Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 8 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Grande ABC volta a criar emprego com carteira assinada em outubro

Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Setor de serviços impulsionou mercado de trabalho e foi responsável pela criação de 3.210 vagas no período


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

27/11/2020 | 00:13


Aos poucos, a região volta a gerar postos de trabalho no mercado formal. No último mês, o saldo – diferença entre demissões e admissões – ficou positivo em 6.296 no Grande ABC, impulsionado principalmente pelo setor de serviços, que gerou 3.210 vagas. O resultado é o melhor para o mês pelo menos desde 2006.

Os números do novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) foram divulgados ontem pelo Ministério da Economia e tabulados pelo Diário. No último mês, todas as cidades apresentaram saldo azul, com destaque para São Bernardo, com 2.360, e Santo André, com 1.398.

Além do setor de serviços, todos os demais também apresentaram geração de empregos. O comércio criou 1.748 postos, a indústria 973 e, a construção civil, 354. Em outubro do ano passado, foram criados 240 empregos no total.

O coordenador de estudos do Observatório Econômico da Universidade Metodista de São Paulo, Sandro Maskio, destacou que, apesar da rápida recuperação, é preciso ainda considerar o resultado do ano. Fortemente impactada pela crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, a região ainda amarga saldo de aproximadamente 20 mil demissões.

“O setor de serviços foi o responsável por alavancar os números, principalmente no subsegmento de atividade administrativa. São serviços auxiliares que passaram a ser mais contratados, por aumento de demanda, seja ele provocado por meio da atividade industrial ou pelos serviços pessoais, que estão em maior volume e maior ritmo”, analisou Maskio. “Eu diria que um dos grandes fatores é a melhora da atividade produtiva da indústria e, outro, a ampliação da movimentação de pessoas, que gera uma maior demanda pelos serviços”, complementou.

NO PAÍS

O Brasil registrou a abertura de 394.989 vagas formais no País em outubro. Conforme o ministro da Economia, Paulo Guedes, trata-se do melhor resultado para um único mês desde o início da série histórica, em 1992.

Guedes destacou a importância desse número para a economia que, mesmo em meio à pandemia “continua retomando em V, gerando empregos a um ritmo acelerado”, disse. Porém, no acumulado do ano, o saldo ainda está negativo, em 171.139 postos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Grande ABC volta a criar emprego com carteira assinada em outubro

Setor de serviços impulsionou mercado de trabalho e foi responsável pela criação de 3.210 vagas no período

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

27/11/2020 | 00:13


Aos poucos, a região volta a gerar postos de trabalho no mercado formal. No último mês, o saldo – diferença entre demissões e admissões – ficou positivo em 6.296 no Grande ABC, impulsionado principalmente pelo setor de serviços, que gerou 3.210 vagas. O resultado é o melhor para o mês pelo menos desde 2006.

Os números do novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) foram divulgados ontem pelo Ministério da Economia e tabulados pelo Diário. No último mês, todas as cidades apresentaram saldo azul, com destaque para São Bernardo, com 2.360, e Santo André, com 1.398.

Além do setor de serviços, todos os demais também apresentaram geração de empregos. O comércio criou 1.748 postos, a indústria 973 e, a construção civil, 354. Em outubro do ano passado, foram criados 240 empregos no total.

O coordenador de estudos do Observatório Econômico da Universidade Metodista de São Paulo, Sandro Maskio, destacou que, apesar da rápida recuperação, é preciso ainda considerar o resultado do ano. Fortemente impactada pela crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus, a região ainda amarga saldo de aproximadamente 20 mil demissões.

“O setor de serviços foi o responsável por alavancar os números, principalmente no subsegmento de atividade administrativa. São serviços auxiliares que passaram a ser mais contratados, por aumento de demanda, seja ele provocado por meio da atividade industrial ou pelos serviços pessoais, que estão em maior volume e maior ritmo”, analisou Maskio. “Eu diria que um dos grandes fatores é a melhora da atividade produtiva da indústria e, outro, a ampliação da movimentação de pessoas, que gera uma maior demanda pelos serviços”, complementou.

NO PAÍS

O Brasil registrou a abertura de 394.989 vagas formais no País em outubro. Conforme o ministro da Economia, Paulo Guedes, trata-se do melhor resultado para um único mês desde o início da série histórica, em 1992.

Guedes destacou a importância desse número para a economia que, mesmo em meio à pandemia “continua retomando em V, gerando empregos a um ritmo acelerado”, disse. Porém, no acumulado do ano, o saldo ainda está negativo, em 171.139 postos. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;