Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mauá acumula dívida de R$ 824 mil com aluguéis

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prédios locados pelo Paço abrigam secretarias, equipamentos de Saúde e até delegacias


Júnior Carvalho
Daniel Macário

24/07/2018 | 07:00


Dívidas do governo da prefeita interina de Mauá, Alaíde Damo (MDB), com aluguéis atrasados chegam a quase R$ 824 mil, segundo levantamento feito pelo Diário. Assim como tem ocorrido com a gestão do prefeito Lauro Michels (PV), de Diadema, os débitos do Paço mauaense são com empresas e pessoas físicas proprietárias de imóveis que abrigam diversos prédios públicos. Não há, necessariamente, ações exigindo despejos e cobranças, como houve no município diademsense.

A Prefeitura de Mauá tem atrasado essas mensalidades pelo menos desde maio e os valores dizem respeito a mais de duas dezenas de prédios particulares que o governo aluga há anos para sediar vários órgãos públicos, desde as estruturas administrativas de várias secretarias do Paço a equipamentos de Saúde, como no caso dos centros de Referência em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente e de Reabilitação, no Centro. Com essas unidades, o Paço mauaense acumula R$ 29 mil em dívidas, referentes às prestações de junho e de julho. O próprio aluguel da sede da Secretaria de Saúde está atrasado – R$ 35,3 mil em mensalidades atrasadas.

Mais seis secretarias, além da ouvidoria, também estão abrigadas em edifícios particulares e que os carnês não estão em dia. O débito mais elevado é com a empresa AVP Empreendimentos Imobiliários, que administra o prédio onde a Pasta de Serviços Urbanos está instalada: R$ 152 mil, relativos a três parcelas em atraso.

Na lista também estão prédios onde funcionam três dos quatro cartórios eleitorais da cidade (zonas 217ª, 364ª e 365ª), na região central. Somando as dívidas com esses três aluguéis, o governo de Alaíde Damo deve R$ 87 mil aos proprietários. Pelo menos dois DPs (Distritos Policiais), o 2º (Guapituba) e o 4º (Jardim Zaíra) cujo aluguel é de responsabilidade da Prefeitura, integram o rol, com dívidas de R$ 10 mil e de R$ 8.000, respectivamente.

O Diário vem mostrando a dificuldade que o Paço de Diadema tem enfrentado para quitar débitos com aluguéis de prédios particulares que abrigam equipamentos públicos. O caso mais emblemático foi o despejo da Secretaria de Defesa Social, então localizada no Centro. Após ação judicial movida pela proprietária do local exigindo a desocupação e cobrando quase R$ 430 mil em aluguéis atrasados, o Paço diademense foi obrigado a entregar as chaves e alocar o setor em outro prédio particular alugado que já abriga uma secretaria de grande porte. À TV Globo, a gestão admitiu as dificuldades financeiras.

Questionado, o Paço de Mauá alegou que os pagamentos “seguem ordem cronológica de vencimento” e atrelou o acúmulo das mensalidades “à insuficiência de recursos financeiros”. A gestão Alaíde também se isentou de responsabilidades. “A situação encontrada pela atual administração era de aluguéis que chegavam de seis meses a um ano de atraso e, mesmo com todas as dificuldades financeiras, a Prefeitura baixou esse valor para dois meses e está providenciando para colocar tudo em dia. A administração está montando equipe para rever os aluguéis, pois existem valores fora da realidade. Nessa revisão, a Prefeitura pretende reduzir em 20% a 30% esses valores e, em alguns casos, colocar serviços em imóveis próprios.”

Emedebista demite secretário e adjunto da Pasta de Trânsito

A prefeita em exercício de Mauá, Alaíde Damo (MDB), exonerou ontem Elder Almeida da chefia da Secretaria de Trânsito e Sistema Viário da Prefeitura.

Elder era indicação do vereador Professor Betinho (PSDC) na administração do prefeito afastado Atila Jacomussi (PSB). Segundo o Diário apurou, a saída de Elder passou pelo parlamentar, que indicou não caminhar com a gestão da emedebista.

Então secretário adjunto do setor, José Carlos da Silva Martins, conhecido como Zé Carlos da Nova Era, também foi demitido. Os substitutos não foram informados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mauá acumula dívida de R$ 824 mil com aluguéis

Prédios locados pelo Paço abrigam secretarias, equipamentos de Saúde e até delegacias

Júnior Carvalho
Daniel Macário

24/07/2018 | 07:00


Dívidas do governo da prefeita interina de Mauá, Alaíde Damo (MDB), com aluguéis atrasados chegam a quase R$ 824 mil, segundo levantamento feito pelo Diário. Assim como tem ocorrido com a gestão do prefeito Lauro Michels (PV), de Diadema, os débitos do Paço mauaense são com empresas e pessoas físicas proprietárias de imóveis que abrigam diversos prédios públicos. Não há, necessariamente, ações exigindo despejos e cobranças, como houve no município diademsense.

A Prefeitura de Mauá tem atrasado essas mensalidades pelo menos desde maio e os valores dizem respeito a mais de duas dezenas de prédios particulares que o governo aluga há anos para sediar vários órgãos públicos, desde as estruturas administrativas de várias secretarias do Paço a equipamentos de Saúde, como no caso dos centros de Referência em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente e de Reabilitação, no Centro. Com essas unidades, o Paço mauaense acumula R$ 29 mil em dívidas, referentes às prestações de junho e de julho. O próprio aluguel da sede da Secretaria de Saúde está atrasado – R$ 35,3 mil em mensalidades atrasadas.

Mais seis secretarias, além da ouvidoria, também estão abrigadas em edifícios particulares e que os carnês não estão em dia. O débito mais elevado é com a empresa AVP Empreendimentos Imobiliários, que administra o prédio onde a Pasta de Serviços Urbanos está instalada: R$ 152 mil, relativos a três parcelas em atraso.

Na lista também estão prédios onde funcionam três dos quatro cartórios eleitorais da cidade (zonas 217ª, 364ª e 365ª), na região central. Somando as dívidas com esses três aluguéis, o governo de Alaíde Damo deve R$ 87 mil aos proprietários. Pelo menos dois DPs (Distritos Policiais), o 2º (Guapituba) e o 4º (Jardim Zaíra) cujo aluguel é de responsabilidade da Prefeitura, integram o rol, com dívidas de R$ 10 mil e de R$ 8.000, respectivamente.

O Diário vem mostrando a dificuldade que o Paço de Diadema tem enfrentado para quitar débitos com aluguéis de prédios particulares que abrigam equipamentos públicos. O caso mais emblemático foi o despejo da Secretaria de Defesa Social, então localizada no Centro. Após ação judicial movida pela proprietária do local exigindo a desocupação e cobrando quase R$ 430 mil em aluguéis atrasados, o Paço diademense foi obrigado a entregar as chaves e alocar o setor em outro prédio particular alugado que já abriga uma secretaria de grande porte. À TV Globo, a gestão admitiu as dificuldades financeiras.

Questionado, o Paço de Mauá alegou que os pagamentos “seguem ordem cronológica de vencimento” e atrelou o acúmulo das mensalidades “à insuficiência de recursos financeiros”. A gestão Alaíde também se isentou de responsabilidades. “A situação encontrada pela atual administração era de aluguéis que chegavam de seis meses a um ano de atraso e, mesmo com todas as dificuldades financeiras, a Prefeitura baixou esse valor para dois meses e está providenciando para colocar tudo em dia. A administração está montando equipe para rever os aluguéis, pois existem valores fora da realidade. Nessa revisão, a Prefeitura pretende reduzir em 20% a 30% esses valores e, em alguns casos, colocar serviços em imóveis próprios.”

Emedebista demite secretário e adjunto da Pasta de Trânsito

A prefeita em exercício de Mauá, Alaíde Damo (MDB), exonerou ontem Elder Almeida da chefia da Secretaria de Trânsito e Sistema Viário da Prefeitura.

Elder era indicação do vereador Professor Betinho (PSDC) na administração do prefeito afastado Atila Jacomussi (PSB). Segundo o Diário apurou, a saída de Elder passou pelo parlamentar, que indicou não caminhar com a gestão da emedebista.

Então secretário adjunto do setor, José Carlos da Silva Martins, conhecido como Zé Carlos da Nova Era, também foi demitido. Os substitutos não foram informados.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;