Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Moradora de Mauá mantém dinheiro na poupança

Com ajuda de consultor, Vanderlúcia reorganiza finanças


Erica Martin

03/06/2012 | 06:45


A moradora de Mauá Vanderlúcia Silva Carvalho, de 29 anos, que está recebendo assessoria financeira do consultor Reinaldo Domingos desde janeiro, conseguiu manter os R$ 60 poupados em abril intactos na caderneta de poupança. Apesar de não ter aumentado sua capacidade de poupar, "ela começou a ter algo chamado consciência que ter dinheiro guardado é fantástico", comentou Domingos.

A assistente de programação ainda tem lições de casa para este mês, que não saíram do papel nas últimas semanas. Ela deve insistir para conseguir bolsa de estudo por meio do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) com o objetivo de adiar o desembolso do curso universitário, já que o programa permite iniciar o pagamento após 18 meses do término da graduação.

Vanderlúcia também deverá negociar taxas de juros menores do crédito consignado (que é descontado todo mês em folha de pagamento) no valor de R$ 147. Caso não consiga a redução dos custos (que tem percentual desconhecido por ela), terá de negociar com outra instituição financeira taxa menor e, então, fazer a portabilidade do crédito, o que é permitido por lei, com o objetivo de pagar menos juros.

Vanderlúcia deve ter seu salário reajustado em 7% entre junho e julho. Mas 70% do montante, conforme orientou Domingos, devem ser direcionados para a realização de sonhos e o restante para melhorar o padrão de vida. Já a dívida do cartão de crédito, no valor médio de R$ 1.700, o especialista orienta esperar até que ela consiga juntar o montante suficiente para negociar com o banco. "Vai chegar o momento que o valor do saldo devedor será reduzido para 30% em relação ao total" alertou Domingos.

PRAZO - A assessoria de Vanderlúcia, que terminaria neste mês, foi estendida por mais três meses. Portanto, no dia 1º acompanhe mais uma reportagem sobre as finanças da moradora de Mauá.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Moradora de Mauá mantém dinheiro na poupança

Com ajuda de consultor, Vanderlúcia reorganiza finanças

Erica Martin

03/06/2012 | 06:45


A moradora de Mauá Vanderlúcia Silva Carvalho, de 29 anos, que está recebendo assessoria financeira do consultor Reinaldo Domingos desde janeiro, conseguiu manter os R$ 60 poupados em abril intactos na caderneta de poupança. Apesar de não ter aumentado sua capacidade de poupar, "ela começou a ter algo chamado consciência que ter dinheiro guardado é fantástico", comentou Domingos.

A assistente de programação ainda tem lições de casa para este mês, que não saíram do papel nas últimas semanas. Ela deve insistir para conseguir bolsa de estudo por meio do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) com o objetivo de adiar o desembolso do curso universitário, já que o programa permite iniciar o pagamento após 18 meses do término da graduação.

Vanderlúcia também deverá negociar taxas de juros menores do crédito consignado (que é descontado todo mês em folha de pagamento) no valor de R$ 147. Caso não consiga a redução dos custos (que tem percentual desconhecido por ela), terá de negociar com outra instituição financeira taxa menor e, então, fazer a portabilidade do crédito, o que é permitido por lei, com o objetivo de pagar menos juros.

Vanderlúcia deve ter seu salário reajustado em 7% entre junho e julho. Mas 70% do montante, conforme orientou Domingos, devem ser direcionados para a realização de sonhos e o restante para melhorar o padrão de vida. Já a dívida do cartão de crédito, no valor médio de R$ 1.700, o especialista orienta esperar até que ela consiga juntar o montante suficiente para negociar com o banco. "Vai chegar o momento que o valor do saldo devedor será reduzido para 30% em relação ao total" alertou Domingos.

PRAZO - A assessoria de Vanderlúcia, que terminaria neste mês, foi estendida por mais três meses. Portanto, no dia 1º acompanhe mais uma reportagem sobre as finanças da moradora de Mauá.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;