Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Em Ribeirão, 1.400 alunos têm apoio para alfabetização

Projeto oferece segundo professor, além de formação para equipe escolar em nove unidades


Bianca Barbosa
Especial para o Diário

20/02/2018 | 07:00


 Além do professor titular, 1.400 estudantes matriculados no 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental da rede municipal são contemplados com docente de apoio. O objetivo da medida, realizada em parceria com o Instituto Ayrton Senna, é auxiliar o processo de alfabetização dos alunos, dentro do programa Gestão da Política de Alfabetização. Somente no ano passado, a iniciativa atendeu 530 crianças, com idade entre 6 e 9 anos, de nove escolas.

Além de acompanhar o desenvolvimento dos estudantes, o projeto também trabalha na capacitação de professores e coordenadores.“A princípio, começamos com projeto piloto, atendendo só os 3ºs anos, mas por conta do excelente resultado, pudemos triplicar o programa neste ano, estendendo para os 1ºs e 2ºs anos do Fundamental”, afirma a secretária de Educação, Inclusão, Cultura e Tecnologia, Flávia Banwart.

Entre os benefícios da parceria no ano passado, a secretária elenca que, além do suporte ampliado para docentes, houve melhora do rendimento dos alunos, tendo em vista os resultados das últimas avaliações. “O programa utiliza referências pedagógicas que respeitam os currículos e os métodos de alfabetização adotados nas escolas, aliado à cultura de gestão, que inclui ferramentas de monitoramento e de avaliação da aprendizagem”, completa Flávia.

O resultado do projeto também é observado com satisfação em casa. O editor de revistas Luiz Carlos da Silva, 43 anos, tem três filhas matriculadas na Escola Municipal Engenheiro Carlos Rohm e diz que as meninas estão empolgadas com a unidade de ensino. “Elas melhoraram o desenvolvimento intelectual, a concentração. Estão falando que os professores estão mais atenciosos”, diz.

Único município do Grande ABC que conta com a parceria do Instituto Ayrton Senna, Ribeirão Pires também participa do PNAIC (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa), do governo federal. O acordo, firmado também pelos outros seis municípios da região, prevê que todos os estudantes sejam alfabetizados até os 8 anos de idade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em Ribeirão, 1.400 alunos têm apoio para alfabetização

Projeto oferece segundo professor, além de formação para equipe escolar em nove unidades

Bianca Barbosa
Especial para o Diário

20/02/2018 | 07:00


 Além do professor titular, 1.400 estudantes matriculados no 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental da rede municipal são contemplados com docente de apoio. O objetivo da medida, realizada em parceria com o Instituto Ayrton Senna, é auxiliar o processo de alfabetização dos alunos, dentro do programa Gestão da Política de Alfabetização. Somente no ano passado, a iniciativa atendeu 530 crianças, com idade entre 6 e 9 anos, de nove escolas.

Além de acompanhar o desenvolvimento dos estudantes, o projeto também trabalha na capacitação de professores e coordenadores.“A princípio, começamos com projeto piloto, atendendo só os 3ºs anos, mas por conta do excelente resultado, pudemos triplicar o programa neste ano, estendendo para os 1ºs e 2ºs anos do Fundamental”, afirma a secretária de Educação, Inclusão, Cultura e Tecnologia, Flávia Banwart.

Entre os benefícios da parceria no ano passado, a secretária elenca que, além do suporte ampliado para docentes, houve melhora do rendimento dos alunos, tendo em vista os resultados das últimas avaliações. “O programa utiliza referências pedagógicas que respeitam os currículos e os métodos de alfabetização adotados nas escolas, aliado à cultura de gestão, que inclui ferramentas de monitoramento e de avaliação da aprendizagem”, completa Flávia.

O resultado do projeto também é observado com satisfação em casa. O editor de revistas Luiz Carlos da Silva, 43 anos, tem três filhas matriculadas na Escola Municipal Engenheiro Carlos Rohm e diz que as meninas estão empolgadas com a unidade de ensino. “Elas melhoraram o desenvolvimento intelectual, a concentração. Estão falando que os professores estão mais atenciosos”, diz.

Único município do Grande ABC que conta com a parceria do Instituto Ayrton Senna, Ribeirão Pires também participa do PNAIC (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa), do governo federal. O acordo, firmado também pelos outros seis municípios da região, prevê que todos os estudantes sejam alfabetizados até os 8 anos de idade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;