Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ramalhão e Netuno sonham em ficar na elite do Paulistão

Recém-promovidos da Série A-2, equipes do Grande ABC têm metas similares para Estadual que começa na quarta-feira


Anderson Fattori
Diário do Grande ABC

18/01/2020 | 23:59


Santo André e Água Santa serão os representantes do Grande ABC no maior estadual do País, que começa quarta-feira, com quatro jogos. Recém promovidos da Série A-2, os clubes não escondem que o grande objetivo é permanecer na elite para a próxima temporada, com a classificação à Série D do Brasileiro como o segundo objetivo.

O Ramalhão está de volta após um ano de ausência. O clube esteve na Primeira Divisão em 2017 e 2018, quando foi rebaixado. Volta prestigiado pelo título da Série A-2. Já o Netuno, que disputou seu primeiro torneio profissional em 2013, teve uma única experiência na elite, na temporada 2016, quando caiu. Agora foi promovido com a terceira posição na Série A-2, beneficiado pela vaga aberta com a fusão entre Red Bull e Bragantino.

Integrante do Grupo B ao lado de Palmeiras, Botafogo-SP e Novorizontino, o Santo André aposta no técnico Paulo Roberto e praticamente deu liberdade para que ele pudesse montar o elenco. Tanto que quase todos os 21 jogadores contratados já trabalharam com ele em algum momento.

Entre os principais nomes do elenco estão o goleiro Fernando Henrique, que jogou muito tempo no Fluminense, o volante Jocinei, ex-Corinthians, além do meia Vitinho, que estava no Paraná. Outra peça interessante é o atacante Ronaldo, que era torcedor de arquibancada do Ramalhão na adolescência e vestirá pela primeira vez a camisa do clube.
Paulo Roberto elogiou os 15 dias de pré-temporada realizada em Jacutinga-MG, mas mostrou preocupação com a montagem do elenco.

“Sabíamos o orçamento que tínhamos e trabalhamos dentro das nossas possibilidades. Tivemos dificuldade em contratar pela concorrência dos clubes que têm competições para jogar no segundo semestre. Esses 15 dias em Jacutinga foram muito proveitosos, trabalhamos bastante para ter uma ideia do time que vai iniciar a competição”, comentou o treinador. “Nossa meta é permanecer na elite, mas não dá para esquecer os outros objetivos que a competição oferece, como a vaga na Série D”, acrescentou.

No Água Santa, que está na Chave A ao lado de Santos, Oeste e Ponte Preta, a diretoria aposta no técnico Fernando Marchiori, que vai debutar na elite. Ele foi o comandante do Santo André no título da Série A-2 e ganhou voto de confiança para comandar elenco recheado de atletas experientes. Os destaques são o lateral-direito Luís Ricardo, o lateral-esquerdo Fabrício e os atacantes Dinei e Felipe Azevedo.

Uma das novidades é o chileno Andrés, ex-Real Garcilaso, do Peru. Chama atenção também o lateral-esquerdo Abner, que acumula passagens pelos times de base e equipe B do Real Madrid, durante as três temporadas em que defendeu o clube espanhol.

“Sabemos que o nível do Paulista é altíssimo. Tivemos dificuldades para montar o elenco, mas a nossa expectativa é boa. Temos a consciência de que nosso o objetivo será permanecer na Primeira Divisão e estamos otimistas. Esse último mês foi produtivo. Foram semanas de trabalho intenso e o grupo evoluiu demais, tanto na parte física como na parte técnica”, comentou o técnico Fernando Marchiori.

POLÊMICA - O Paulistão carrega uma incerteza. Um torcedor do São Caetano entrou na Justiça para tentar reaver o rebaixamento do time na última temporada, justificando que o Azulão deveria ocupar a vaga que foi aberta com a fusão entre Bragantino e Red Bull. O processo ainda está em andamento, mas os dois pedidos de liminar para brecar o início da competição foram negados.

A fórmula de disputa é a mesma dos últimos anos. Os 16 clubes foram divididos em quatro chaves, sendo que os dois primeiros avançam ao mata-mata. Além do título está em disputa também três vagas na Série D do Brasileiro, que interessam a Santo André, Água Santa, Inter de Limeira, Ferroviária, Mirassol e Novorizontino, únicos que não estão nas séries A, B e C do Nacional. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ramalhão e Netuno sonham em ficar na elite do Paulistão

Recém-promovidos da Série A-2, equipes do Grande ABC têm metas similares para Estadual que começa na quarta-feira

Anderson Fattori
Diário do Grande ABC

18/01/2020 | 23:59


Santo André e Água Santa serão os representantes do Grande ABC no maior estadual do País, que começa quarta-feira, com quatro jogos. Recém promovidos da Série A-2, os clubes não escondem que o grande objetivo é permanecer na elite para a próxima temporada, com a classificação à Série D do Brasileiro como o segundo objetivo.

O Ramalhão está de volta após um ano de ausência. O clube esteve na Primeira Divisão em 2017 e 2018, quando foi rebaixado. Volta prestigiado pelo título da Série A-2. Já o Netuno, que disputou seu primeiro torneio profissional em 2013, teve uma única experiência na elite, na temporada 2016, quando caiu. Agora foi promovido com a terceira posição na Série A-2, beneficiado pela vaga aberta com a fusão entre Red Bull e Bragantino.

Integrante do Grupo B ao lado de Palmeiras, Botafogo-SP e Novorizontino, o Santo André aposta no técnico Paulo Roberto e praticamente deu liberdade para que ele pudesse montar o elenco. Tanto que quase todos os 21 jogadores contratados já trabalharam com ele em algum momento.

Entre os principais nomes do elenco estão o goleiro Fernando Henrique, que jogou muito tempo no Fluminense, o volante Jocinei, ex-Corinthians, além do meia Vitinho, que estava no Paraná. Outra peça interessante é o atacante Ronaldo, que era torcedor de arquibancada do Ramalhão na adolescência e vestirá pela primeira vez a camisa do clube.
Paulo Roberto elogiou os 15 dias de pré-temporada realizada em Jacutinga-MG, mas mostrou preocupação com a montagem do elenco.

“Sabíamos o orçamento que tínhamos e trabalhamos dentro das nossas possibilidades. Tivemos dificuldade em contratar pela concorrência dos clubes que têm competições para jogar no segundo semestre. Esses 15 dias em Jacutinga foram muito proveitosos, trabalhamos bastante para ter uma ideia do time que vai iniciar a competição”, comentou o treinador. “Nossa meta é permanecer na elite, mas não dá para esquecer os outros objetivos que a competição oferece, como a vaga na Série D”, acrescentou.

No Água Santa, que está na Chave A ao lado de Santos, Oeste e Ponte Preta, a diretoria aposta no técnico Fernando Marchiori, que vai debutar na elite. Ele foi o comandante do Santo André no título da Série A-2 e ganhou voto de confiança para comandar elenco recheado de atletas experientes. Os destaques são o lateral-direito Luís Ricardo, o lateral-esquerdo Fabrício e os atacantes Dinei e Felipe Azevedo.

Uma das novidades é o chileno Andrés, ex-Real Garcilaso, do Peru. Chama atenção também o lateral-esquerdo Abner, que acumula passagens pelos times de base e equipe B do Real Madrid, durante as três temporadas em que defendeu o clube espanhol.

“Sabemos que o nível do Paulista é altíssimo. Tivemos dificuldades para montar o elenco, mas a nossa expectativa é boa. Temos a consciência de que nosso o objetivo será permanecer na Primeira Divisão e estamos otimistas. Esse último mês foi produtivo. Foram semanas de trabalho intenso e o grupo evoluiu demais, tanto na parte física como na parte técnica”, comentou o técnico Fernando Marchiori.

POLÊMICA - O Paulistão carrega uma incerteza. Um torcedor do São Caetano entrou na Justiça para tentar reaver o rebaixamento do time na última temporada, justificando que o Azulão deveria ocupar a vaga que foi aberta com a fusão entre Bragantino e Red Bull. O processo ainda está em andamento, mas os dois pedidos de liminar para brecar o início da competição foram negados.

A fórmula de disputa é a mesma dos últimos anos. Os 16 clubes foram divididos em quatro chaves, sendo que os dois primeiros avançam ao mata-mata. Além do título está em disputa também três vagas na Série D do Brasileiro, que interessam a Santo André, Água Santa, Inter de Limeira, Ferroviária, Mirassol e Novorizontino, únicos que não estão nas séries A, B e C do Nacional. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;