Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Após derrota e com muitas dores, Andy Murray não sabe se vai jogar em Wimbledon

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


14/01/2019 | 13:52


Após ser eliminado na primeira rodada do Aberto da Austrália, em Melbourne, nesta segunda-feira, o britânico Andy Murray disse que vai decidir na próxima semana se será submetido a uma cirurgia no quadril direito, o que vai encerrar a sua carreira no tênis profissional, ou se prossegue até o torneio de Wimbledon, em Londres, em julho deste ano.

"Decidirei na próxima semana se passarei por uma cirurgia em pouco tempo ou se, pelo contrário, descanso até Wimbledon para jogar lá o meu último torneio", disse Murray, com a voz trêmula, na entrevista coletiva após a derrota para o espanhol Roberto Bautista Agut por 3 sets a 2 - parciais de 6/4, 6/4, 6/7 (5/7), 6/7 (4/7) e 6/2, após 4 horas e 9 minutos de jogo.

"Mesmo que decida descansar por quatro meses, não vou poder caminhar bem de forma normal e seguirei com a dor no dia a dia. Se este foi meu último jogo, eu dei literalmente tudo que eu tinha. Mas não foi o suficiente esta noite", comentou. "Durante todos esses anos, dei o melhor de mim. Treinei o máximo que pude, às vezes até demais. Eu gostaria de jogar novamente as partidas que joguei aqui no passado", acrescentou.

Murray revelou que ficou muito emocionado durante o quinto set, quando o placar ficou 5 a 1 favorável a Bautista Agut. "Eu não acho que vivi um momento como esse em nenhum jogo. Eu não senti sensação igual nem quando eu saquei para ganhar Wimbledon", afirmou o tenista de 31 anos.

Diante de uma plateia que o apoiou durante todo o tempo, ao lado de sua mãe e o irmão Jamie (parceiro do brasileiro Bruno Soares nas duplas), Murray, vencedor de três torneios de Grand Slam, mais uma vez se entregou totalmente à partida e não desistiu de nenhum ponto.

Mas as dores no quadril, que o dificultam até para levantar as meias, diminuíram as suas forças, após quatro sets bastante disputados, diante do 22.º colocado do ranking mundial da ATP. Foi a primeira derrota de Murray na primeira rodada de um torneio de Grand Slam em 11 anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após derrota e com muitas dores, Andy Murray não sabe se vai jogar em Wimbledon


14/01/2019 | 13:52


Após ser eliminado na primeira rodada do Aberto da Austrália, em Melbourne, nesta segunda-feira, o britânico Andy Murray disse que vai decidir na próxima semana se será submetido a uma cirurgia no quadril direito, o que vai encerrar a sua carreira no tênis profissional, ou se prossegue até o torneio de Wimbledon, em Londres, em julho deste ano.

"Decidirei na próxima semana se passarei por uma cirurgia em pouco tempo ou se, pelo contrário, descanso até Wimbledon para jogar lá o meu último torneio", disse Murray, com a voz trêmula, na entrevista coletiva após a derrota para o espanhol Roberto Bautista Agut por 3 sets a 2 - parciais de 6/4, 6/4, 6/7 (5/7), 6/7 (4/7) e 6/2, após 4 horas e 9 minutos de jogo.

"Mesmo que decida descansar por quatro meses, não vou poder caminhar bem de forma normal e seguirei com a dor no dia a dia. Se este foi meu último jogo, eu dei literalmente tudo que eu tinha. Mas não foi o suficiente esta noite", comentou. "Durante todos esses anos, dei o melhor de mim. Treinei o máximo que pude, às vezes até demais. Eu gostaria de jogar novamente as partidas que joguei aqui no passado", acrescentou.

Murray revelou que ficou muito emocionado durante o quinto set, quando o placar ficou 5 a 1 favorável a Bautista Agut. "Eu não acho que vivi um momento como esse em nenhum jogo. Eu não senti sensação igual nem quando eu saquei para ganhar Wimbledon", afirmou o tenista de 31 anos.

Diante de uma plateia que o apoiou durante todo o tempo, ao lado de sua mãe e o irmão Jamie (parceiro do brasileiro Bruno Soares nas duplas), Murray, vencedor de três torneios de Grand Slam, mais uma vez se entregou totalmente à partida e não desistiu de nenhum ponto.

Mas as dores no quadril, que o dificultam até para levantar as meias, diminuíram as suas forças, após quatro sets bastante disputados, diante do 22.º colocado do ranking mundial da ATP. Foi a primeira derrota de Murray na primeira rodada de um torneio de Grand Slam em 11 anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;