Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sem Robinho, Peixe defende o topo


Das Agências

28/08/2005 | 08:53


A Era Robinho chegou ao fim. Com a saída definitiva do craque da Vila Belmiro para o Santiago Bernabéu, o Santos inicia neste domingo, às 18h10, contra o Coritiba, uma nova fase em sua história. Agora, o objetivo do Peixe é manter a ponta do Campeonato Brasileiro, um presente deixado por Robinho antes de se transferir para o Real Madrid, onde já é considerado um galáctico.

O Santos defende uma invencibilidade de sete partidas no Campeonato Brasileiro. Tempo em que Robinho esteve no comando da equipe, após voltar da conquista da Copa das Confederações. O técnico Gallo não terá 11 jogadores contra o Coxa: Henao, Paulo César, Halisson, Ávalos, Carlinhos, Bóvio, Zé Elias, Giovanni, Diego, Frontini e Fabiano. A lista de desfalques só não é maior porque o departamento médico liberou os jogadores Fabinho e Basílio.

Gallo avalia que a perda de Robinho será grande e que seria importante sua continuidade no Santos. "Mas o futebol é esporte coletivo", lembrou o treinador, "e o Robinho não fez sozinho esses sete bons resultados, ele teve uma boa participação como os outros também tiveram". De qualquer forma, o treinador trabalha com uma certeza: "temos de ter consciência de que esse ciclo acabou e que a vida segue."

A ordem de Gallo é vencer o Coritiba para tentar assumir a liderança isolada, no momento em que está empatado em pontos com o Corinthians. "O Santos sempre esteve entre os cinco primeiros e o quinto colocado hoje está muito próximo da gente. Não tem muita diferença. O importante é se manter no topo, conscientes de que não conquistamos nada ainda", completou o treinador.

Motivado - A maior motivação do Coritiba para o jogo contra o Santos veio com a vitória de quinta-feira, por 2 a 0, sobre o Fortaleza, em Curitiba. O time vinha sentindo dificuldades quando jogava em casa e a decepção refletia-se nos jogos posteriores. "A gente estava precisando ganhar uma partida em casa. Foi truncado, mas prevaleceu a determinação e a força de vontade", disse o zagueiro Allan.

O técnico Cuca deverá manter a mesma estrutura, apesar dos desfalques do volante Reginaldo Nascimento, que fica duas semanas recuperando-se de contusão no joelho, e do atacante Caio, que cumpre suspensão. Rodrigo Mancha deve assumir a posição de Nascimento, enquanto Alcimar pode entrar no ataque.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;