Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Greve termina em Diadema após 13 dias

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Lauro eleva proposta, promete repor inflação e
Sindema encerra paralisação dos serviços públicos


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

28/04/2015 | 07:27


O governo do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), ampliou ontem proposta de reajuste salarial para o funcionalismo municipal, ofereceu reposição do índice da inflação e, diante da oferta, o Sindema (Sindicato dos Servidores Públicos de Diadema) decidiu encerrar a paralisação dos serviços públicos depois de 13 dias consecutivos de ato. Em reunião com representantes da categoria, a cúpula do Paço prometeu 7,89%, divididos em seis parcelas, percentual mínimo exigido nas negociações. A quantia foi acatada à tarde, em assembleia, com adesão dos sindicalistas, embora o pedido fosse de 11%.

O verde vai excluir da cota de reajuste os funcionários comissionados, incluindo secretários, vice-prefeita e ele próprio, que não serão contemplados pelo índice no período. Nesta nova proposta, a gestão Lauro manteve o percentual de 3,47% (sendo 1% em abril, retroativo, 1% em setembro e 1,47% em dezembro, oferecidos anteriormente) e acrescentou o saldo de 4,42%, diluídos em outras três vezes fracionadas (1,39% em julho, 1,39% em novembro e 1,39% em dezembro), atingindo patamar da inflação, medido pelo ICV (Índice do Custo de Vida), calculado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Em contrapartida, o percentual adicional não está garantido aos 7.500 servidores públicos municipais. Os números estão condicionados, segundo o Paço, “à variação da receita corrente líquida e respeitando o limite prudencial” de 51,3% da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal). “Não sendo obtida a receita, decorrente do aumento de arrecadação, suficiente para suportar esses índices de reajuste, a Prefeitura informará ao Sindema em reuniões mensais que serão realizadas entre os dias 15 e 20 de cada mês”, alegou.

Alguns benefícios, como vales alimentação (compra em supermercado, que sairá de R$ 142 para R$ 153) e refeição (diária em restaurantes, saltando de R$ 240 para R$ 258), também seguirão reajuste da ordem de 7,89%, na dependência da subida de arrecadação. “É sensação de vitória, da luta do funcionalismo, principalmente porque haverá reposição, sem desconto dos dias parados (sete dias úteis). Existe compromisso de recompor essas horas, fora do horário de trabalho”, mencionou José Aparecido da Silva, o Neno. A greve impactou, parcialmente, setores de Educação e Saúde. (colaborou Leandro Baldini)



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;