Questão de Emprego

Cinco erros mais comuns em currículo


Independentemente do momento da economia e do País, sempre existem profissionais que estão satisfeitos e seguros em suas posições e companhias, enquanto outros buscam recolocação ou estão interessados em se movimentar. Por essa razão, sempre acreditamos ser importante retomar um tema que gera muitas dúvidas nos profissionais: o currículo. Na coluna desta semana, falarei sobre os cinco erros mais comuns na elaboração do documento:

1 – Contatos

Pode parecer bastante básico, mas muitas pessoas deixam de receber contato dos recrutadores por terem currículo com e-mail ou telefone desatualizados. Há casos, também, em que o candidato deixa um número de contato, mas não avisa o proprietário do telefone sobre a possibilidade da ligação. Além disso, é importante inserir o endereço para que o recrutador entenda a sua localização em relação à companhia.

2 – Objetivo

Nesse campo, seja claro e objetivo quanto ao cargo que se deseja ocupar. Sendo assim, em vez de colocar “departamento financeiro”, prefira inserir algo como “analista financeiro”. Assim, o recrutador vai entender o tipo de oportunidade que você está procurando.

3 – Experiência profissional

Neste campo, insira informações sobre as suas conquistas na posição, o número de pessoas que coordenou ou os projetos que liderou, por exemplo. Sempre mencione números e fatos que comprovem a sua contribuição para a evolução do negócio.

4 – Idioma

Uma das mentiras mais frequentes nos currículos está relacionada ao domínio de línguas estrangeiras. Por isso, é importante colocar o nível real de conhecimento dos idiomas quanto a fala, leitura e escrita, principalmente se a vaga exige essas habilidades. Em um simples bate-papo, o recrutador descobrirá se você está mentindo ou não. A mesma sinceridade deve ser considerada com relação a qualquer conhecimento que você garanta ter. Afinal, uma mentira descoberta pode colocar em dúvida todas as verdades que você disse.

5 – Formatação

Idealmente, um currículo deve ter, no máximo, duas páginas, independentemente do seu tempo de carreira. Ao resumir as qualificações e experiências, dê destaque para aquelas que agreguem valor à vaga pleiteada. No momento de formatar o documento, escolha uma fonte tradicional, como Arial, Tahoma ou Verdana, e mantenha-a como padrão em todo o currículo. No final, faça uma revisão para identificar possíveis erros gramaticais ou de formatação e digitação. Se possível, peça para outra pessoa revisar o documento. 

Comentários


Veja Também


Voltar