Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 4 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Estudante seqüestrada por engano é libertada após 44 dias


Do Diário OnLine

10/01/2003 | 09:20


Uma estudante de 14 anos seqüestrada por engano foi libertada após passar 44 dias em cativeiro. A garota, encontrada na noite de quarta-feira no porta-malas de um Palio, na zona Sul de São Paulo, só foi libertada após a família pagar o resgate.

A adolescente foi confundida com a filha de um empresário e levada pelo seqüestradores quando seguia em um ônibus para o Colégio Sabas, onde estuda, no dia 25 de novembro. Os seqüestradores invadiram o veículo e, seguindo uma descrição, acabaram pegando a jovem.

Nos primeiros contatos com a família da estudante, os seqüestradores descobriram que haviam se enganado. No entanto, eles decidiram exigir o resgate mesmo assim.

Segundo a polícia, a estudante não tomou banho, não trocou de roupa e não foi alimentada adequadamente durante os dias em que passou sob poder dos seqüestradores.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estudante seqüestrada por engano é libertada após 44 dias

Do Diário OnLine

10/01/2003 | 09:20


Uma estudante de 14 anos seqüestrada por engano foi libertada após passar 44 dias em cativeiro. A garota, encontrada na noite de quarta-feira no porta-malas de um Palio, na zona Sul de São Paulo, só foi libertada após a família pagar o resgate.

A adolescente foi confundida com a filha de um empresário e levada pelo seqüestradores quando seguia em um ônibus para o Colégio Sabas, onde estuda, no dia 25 de novembro. Os seqüestradores invadiram o veículo e, seguindo uma descrição, acabaram pegando a jovem.

Nos primeiros contatos com a família da estudante, os seqüestradores descobriram que haviam se enganado. No entanto, eles decidiram exigir o resgate mesmo assim.

Segundo a polícia, a estudante não tomou banho, não trocou de roupa e não foi alimentada adequadamente durante os dias em que passou sob poder dos seqüestradores.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;