Confidencial

Boa sorte, Tigre: eu ainda acredito!


Eu acredito em milagres! Afinal, se existe um campo que permite feitos grandiosos, de superação, fora do comum, inexplicáveis, este é o esportivo. E é por isso que não jogo a toalha sobre a ainda possível classificação do São Bernardo FC para a final do Campeonato Paulista da Série A-2, que devolveria o Tigre à elite de São Paulo após três anos do rebaixamento de 2017. A missão é complicada. Afinal, igualar uma vitória por três gols de diferença ou triunfar marcando quatro tentos a mais do que o São Bento, no encontro de hoje à tarde, depende de uma jornada mais do que organizada, mas inspirada. O time vem apresentando alguns desde que o campeonato retornou, mas para chegar aos objetivos principais terá de beirar a perfeição.

Talvez invocar alguns ídolos de um passado não muito distante, como Wilson Júnior, Zé Forte, Biro, Renato Peixe e Raul seja um bom começo para um final feliz no Estádio 1º de Maio. Infelizmente a torcida aurinegra não poderá estar presente, em razão da pandemia, mas não tenho dúvida que estará com os olhos atentos e ouvidos em alerta do primeiro ao último minuto. Seria perfeito para o Tigre se o goleiro Moisés Júnior tivesse uma tarde daquelas inesquecíveis que Daniel (hoje diretor de futebol do clube) teve sob as mesmas traves da Vila Euclides, que Allan Dias esteja tão inspirado e consiga dar passes tão precisos quanto os de Bady, ou então que baixasse em Gildo aquele instinto artilheiro e matador de Ney Mineiro.

A pandemia do novo coronavírus, não tenho dúvida, complicou a campanha do São Bernardo FC. Se a Série A-2 não tivesse sido interrompida, acredito que o Tigre já estivesse a essa altura se planejando para a A-1 de 2021. Porém, apesar de não ter perdido muitas peças e ainda ter se reforçado, o grupo comandado por Marcelo Veiga apresentou desempenho inferior, já notado no revés para o São Caetano por 4 a 3, na primeira partida pós-pausa. Nas quartas de final, contra o Juventus, o Aurinegro também sofreu mais do que esperado, precisando dos pênaltis para despachar o Moleque Travesso. E agora, a um passo do paraíso, necessita fazer seu melhor jogo, mesmo não estando em seu melhor momento. Ainda assim, acredito que seja possível. Sobretudo porque quero ver o trio do Grande ABC na elite do Campeonato Paulista no ano que vem – infelizmente, o Água Santa foi rebaixado neste ano; por outro lado, acredito que o São Caetano possa fazer a lição de casa contra o XV de Piracicaba e alcançar tanto vaga na final quanto acesso à Série A-1.

Voltado para o lado amarelo e preto do mata-mata, há duas temporadas os são-bernardenses ficaram no quase: depois de fazerem a segunda melhor campanha na primeira fase, caíram nas semifinais, com duas derrotas para o Oeste, que se preparava para a disputa da Série B do Brasileiro. Ainda me recordo da desolação de algumas peças daquele time, como o goleiro Daniel, do zagueiro Dogão e do atacante artilheiro Alvinho, além do técnico Wilson Júnior. Agora, em busca de um desfecho diferente, o Tigre tem pela frente o São Bento, que disputa a Série C, mas vem dando prioridade à competição estadual para retornar para a elite – não à toa fez 3 a 0 no primeiro jogo da semifinal. O time sorocabano tem muita gana, um bom toque de bola e comprou a ideia que Edson Vieira implantou (tanto que está invicto sob comando do treinador, passando da zona de rebaixamento à de classificação), contando com equipe bastante qualificada, com peças importantes e perigosas.

Se o desfecho do jogo de hoje for outro que não a classificação do São Bernardo FC, vai ser um desastre. Sem exageros. Um duro golpe nos planos da Magnum, empresa que assumiu o comando do clube no ano passado com grandes expectativas. Isso porque, nos bastidores, dizem que o Aurinegro fez o maior investimento da divisão, possui uma das folhas salariais mais caras e esperava conquistar o acesso com certa tranquilidade. E confesso que pelo elenco montado por Marcelo Veiga, com nomes experientes, eu pensava que seria mais fácil. Mas o futebol é imprevisível e, independentemente do grau de dificuldade, ainda é possível para o Tigre do ABC chegar lá. Boa sorte!

ÁGUA SANTA
O Netuno apresentaria nesta semana seu novo treinador, que comandará o time na Copa Paulista, competição na qual o clube entra para buscar uma das vagas, seja na Série D do Brasileiro ou na Copa do Brasil. Entretanto, a apresentação foi adiada em dez a 15 dias. Isso porque ontem o novo técnico realizou o exame PCR para identificação da Covid-19 e justamente ele – que tem nome mantido em sigilo, ainda mais agora – testou positivo. Assim, o elenco, que já vem treinando há algumas semanas, seguirá sob o comando do auxiliar técnico permanente do Água Santa, Serginho.

O time fez algumas contratações e repatriações, além de ter mantido algumas peças, como o zagueiro Henrique, o lateral-esquerdo Bruno Costa e o volante Diogo Marzagão. Quem está de volta é o atacante Gabriel Duarte, enquanto a principal contratação foi a do experiente lateral-direito Alemão, que estava no Londrina-PR e soma passagens por Botafogo-RJ, Inter-RS, Paraná, Pohang Steelers (Coréia do Sul) e Figueirense-SC. Quem também chegou foi Julio Rondinelli para a função de diretor executivo. Com passagem pelo Santo André em 2015, agora vai dar as cartas no Netuno, substituindo Marcos Assunção, que deixou o clube após o rebaixamento no Campeonato Paulista.

Comentários


Veja Também


Voltar