Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PSDB prepara palanque no Grande ABC


Fabrício Calado Moreira
Do Diário do Grande ABC

13/03/2005 | 18:48


O ninho tucano no ABC passou por reformulações. O PSDB elegeu sábado nova composição da Comissão Executiva da Coordenadoria Regional do partido, que terá a tarefa de cuidar das campanhas estaduais, federais e presidenciais na região. Tucanos aproveitaram a ocasião para lançar a candidatura do governador Geraldo Alckmin à Presidência da República e discutir desavenças dentro e fora do partido.

No evento, realizado na sede do diretório municipal do PSDB em São Bernardo, palestrantes tucanos – entre eles Antônio Carlos Pannunzio, presidente do PSDB no Estado, Edson Ortega, coordernador do PSDB na região, e Admir Ferro, coordenador de Ações Voltadas à Comunidade de São Bernardo – cobraram da militância o lançamento de candidaturas a deputado federal e estadual na região.

“Vocês congregam aqui no todo do ABC dois milhões de eleitores. É inconcebível que o PSDB, o maior partido do Estado, não tenha representação (da região), seja na Assembléia Legislativa, seja na Câmara Federal”, criticou Pannunzio. O presidente da sigla no Estado também reforçou determinação da Executiva estadual tucana de expulsar filiados que declararem apoio a outros partidos nas cidades em que o PSDB tiver candidatos.

Cutucões – O presidente estadual do PSDB mencionou o imbróglio instaurado na Assembléia Legislativa na última quinta-feira, quando o líder da bancada do PFL, Rodrigo Garcia, anunciou candidatura própria. O pefelista concorrerá contra o candidato do governador Geraldo Alckmin, Edson Aparecido (PSDB).

“Vejam o que acontece na Assembléia”, alfinetou Pannunzio, ao explicar que a Executiva irá cobrar apoio a candidatos do PSDB, e não dos partidos aliados. O tucano depois que a determinação da Executiva de expulsar filiados que apoiarem outros partidos valerá apenas para regiões onde a sigla tiver candidato. Foi mencionado no encontro tucano a desfiliação do deputado estadual Geraldo Tenuta, o Bispo Gê, acusado de repassar dívida para o nome de outra pessoa durante as eleições de 2002. Segundo Pannunzio, o próprio Tenuta desfiliou-se da legenda.

Sobre a candidatura de Garcia comprometer eventual composição com o PFL, Pannunzio vê “quebra de confiança deplorável” se o pefelista arrastar o resto da sigla com ele, mas desculpa o PFL como um todo. “Entendo como ato isolado que encontrou fortíssimo respaldo da oposição – o PT, evidentemente, deve ter incentivado – e de parte, não todo, o PFL.” Para o tucano, a situação causa constrangimento, uma vez que o PFL não é mero partido da base de apoio, mas também integra o governo do Estado.

O evento de sábado também serviu para mostrar algumas rusgas entre tucanos. Em sua fala, Evandro Lossaco, secretário-geral do PSDB, apontou que apenas uma das seis cidades da região, São Caetano, não lançou candidato a prefeito nem elegeu vereadores nas últimas eleições. “As outras seis cidades estão de parabéns”, elogiou Lossaco.

O município não foi mencionado nominalmente, mas a indireta teve como troco resposta exasperada do presidente do diretório tucano naquele município, Honório do Carmo, para quem falta conhecimento a Lossaco sobre o que aconteceu em São Caetano. “Bater é fácil. A decisão de não lançar candidato e apoiar outra sigla, no caso o PTB, foi a maneira de evitar que o PT vencesse a eleição. Por sinal, essa escolha teve a aquiescência da Executiva estadual”, retrucou.

Outra questão levantada por um militante de Santo André, Ailton Denari, foi quanto ao fato de o diretório andreense, segundo ele, apoiar a candidatura a deputado estadual de candidato de Botucatu, e não da região. “A decisão não fere ética partidária, apoiar candidato de outro município vai da Executiva estadual”, disse Evandro Lossaco. “Entendo, mas não aceito”, devolveu Denari.

Composição – A nova Executiva da Coordenadoria Regional do PSDB será composta por Fernando Leça, presidente do Memorial da América Latina e ex-secretário particular do governador, como coordenador do Conselho Executivo; Cáudio Demambro, tesoureiro do diretório sulsancaetanense do PSDB, como vice-coordenador; Adler Kiko Teixeira, prefeito de Rio Grande da Serra, como secretário de administração; Newton Brandão, ex-prefeito de Santo André e candidato derrotado nas eleições do ano passado, como secretário de Comunicação; e Leni Walendy, candidata a vice-prefeita de Mauá na chapa de Leonel Damo (PV). Demambro perdeu a coordenadoria para Kiko, que por sua vez, cedeu o cargo a Fernando Leça. Votaram na composição da Executiva os tucanos presentes sábado à reunião do diretório.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PSDB prepara palanque no Grande ABC

Fabrício Calado Moreira
Do Diário do Grande ABC

13/03/2005 | 18:48


O ninho tucano no ABC passou por reformulações. O PSDB elegeu sábado nova composição da Comissão Executiva da Coordenadoria Regional do partido, que terá a tarefa de cuidar das campanhas estaduais, federais e presidenciais na região. Tucanos aproveitaram a ocasião para lançar a candidatura do governador Geraldo Alckmin à Presidência da República e discutir desavenças dentro e fora do partido.

No evento, realizado na sede do diretório municipal do PSDB em São Bernardo, palestrantes tucanos – entre eles Antônio Carlos Pannunzio, presidente do PSDB no Estado, Edson Ortega, coordernador do PSDB na região, e Admir Ferro, coordenador de Ações Voltadas à Comunidade de São Bernardo – cobraram da militância o lançamento de candidaturas a deputado federal e estadual na região.

“Vocês congregam aqui no todo do ABC dois milhões de eleitores. É inconcebível que o PSDB, o maior partido do Estado, não tenha representação (da região), seja na Assembléia Legislativa, seja na Câmara Federal”, criticou Pannunzio. O presidente da sigla no Estado também reforçou determinação da Executiva estadual tucana de expulsar filiados que declararem apoio a outros partidos nas cidades em que o PSDB tiver candidatos.

Cutucões – O presidente estadual do PSDB mencionou o imbróglio instaurado na Assembléia Legislativa na última quinta-feira, quando o líder da bancada do PFL, Rodrigo Garcia, anunciou candidatura própria. O pefelista concorrerá contra o candidato do governador Geraldo Alckmin, Edson Aparecido (PSDB).

“Vejam o que acontece na Assembléia”, alfinetou Pannunzio, ao explicar que a Executiva irá cobrar apoio a candidatos do PSDB, e não dos partidos aliados. O tucano depois que a determinação da Executiva de expulsar filiados que apoiarem outros partidos valerá apenas para regiões onde a sigla tiver candidato. Foi mencionado no encontro tucano a desfiliação do deputado estadual Geraldo Tenuta, o Bispo Gê, acusado de repassar dívida para o nome de outra pessoa durante as eleições de 2002. Segundo Pannunzio, o próprio Tenuta desfiliou-se da legenda.

Sobre a candidatura de Garcia comprometer eventual composição com o PFL, Pannunzio vê “quebra de confiança deplorável” se o pefelista arrastar o resto da sigla com ele, mas desculpa o PFL como um todo. “Entendo como ato isolado que encontrou fortíssimo respaldo da oposição – o PT, evidentemente, deve ter incentivado – e de parte, não todo, o PFL.” Para o tucano, a situação causa constrangimento, uma vez que o PFL não é mero partido da base de apoio, mas também integra o governo do Estado.

O evento de sábado também serviu para mostrar algumas rusgas entre tucanos. Em sua fala, Evandro Lossaco, secretário-geral do PSDB, apontou que apenas uma das seis cidades da região, São Caetano, não lançou candidato a prefeito nem elegeu vereadores nas últimas eleições. “As outras seis cidades estão de parabéns”, elogiou Lossaco.

O município não foi mencionado nominalmente, mas a indireta teve como troco resposta exasperada do presidente do diretório tucano naquele município, Honório do Carmo, para quem falta conhecimento a Lossaco sobre o que aconteceu em São Caetano. “Bater é fácil. A decisão de não lançar candidato e apoiar outra sigla, no caso o PTB, foi a maneira de evitar que o PT vencesse a eleição. Por sinal, essa escolha teve a aquiescência da Executiva estadual”, retrucou.

Outra questão levantada por um militante de Santo André, Ailton Denari, foi quanto ao fato de o diretório andreense, segundo ele, apoiar a candidatura a deputado estadual de candidato de Botucatu, e não da região. “A decisão não fere ética partidária, apoiar candidato de outro município vai da Executiva estadual”, disse Evandro Lossaco. “Entendo, mas não aceito”, devolveu Denari.

Composição – A nova Executiva da Coordenadoria Regional do PSDB será composta por Fernando Leça, presidente do Memorial da América Latina e ex-secretário particular do governador, como coordenador do Conselho Executivo; Cáudio Demambro, tesoureiro do diretório sulsancaetanense do PSDB, como vice-coordenador; Adler Kiko Teixeira, prefeito de Rio Grande da Serra, como secretário de administração; Newton Brandão, ex-prefeito de Santo André e candidato derrotado nas eleições do ano passado, como secretário de Comunicação; e Leni Walendy, candidata a vice-prefeita de Mauá na chapa de Leonel Damo (PV). Demambro perdeu a coordenadoria para Kiko, que por sua vez, cedeu o cargo a Fernando Leça. Votaram na composição da Executiva os tucanos presentes sábado à reunião do diretório.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;