Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Rautenberg tira licença mais uma vez por prazo indeterminado


Daniel Tossato
do dgabc.com.br

06/02/2019 | 07:00


O vereador Roberto Rautenberg (PRB), de Santo André, pediu licença mais uma vez do seu cargo, por tempo indeterminado, no primeiro dia de sessão do ano.

O republicano sequer foi ao Legislativo. Carta solicitando afastamento já estava na mesa do presidente da Casa, Pedrinho Botaro (PSDB), e o suplente Jorge Kina (PSB) estava a postos para tomar posse.

Segundo Pedrinho, Rautenberg não o avisou da licença. “Ele não tem falado comigo. Hoje, novamente, eu não sabia desta licença. Ele não havia falado”, declarou.

O Diário antecipou na semana passada que o republicano havia avisado colegas da Câmara de que pediria licença das funções.

Vereador mais bem votado da região em 2016, com 7.863 votos, Rautenberg se licenciou do cargo pela primeira vez em agosto de 2017 e retornou somente 16 meses depois, em dezembro de 2018. Participou de apenas uma sessão neste período – quando houve eleição da mesa diretora – e recebeu dois salários, um referente a dezembro e o outro, em janeiro. Foram R$ 30 mil depositados na conta de Rautenberg. O republicano voltou porque Kina não deu certeza de que votaria em Pedrinho, candidato favorito do governo Paulo Serra (PSDB).

O vereador tem alegado motivos pessoais para não exercer o mandato para qual foi reeleito. Como empresário, tem se dedicado ao projeto de expansão de redes de academias da qual é proprietário, com franquias em outros Estados. Enquanto está de licença, Rautenberg não tem recebido seus vencimentos.

REMÉDIO
Fábio Lopes (PPS) protocolou projeto que tem com o objetivo estimar em até 120 dias o prazo máximo de afastamento de um parlamentar em Santo André.

“É uma falha do regimento (interno). A Câmara de Santo André ainda não tem isso. De toda repercussão que deu na questão de Rautenberg, essa mudança teria que ocorrer”, disse Lopes. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rautenberg tira licença mais uma vez por prazo indeterminado

Daniel Tossato
do dgabc.com.br

06/02/2019 | 07:00


O vereador Roberto Rautenberg (PRB), de Santo André, pediu licença mais uma vez do seu cargo, por tempo indeterminado, no primeiro dia de sessão do ano.

O republicano sequer foi ao Legislativo. Carta solicitando afastamento já estava na mesa do presidente da Casa, Pedrinho Botaro (PSDB), e o suplente Jorge Kina (PSB) estava a postos para tomar posse.

Segundo Pedrinho, Rautenberg não o avisou da licença. “Ele não tem falado comigo. Hoje, novamente, eu não sabia desta licença. Ele não havia falado”, declarou.

O Diário antecipou na semana passada que o republicano havia avisado colegas da Câmara de que pediria licença das funções.

Vereador mais bem votado da região em 2016, com 7.863 votos, Rautenberg se licenciou do cargo pela primeira vez em agosto de 2017 e retornou somente 16 meses depois, em dezembro de 2018. Participou de apenas uma sessão neste período – quando houve eleição da mesa diretora – e recebeu dois salários, um referente a dezembro e o outro, em janeiro. Foram R$ 30 mil depositados na conta de Rautenberg. O republicano voltou porque Kina não deu certeza de que votaria em Pedrinho, candidato favorito do governo Paulo Serra (PSDB).

O vereador tem alegado motivos pessoais para não exercer o mandato para qual foi reeleito. Como empresário, tem se dedicado ao projeto de expansão de redes de academias da qual é proprietário, com franquias em outros Estados. Enquanto está de licença, Rautenberg não tem recebido seus vencimentos.

REMÉDIO
Fábio Lopes (PPS) protocolou projeto que tem com o objetivo estimar em até 120 dias o prazo máximo de afastamento de um parlamentar em Santo André.

“É uma falha do regimento (interno). A Câmara de Santo André ainda não tem isso. De toda repercussão que deu na questão de Rautenberg, essa mudança teria que ocorrer”, disse Lopes. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;