Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Cidade vive clima de angústia e incerteza


Giba Bergamim Jr.
Do Diário do Grande ABC

27/11/2004 | 13:37


Uma atmosfera de angústia e incerteza cerca os moradores de São Caetano. A doença do prefeito da cidade, Luiz Tortorello (PTB), é assunto em qualquer rodinha de donas de casa, taxistas, comerciantes, funcionários públicos e empresários. Não se fala em outra coisa, mas os moradores dizem que os boatos e a falta de informações oficiais da Prefeitura só aumentam a ansiedade popular.

Na tarde de quinta-feira, a falsa informação de que o prefeito havia morrido causou tamanha comoção na cidade que fiéis em templos evangélicos e igrejas católicas iniciaram orações e moradores lamentaram a suposta "tragédia".

"Ontem (quinta), mataram o Tortorello umas três vezes, às 11h, às 13h e às 18h. Esse é o problema. A gente nunca sabe o correto. Já faz tempo que a gente ouve sobre a saúde precária dele, mas ficamos sabendo ou por amigos que trabalham na Prefeitura ou pelo jornal. Alguém da família poderia explicar melhor", disse a comerciante Maria Isabel Tufaile Iniesta, 47 anos. De acordo com Maria Isabel, cada freguês que entra em sua loja de produtos de limpeza faz um novo comentário sobre a doença.

Diogo Iniesta, 74 anos, morador do bairro Nova Gerty há 35, disse que gostaria de visitar o prefeito no Hospital Israelita Albert Einstein. "Se deixassem, eu iria visitá-lo. Ele é um pai para a cidade. Na minha opinião, é insubstituível", salientou Iniesta. Diariamente, ele "debate" o estado de saúde de Tortorello com os fregueses do açougue onde trabalha retalhando peças de carne de boi e de porco.

O balconista Julio César Faustino Priston, 32 anos, disse que ele e seus irmãos da Igreja Evangélica Pentecostal Jesus Nazareno, na Vila São José, fazem orações para a melhoria no quadro de saúde do prefeito. "A gente ora por ele e pela cidade. Pelos comentários, ele não está nada bem", afirmou Priston, que mora há 20 anos na Vila Gerty.

A empresária Mônica Takayanaji, 34 anos, declarou estar preocupada com a situação de Tortorello, mas acrescentou que admira a postura do prefeito de se manter à frente do governo municipal mesmo doente. "Ele preteriu o tratamento em função do trabalho, o que é nobre. Mas é muito preocupante a situação dele", declarou Mônica, moradora da região central de São Caetano e que afirmou ouvir detalhes diferenciados da doença de Tortorello até em salões de cabeleireiro.

Para a balconista Ana Maria Meira, 58 anos, a desinformação causa a sensação de que o município está à deriva. "Ele é uma pessoa querida na cidade, todos querem saber detalhadamente sobre o quadro clínico dele. Nós estamos muito preocupados", resumiu a balconista.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;