Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Expectativa do PIB sofre nova queda

Indicadores econômicos apontam recessão técnica; Paulo Guedes pede paciência


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

13/08/2019 | 07:00


A expectativa de alta para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 teve ligeira queda, de 0,82% para 0,81%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado ontem pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa de crescimento era a mesma.

Para 2020, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do PIB em 2,1%, mesmo valor projetado quatro semanas atrás. No fim de junho, o BC atualizou, por meio do RTI (Relatório Trimestral de Inflação), a projeção para o PIB em 2019, de alta de 2% para elevação de 0,8%. No Focus, a projeção para a alta da produção industrial de 2019 foi de 0,23% para 0,19%. Há um mês, estava em 0,65%.

Segundo análise do coordenador de estudos do Observatório Econômico da Universidade Metodista de São Paulo, professor Sandro Maskio, redução da trajetória do desempenho do PIB é ruim para a economia local. “Temos uma presença mais acentuada da produção industrial comparativamente ao Estado de São Paulo e ao Brasil, por exemplo. A demanda por boa parte dos bens manufaturados produzidos no Grande ABC é, em sua maioria, de mercados fora da região e também do País.”

Maskio afirmou que há três consequências. “Diminui a demanda pela produção local, reduz expectativa do setor produtivo e retarda novos investimentos e contratações.”

O BC também divulgou que o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) registrou baixa de 0,13% no acumulado do segundo trimestre de 2019, na comparação com o primeiro trimestre, pela série ajustada. Considerado uma prévia do BC para o PIB, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia.

Enquanto os indicadores econômicos apontam para uma recessão técnica nos dois primeiros trimestres de 2019, o ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu paciência. “Deixem um governo liberal ter uma chance, esperem quatro anos. Não trabalhem contra o Brasil, tenham um pouco de paciência. Esperem a vez de vocês”, afirmou. (com Estadão Conteúdo) 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Expectativa do PIB sofre nova queda

Indicadores econômicos apontam recessão técnica; Paulo Guedes pede paciência

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

13/08/2019 | 07:00


A expectativa de alta para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 teve ligeira queda, de 0,82% para 0,81%, conforme o Relatório de Mercado Focus, divulgado ontem pelo Banco Central. Há quatro semanas, a estimativa de crescimento era a mesma.

Para 2020, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do PIB em 2,1%, mesmo valor projetado quatro semanas atrás. No fim de junho, o BC atualizou, por meio do RTI (Relatório Trimestral de Inflação), a projeção para o PIB em 2019, de alta de 2% para elevação de 0,8%. No Focus, a projeção para a alta da produção industrial de 2019 foi de 0,23% para 0,19%. Há um mês, estava em 0,65%.

Segundo análise do coordenador de estudos do Observatório Econômico da Universidade Metodista de São Paulo, professor Sandro Maskio, redução da trajetória do desempenho do PIB é ruim para a economia local. “Temos uma presença mais acentuada da produção industrial comparativamente ao Estado de São Paulo e ao Brasil, por exemplo. A demanda por boa parte dos bens manufaturados produzidos no Grande ABC é, em sua maioria, de mercados fora da região e também do País.”

Maskio afirmou que há três consequências. “Diminui a demanda pela produção local, reduz expectativa do setor produtivo e retarda novos investimentos e contratações.”

O BC também divulgou que o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) registrou baixa de 0,13% no acumulado do segundo trimestre de 2019, na comparação com o primeiro trimestre, pela série ajustada. Considerado uma prévia do BC para o PIB, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia.

Enquanto os indicadores econômicos apontam para uma recessão técnica nos dois primeiros trimestres de 2019, o ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu paciência. “Deixem um governo liberal ter uma chance, esperem quatro anos. Não trabalhem contra o Brasil, tenham um pouco de paciência. Esperem a vez de vocês”, afirmou. (com Estadão Conteúdo) 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;