.
- Durante a I Guerra Mundial é destruída catedral de Nieuport, na Bélgica.
1921 – Belmira de Lima falece em Santo André. Era mulher de Manuel J. de Lima, coletor de rendas estaduais do município e integrante do diretório político local. Foi sepultada no cemitério de São Bernardo, hoje da Vila Euclides, na presença do senador Flaquer, do prefeito Saladino, do coronel Oliveira Lima, entre outras autoridades. Seu corpo foi encomendado na Matriz de São Bernardo, em cerimônia presidida pelo padre Francisco Navarro.
1931 – Município de São Vicente é anexado ao município de Santos.

Município Paulista
- Hoje é o aniversário de Santos. O povoado tem sua origem relacionada com a chegada dos primeiros colonizadores portugueses, na expedição de Martim Afonso de Souza. O povoado foi elevado à vila em 1545.

Santos do Dia
- Tito.
- Timóteo.
- Paula Romano (Roma, 347 – Belém, 404). Ela se tornou o exemplo na oração, penitência e caridade, executando os serviços mais humildes e atendendo os pobres e doentes. Para estes, ela dispôs de todos os seus bens e sua vida. Patrocinou, inclusive, muitos religiosos, especialmente Jerônimo, que graças a Paula pôde completar sua grandiosa obra. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC e os antecedentes do golpe

A industrializada região nos meses que antecederam a chegada dos militares ao poder organizava-se socialmente e Santo André era o centro das atenções

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

26/01/2021 | 07:00


COMUNICAÇÃO
O caso dos sete prefeitos em uma só gestão no início da década de 1960 em Santo André foi um dos destaques locais da época. Ganhava projeção pela força que a região obtinha, inclusive na área das comunicações. News Seller se destacava como jornal impresso semanalmente, até se transformar no Diário do Grande ABC de hoje.
No campo radiofônico, as quatro emissoras pioneiras eram disputadas também pelas posições políticas. Ecoavam e influenciavam: ABC e Clube de Santo André, Independência de São Bernardo e Cacique de São Caetano.

Católicos x comunistas.
Brandão e o apoio da esquerda.
Capuava: encampação e demissões.

401 – Em julho de 1963 era realizado, em Santo André, o 26º Congresso da UNE (União Nacional dos Estudantes), que elegia José Serra presidente – ele mesmo, o atual senador. O pôster daquele congresso da UNE é formado por três fotos: uma representa a educação; outra, o trabalho metalúrgico; e a terceira, o trabalho agrícola.
402 – Em agosto de 1963, o presidente da República, João Goulart, visita a região. Discursa em três lugares. Declara: “Eu confio na recuperação do Brasil. Não receio nem ‘agostados’, nem ‘setembrinas’ ou ‘setembradas’”. Jango referia-se aos problemas políticos coincidentemente registrados em agosto, mês da morte de Getúlio Vagas e da renúncia de Jânio Quadros, os tais “agostados”.
403 – Em outubro de 1963, a realização da eleição municipal 27 na história do Grande ABC. De um lado, o manifesto das congregações católicas de Santo André, anticomunista e de apoio ao candidato a prefeito Lauro Gomes. De outro lado, o monsenhor José Antunes, diretor da Federação das Congregações Marianas da Diocese de Santo André, declarando não haver restrição alguma aos dois candidatos à Prefeitura.
404 – Concorrendo com Lauro Gomes estava o médico Newton da Costa Brandão, apoiado pelos sindicatos dos trabalhadores.
405 – Lauro Gomes ganharia a eleição e seria cassado, caso não morresse antes. Brandão, o perdedor de 1963, seria prefeito três vezes de Santo André, vestindo a camisa da Arena (partido de sustentação do regime) e, depois, do PTB trabalhista, herança de Getúlio.
406 – Em 28 de outubro de 1963 foi declarada a primeira grande greve dos trabalhadores da Refinaria União, em Capuava, a chamada “Greve da Encampação”, que perdura por 17 dias. A produção não é paralisada: 154 empregados que não aderiram à greve conseguem manter a refinaria em funcionamento.
407 – Não parar a produção rendeu louvores aos que não aderiram à greve. E rendeu demissão às lideranças grevistas: 51 petroleiros vão para a rua.
408 – O presidente João Goulart encampa a refinaria. Recoloca os trabalhadores em outros postos da Petrobras. Os militares derrubam a estatização. E demitem os 51 grevistas de Capuava.
409 – Anos depois, em 1974, ainda no regime militar, a Refinaria de Capuava é incorporada ao sistema Petrobras, onde permanece.
410 – E não deu outra: João Cara Valentim telefona do Rio de Janeiro atendendo a apelo desta página Memória. Confirma todas as informações aqui relatadas sobre os sete prefeitos da gestão andreense de 1960 a 1963. Fala de Lauro Gomes, que irritou o sexto prefeito, Clovis Thon, “assumindo” o seu gabinete antes de tomar posse oficialmente, o que levou Thon a repassar o cargo a Valentim (o sétimo prefeito). O que influiu decisivamente na renúncia de Thon foi uma ordem de Lauro Gomes considerada fora de propósito. Não temos autorização de Valentim para divulgar que ordem foi aquela. Mas João Cara Valentim promete vir a Santo André tão logo seja eliminado o problema da pandemia. E então muita coisa ligada à história política da região será revelada por aquele que é “o último dos moicanos”.

Diário há meio século
Terça-feira, 26 de janeiro de 1971 – ano 13, edição 1444
Manchete – Cai líder africano. General Idi Amin derruba o presidente Milton Obote e toma o poder em Kampala, Uganda
Basquete Feminino – Começa o torneio juvenil em São Bernardo: São Paulo 67, Rio Grande do Sul 36; Guanabara 43, Brasília 36.

Em 26 de janeiro de...
1916 – O inspetor Mauricio de Camargo tem proferido palestras no Grupo Escolar de Santo André. Tema: ensino público. Participam professores das várias escolas do Grande ABC – então município de São Bernardo.
- Durante a I Guerra Mundial é destruída catedral de Nieuport, na Bélgica.
1921 – Belmira de Lima falece em Santo André. Era mulher de Manuel J. de Lima, coletor de rendas estaduais do município e integrante do diretório político local. Foi sepultada no cemitério de São Bernardo, hoje da Vila Euclides, na presença do senador Flaquer, do prefeito Saladino, do coronel Oliveira Lima, entre outras autoridades. Seu corpo foi encomendado na Matriz de São Bernardo, em cerimônia presidida pelo padre Francisco Navarro.
1931 – Município de São Vicente é anexado ao município de Santos.

Município Paulista
- Hoje é o aniversário de Santos. O povoado tem sua origem relacionada com a chegada dos primeiros colonizadores portugueses, na expedição de Martim Afonso de Souza. O povoado foi elevado à vila em 1545.

Santos do Dia
- Tito.
- Timóteo.
- Paula Romano (Roma, 347 – Belém, 404). Ela se tornou o exemplo na oração, penitência e caridade, executando os serviços mais humildes e atendendo os pobres e doentes. Para estes, ela dispôs de todos os seus bens e sua vida. Patrocinou, inclusive, muitos religiosos, especialmente Jerônimo, que graças a Paula pôde completar sua grandiosa obra. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;