Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Oposição ficará atenta ao segundo mandato, diz ACM


Da Agência Brasil

30/10/2006 | 14:26


O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) afirmou que a oposição ficará atenta aos passos do próximo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Ninguém vai ser contra uma coisa boa. Mas ninguém vai ser favorável as falcatruas que existam no governo e espero que Lula corrija”, disse, em entrevista nesta segunda-feira ao programa Revista Brasil.

Sobre a intenção de Lula da Silva de fazer um governo de coalizão, o senador disse não acreditar que a oposição aceitará o convite para participar do próximo mandato.

“Agora a oposição pode conversar, mas não o negócio de fazer coalizão, composição, nada disso. Cada um deve ficar onde o povo colocou. Se o povo não se colocou numa posição, nós devemos ter uma posição”.

Ao ser questionado sobre a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, ele disse que o trabalho já começou nos bastidores, mas que somente em janeiro a disputa deve se intensificar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oposição ficará atenta ao segundo mandato, diz ACM

Da Agência Brasil

30/10/2006 | 14:26


O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) afirmou que a oposição ficará atenta aos passos do próximo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Ninguém vai ser contra uma coisa boa. Mas ninguém vai ser favorável as falcatruas que existam no governo e espero que Lula corrija”, disse, em entrevista nesta segunda-feira ao programa Revista Brasil.

Sobre a intenção de Lula da Silva de fazer um governo de coalizão, o senador disse não acreditar que a oposição aceitará o convite para participar do próximo mandato.

“Agora a oposição pode conversar, mas não o negócio de fazer coalizão, composição, nada disso. Cada um deve ficar onde o povo colocou. Se o povo não se colocou numa posição, nós devemos ter uma posição”.

Ao ser questionado sobre a disputa pela presidência da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, ele disse que o trabalho já começou nos bastidores, mas que somente em janeiro a disputa deve se intensificar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;