Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santo André procura esquecer o passado e volta a sonhar alto


Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

26/09/2007 | 07:12


Depois da renúncia de Jairo Livolis da presidência da Gestão Esportiva do Santo André, os acionistas já visualizam tempos bem melhores na instável rotina de um time ameaçado pelo rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. O então vice do modelo empresa, Celso Luiz, que permanece como presidente social do clube, também entregou o cargo da S.A em solidariedade ao companheiro que agora passa a ocupar apenas o posto de vice no Jaçatuba.

Os cotistas, como Antonio Henrique Afonso Júnior, deram o pontapé inicial na reunião de terça-feira à tarde para administrar a herança repassada ao atual comandante, Romualdo Magro Júnior, e ao vice, Ronan Maria Pinto.

Livolis saiu do trono do Santo André na segunda-feira à noite, no Centro Empresarial de São Bernardo. Dois dias antes, ele caiu em desgraça no elenco ao chutar o balde nos vestiários do Bruno Daniel para protestar, de uma forma exagerada e incontrolável, no mesmo dia do empate que teve cheiro de derrota contra o Barueri.

Ao ofender grotescamente o elenco – na base do "Aqui só tem jogadores de .., apenas o Dedimar se salva...", Livolis provocou a imediata reação do ala-direito Rogério, que sugeriu mais equilíbrio no ambiente.

Um dos zagueiros chegou a deixar apressadamente o local para evitar, segundo ele, "aprontar alguma besteira" contra o dirigente. O clima esquentou como nunca no estádio Bruno Daniel.

Os acionistas igualmente decidiram reagir ao tomar conhecimento de que Livolis atribuiu o fraco desempenho da equipe na Série B às badalações daqueles que paparicam o elenco. "É nisso que dá puxar o saco dos jogadores", reclamava Livolis, numa referência direta à liderança dos investidores. "Ele errou ao invadir um templo sagrado que pertence apenas à comissão técnica. Falhou duas vezes ao também desmoralizar o grupo daquele jeito. Assim, permitiu, de novo, que a emoção superasse a razão. Ele nunca se controla. Já falei isso na cara dele", afirmou o acionista Daniel Lima, ao citar o estilo de Livolis.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André procura esquecer o passado e volta a sonhar alto

Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

26/09/2007 | 07:12


Depois da renúncia de Jairo Livolis da presidência da Gestão Esportiva do Santo André, os acionistas já visualizam tempos bem melhores na instável rotina de um time ameaçado pelo rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. O então vice do modelo empresa, Celso Luiz, que permanece como presidente social do clube, também entregou o cargo da S.A em solidariedade ao companheiro que agora passa a ocupar apenas o posto de vice no Jaçatuba.

Os cotistas, como Antonio Henrique Afonso Júnior, deram o pontapé inicial na reunião de terça-feira à tarde para administrar a herança repassada ao atual comandante, Romualdo Magro Júnior, e ao vice, Ronan Maria Pinto.

Livolis saiu do trono do Santo André na segunda-feira à noite, no Centro Empresarial de São Bernardo. Dois dias antes, ele caiu em desgraça no elenco ao chutar o balde nos vestiários do Bruno Daniel para protestar, de uma forma exagerada e incontrolável, no mesmo dia do empate que teve cheiro de derrota contra o Barueri.

Ao ofender grotescamente o elenco – na base do "Aqui só tem jogadores de .., apenas o Dedimar se salva...", Livolis provocou a imediata reação do ala-direito Rogério, que sugeriu mais equilíbrio no ambiente.

Um dos zagueiros chegou a deixar apressadamente o local para evitar, segundo ele, "aprontar alguma besteira" contra o dirigente. O clima esquentou como nunca no estádio Bruno Daniel.

Os acionistas igualmente decidiram reagir ao tomar conhecimento de que Livolis atribuiu o fraco desempenho da equipe na Série B às badalações daqueles que paparicam o elenco. "É nisso que dá puxar o saco dos jogadores", reclamava Livolis, numa referência direta à liderança dos investidores. "Ele errou ao invadir um templo sagrado que pertence apenas à comissão técnica. Falhou duas vezes ao também desmoralizar o grupo daquele jeito. Assim, permitiu, de novo, que a emoção superasse a razão. Ele nunca se controla. Já falei isso na cara dele", afirmou o acionista Daniel Lima, ao citar o estilo de Livolis.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;