Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Adriano, quarto árbitro do dérbi, é da várzea andreense

Maurício Silva/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Profissional foi quem avisou ao juiz Marcelo Aparecido que não houve pênalti de Ralf em Dudu


Anderson Fattori

10/04/2018 | 07:00


Um dos protagonistas da polêmica decisão que definiu o Campeonato Paulista, o árbitro Adriano de Assis Miranda é figura carimbada na várzea de Santo André. Ele foi o auxiliar que avisou ao juiz Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza que o lance do pênalti de Ralf em Dudu, no clássico entre Palmeiras e Corinthians, não existiu. Nesta segunda-feira, o Diário tentou contato com ele, que preferiu não se manifestar.

Nascido e morador de Santo André, Adriano é do quadro da Federação Paulista desde 2016. Já havia participado da final da Copa do Brasil de 2017, entre Flamengo e Cruzeiro, como assistente auxiliar 2. Domingo, no Allianz Parque, foi o quarto árbitro e teve participação fundamental na decisão de Marcelo Aparecido de desmarcar o pênalti, segundo a súmula.

“Após conseguir me aproximar do quarto árbitro (Adriano), o mesmo me disse as seguintes palavras: ‘Marcelo, para mim ele toca na bola, mas a decisão é sua’. Devido ao ângulo de visão do quarto árbitro ser lateral à jogada, e, portanto, melhor que o meu, acatei a sua informação e marquei o tiro de canto. Informo ainda que reiniciei a partida após sete minutos de paralisação por consequência da reclamação dos atletas de ambas as equipes”, escreveu Marcelo Aparecido.

Amigos de Adriano relataram que o árbitro é uma pessoa bastante calma e íntegra. Diferentemente do que torcedores veicularam nas redes sociais, ele é santista, apesar de que quem convive com ele tem convicção de que o juiz sempre soube separar bem as coisas. “Não tenho o que falar dele. Uma pessoa íntegra, do bem e que trabalha há muito tempo conosco. Sempre apita os jogos decisivos justamente por conta da sua importância”, comentou o responsável pelo departamento técncio da Liga Santoandreense de Futebol, João Simão.

Adriano possui empresa em seu nome e presta serviços de arbitragem para a Liga. “Confiamos plenamente nele. Ele é o responsável por fazer as escalas das competições da Liga. Mas, nos jogos mais decisivos, ele mesmo é quem apita”, ressalta João Simão.

Outro local onde Adriano goza de bastante prestígio é no CA Aramaçan. Como associado, ele participa dos campeonatos internos como meia-atacante e, ocasionalmente, também apita partidas. “A gente sempre brinca com ele pelo fato de ser árbitro, mas não passa disso. Acho que ele fez o trabalho dele como quarto árbitro. Avisou que não foi pênalti”, defende o treinador e amigo Jonas Reis.

Apesar dos elogios, a decisão tomada por Adriano pode ter sido contaminada com interferência externa, o que é proibido pelo regulamento. Imagens do Esporte Interativo do momento do lance mostram que um quinto juiz, que aparece na escala como árbitro assistente adicional 1, Alberto Poletto Masseira, corre em direção a Adriano, lhe fala algo e o andreense vai em direção a Marcelo Aparecido, que anula o lance. Outras imagens exibem o delegado do jogo, Agnaldo Vieira, também passando orientações a Adriano.

Em nota, a Federação Paulista de Futebol disse que a atitude da equipe de arbitragem foi acertada. “O departamento de arbitragem trabalha pela excelência. O intuito sempre foi de que a arbitragem não interfira nos resultados das competições. E esse objetivo foi alcançado. A decisão da arbitragem, de anular o pênalti que havia sido marcado equivocadamente, foi correta”.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Adriano, quarto árbitro do dérbi, é da várzea andreense

Profissional foi quem avisou ao juiz Marcelo Aparecido que não houve pênalti de Ralf em Dudu

Anderson Fattori

10/04/2018 | 07:00


Um dos protagonistas da polêmica decisão que definiu o Campeonato Paulista, o árbitro Adriano de Assis Miranda é figura carimbada na várzea de Santo André. Ele foi o auxiliar que avisou ao juiz Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza que o lance do pênalti de Ralf em Dudu, no clássico entre Palmeiras e Corinthians, não existiu. Nesta segunda-feira, o Diário tentou contato com ele, que preferiu não se manifestar.

Nascido e morador de Santo André, Adriano é do quadro da Federação Paulista desde 2016. Já havia participado da final da Copa do Brasil de 2017, entre Flamengo e Cruzeiro, como assistente auxiliar 2. Domingo, no Allianz Parque, foi o quarto árbitro e teve participação fundamental na decisão de Marcelo Aparecido de desmarcar o pênalti, segundo a súmula.

“Após conseguir me aproximar do quarto árbitro (Adriano), o mesmo me disse as seguintes palavras: ‘Marcelo, para mim ele toca na bola, mas a decisão é sua’. Devido ao ângulo de visão do quarto árbitro ser lateral à jogada, e, portanto, melhor que o meu, acatei a sua informação e marquei o tiro de canto. Informo ainda que reiniciei a partida após sete minutos de paralisação por consequência da reclamação dos atletas de ambas as equipes”, escreveu Marcelo Aparecido.

Amigos de Adriano relataram que o árbitro é uma pessoa bastante calma e íntegra. Diferentemente do que torcedores veicularam nas redes sociais, ele é santista, apesar de que quem convive com ele tem convicção de que o juiz sempre soube separar bem as coisas. “Não tenho o que falar dele. Uma pessoa íntegra, do bem e que trabalha há muito tempo conosco. Sempre apita os jogos decisivos justamente por conta da sua importância”, comentou o responsável pelo departamento técncio da Liga Santoandreense de Futebol, João Simão.

Adriano possui empresa em seu nome e presta serviços de arbitragem para a Liga. “Confiamos plenamente nele. Ele é o responsável por fazer as escalas das competições da Liga. Mas, nos jogos mais decisivos, ele mesmo é quem apita”, ressalta João Simão.

Outro local onde Adriano goza de bastante prestígio é no CA Aramaçan. Como associado, ele participa dos campeonatos internos como meia-atacante e, ocasionalmente, também apita partidas. “A gente sempre brinca com ele pelo fato de ser árbitro, mas não passa disso. Acho que ele fez o trabalho dele como quarto árbitro. Avisou que não foi pênalti”, defende o treinador e amigo Jonas Reis.

Apesar dos elogios, a decisão tomada por Adriano pode ter sido contaminada com interferência externa, o que é proibido pelo regulamento. Imagens do Esporte Interativo do momento do lance mostram que um quinto juiz, que aparece na escala como árbitro assistente adicional 1, Alberto Poletto Masseira, corre em direção a Adriano, lhe fala algo e o andreense vai em direção a Marcelo Aparecido, que anula o lance. Outras imagens exibem o delegado do jogo, Agnaldo Vieira, também passando orientações a Adriano.

Em nota, a Federação Paulista de Futebol disse que a atitude da equipe de arbitragem foi acertada. “O departamento de arbitragem trabalha pela excelência. O intuito sempre foi de que a arbitragem não interfira nos resultados das competições. E esse objetivo foi alcançado. A decisão da arbitragem, de anular o pênalti que havia sido marcado equivocadamente, foi correta”.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;