Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Procissao dos Carroceiros atrai 5 mil em S.Bernardo


Alexandre Akashi
Especial para o Diário

03/09/2000 | 18:38


Sob chuva constante, cerca de 5 mil pessoas, segundo o DET (Departamento de Engenharia de Tráfego), participaram neste domingo pela manha em Sao Bernardo da tradicional Procissao dos Carroceiros, que saiu da igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, no Jardim das Orquídeas e seguiu até a igreja Matriz, no Centro.

A procissao saiu por volta das 9h, depois da missa rezada pelo padre Ademir Santos de Oliveira, 31 anos. O trajeto teve 10 km e passou pelos bairros do Alvarenga e Assunçao, chegando ao Centro três horas depois, por volta do meio-dia, onde houve a bençao dos fiéis e veículos que fizeram o percurso.

O cortejo começou com cerca de mil pessoas no Jardim das Orquídeas, que seguiam a pé, de bicicleta, de charrete ou a cavalo a imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem levada no carro de boi do fazendeiro José Mazzola, 76 anos, que veio de Bragança Paulista especialmente para carregá-la. "Participo há 14 anos", disse.

A procissao anual é realizada desde 1917. Foi retomada em 1975, depois de uma interrupçao de dez anos. A cada vez, a imagem sai de uma igreja diferente.

Por onde passava, pessoas se juntavam à procissao. Algumas por brincadeira, como os carroceiros Luís Wagner, 19 anos, e Ricardo Teodoro, 17, que participam há quatro anos. "Venho pela diversao", disse Luís. "Quero que o padre abençoe minha carroça nova", disse Ricardo. Outras, aderiam por devoçao, como o cavaleiro José da Silva, 69, que montava um cavalo manga-larga. "Há 15 anos participo da procissao, faça chuva ou faça sol." Tanto os rapazes quanto o cavaleiro se juntaram ao grupo no bairro do Alvarenga.

Nem mesmo a chuva incomodou os participantes. "Eu já peguei tempo muito pior do que este", disse o marceneiro aposentado Luiz Marotti, 69 anos, um dos participantes mais antigos da procissao, que há 60 anos enfeita a bicicleta com a imagem da santa e a bandeira do Brasil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Procissao dos Carroceiros atrai 5 mil em S.Bernardo

Alexandre Akashi
Especial para o Diário

03/09/2000 | 18:38


Sob chuva constante, cerca de 5 mil pessoas, segundo o DET (Departamento de Engenharia de Tráfego), participaram neste domingo pela manha em Sao Bernardo da tradicional Procissao dos Carroceiros, que saiu da igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, no Jardim das Orquídeas e seguiu até a igreja Matriz, no Centro.

A procissao saiu por volta das 9h, depois da missa rezada pelo padre Ademir Santos de Oliveira, 31 anos. O trajeto teve 10 km e passou pelos bairros do Alvarenga e Assunçao, chegando ao Centro três horas depois, por volta do meio-dia, onde houve a bençao dos fiéis e veículos que fizeram o percurso.

O cortejo começou com cerca de mil pessoas no Jardim das Orquídeas, que seguiam a pé, de bicicleta, de charrete ou a cavalo a imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem levada no carro de boi do fazendeiro José Mazzola, 76 anos, que veio de Bragança Paulista especialmente para carregá-la. "Participo há 14 anos", disse.

A procissao anual é realizada desde 1917. Foi retomada em 1975, depois de uma interrupçao de dez anos. A cada vez, a imagem sai de uma igreja diferente.

Por onde passava, pessoas se juntavam à procissao. Algumas por brincadeira, como os carroceiros Luís Wagner, 19 anos, e Ricardo Teodoro, 17, que participam há quatro anos. "Venho pela diversao", disse Luís. "Quero que o padre abençoe minha carroça nova", disse Ricardo. Outras, aderiam por devoçao, como o cavaleiro José da Silva, 69, que montava um cavalo manga-larga. "Há 15 anos participo da procissao, faça chuva ou faça sol." Tanto os rapazes quanto o cavaleiro se juntaram ao grupo no bairro do Alvarenga.

Nem mesmo a chuva incomodou os participantes. "Eu já peguei tempo muito pior do que este", disse o marceneiro aposentado Luiz Marotti, 69 anos, um dos participantes mais antigos da procissao, que há 60 anos enfeita a bicicleta com a imagem da santa e a bandeira do Brasil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;