Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Bernardo realiza pente-fino em cadastro de gratuidades

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Objetivo é identificar custos extras aos cofres públicos com beneficiários fora das regras


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

13/08/2017 | 07:00


Responsável por transportar 250 mil passageiros por dia, o sistema de transporte público por ônibus de São Bernardo passa atualmente por pente-fino realizado pela administração. Marcado pela desorganização e falta de planejamento da antiga gestão, segundo o governo, o cadastro de gratuidades fornecido para idosos entre 60 e 65 anos tem sido revisto pelo Paço com objetivo de identificar custos extras aos cofres públicos com beneficiários que não se encaixam mais nas regras estipuladas pela legislação.

O diretor presidente da ETC (Empresa de Transportes Coletivos) de São Bernardo, Ademir Silvestre, afirma revisar mensalmente o cadastro. A medida tem como objetivo retirar da conta paga pelo município pessoas que já possuem idade de acima de 65 anos e, na prática, são beneficiadas pela gratuidade concedida pelo Estatuto do Idoso e que deve ser arcada pelas próprias empresas de ônibus. “O sistema de bilhetagem foi criado em 2007. Desde então, idosos entre 60 e 65 anos estão sendo contemplados pela legislação municipal, o que nos obriga a pagar esses custos à empresa concessionária. Porém, o que tem ocorrido é que encontramos muitas pessoas acima dessa idade no sistema, o que já deveria ter sido visto antes, pois gera um custo que não é nosso. O que vem sendo feito agora é que todo mês olhamos o cadastro, e se a pessoa passar dessa idade a tiramos do sistema.” Ainda segundo Silvestre, na prática, a retirada não interfere em nada na gratuidade. “O usuário continua tendo o benefício, o que muda é que não será mais a Prefeitura que irá arcar com o gasto, mas a própria empresa.”

Conforme noticiado na semana passada pelo Diário, o crescimento desordenado do sistema de gratuidades tem comprometido a operação do transporte coletivo de municípios. Em São Bernardo, por exemplo, o índice de pessoas que não pagam a tarifa já chega a 30% de todos os usuários, sendo que 18% são referentes a estudantes e a idosos.

Segundo Silvestre, a proposta é que a Prefeitura encontre mecanismos para dosar esses indicadores a fim de ter recursos suficientes para melhorar o sistema que, atualmente, segundo usuários, carece de mais organização.

“Os ônibus são bons e novos, mas aqui em São Bernardo ainda é muito difícil de você sempre pegar um ônibus no horário certo. Os motoristas desrespeitam isso sempre e nem tem fiscal para conferir essas coisas”, relata o coletor de resíduos Raimundo Soares, 64 anos.

A equipe de reportagem do Diário percorreu o município durante a semana e constatou também a insatisfação dos usuários em relação a lotações de coletivos durante horários de picos. “O pior de tudo é que justamente nesses horários parece que tem mais micro-ônibus, que cabem menos pessoas”, diz a agente de asseio Patrícia Rosa Pereira, 33.

A promessa da Prefeitura de São Bernardo é a de que o problema seja resolvido ainda neste mês, quando a administração substituirá todos os micro-ônibus que circulam atualmente na cidade por uma nova categoria denominada MID, um carro intermediário com motor e chassi de ônibus padrão, porém com carroceria mais estreita e menor (leia mais abaixo).

O município cita ainda a implantação, no mês passado, do aplicativo Partiu SBC, responsável por informar a chegada dos ônibus em tempo real, diretamente pelo smartphone, melhorando assim o serviço aos usuários.

Além disso, a expectativa da Prefeitura é a de que sejam repassados neste ano cerca de R$ 42 milhões de subsídio à SBCTrans, empresa concessionária do serviço.

A permissão da atividade que vencerá em setembro do próximo ano, aliás, já é alvo de estudo dentro da administração. A municipalidade deve contratar, ainda neste ano, consultoria para avaliar possíveis mudanças no sistema.

No próximo domingo, o Diário fará análise do sistema de transporte municipal de ônibus de São Caetano. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Bernardo realiza pente-fino em cadastro de gratuidades

Objetivo é identificar custos extras aos cofres públicos com beneficiários fora das regras

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

13/08/2017 | 07:00


Responsável por transportar 250 mil passageiros por dia, o sistema de transporte público por ônibus de São Bernardo passa atualmente por pente-fino realizado pela administração. Marcado pela desorganização e falta de planejamento da antiga gestão, segundo o governo, o cadastro de gratuidades fornecido para idosos entre 60 e 65 anos tem sido revisto pelo Paço com objetivo de identificar custos extras aos cofres públicos com beneficiários que não se encaixam mais nas regras estipuladas pela legislação.

O diretor presidente da ETC (Empresa de Transportes Coletivos) de São Bernardo, Ademir Silvestre, afirma revisar mensalmente o cadastro. A medida tem como objetivo retirar da conta paga pelo município pessoas que já possuem idade de acima de 65 anos e, na prática, são beneficiadas pela gratuidade concedida pelo Estatuto do Idoso e que deve ser arcada pelas próprias empresas de ônibus. “O sistema de bilhetagem foi criado em 2007. Desde então, idosos entre 60 e 65 anos estão sendo contemplados pela legislação municipal, o que nos obriga a pagar esses custos à empresa concessionária. Porém, o que tem ocorrido é que encontramos muitas pessoas acima dessa idade no sistema, o que já deveria ter sido visto antes, pois gera um custo que não é nosso. O que vem sendo feito agora é que todo mês olhamos o cadastro, e se a pessoa passar dessa idade a tiramos do sistema.” Ainda segundo Silvestre, na prática, a retirada não interfere em nada na gratuidade. “O usuário continua tendo o benefício, o que muda é que não será mais a Prefeitura que irá arcar com o gasto, mas a própria empresa.”

Conforme noticiado na semana passada pelo Diário, o crescimento desordenado do sistema de gratuidades tem comprometido a operação do transporte coletivo de municípios. Em São Bernardo, por exemplo, o índice de pessoas que não pagam a tarifa já chega a 30% de todos os usuários, sendo que 18% são referentes a estudantes e a idosos.

Segundo Silvestre, a proposta é que a Prefeitura encontre mecanismos para dosar esses indicadores a fim de ter recursos suficientes para melhorar o sistema que, atualmente, segundo usuários, carece de mais organização.

“Os ônibus são bons e novos, mas aqui em São Bernardo ainda é muito difícil de você sempre pegar um ônibus no horário certo. Os motoristas desrespeitam isso sempre e nem tem fiscal para conferir essas coisas”, relata o coletor de resíduos Raimundo Soares, 64 anos.

A equipe de reportagem do Diário percorreu o município durante a semana e constatou também a insatisfação dos usuários em relação a lotações de coletivos durante horários de picos. “O pior de tudo é que justamente nesses horários parece que tem mais micro-ônibus, que cabem menos pessoas”, diz a agente de asseio Patrícia Rosa Pereira, 33.

A promessa da Prefeitura de São Bernardo é a de que o problema seja resolvido ainda neste mês, quando a administração substituirá todos os micro-ônibus que circulam atualmente na cidade por uma nova categoria denominada MID, um carro intermediário com motor e chassi de ônibus padrão, porém com carroceria mais estreita e menor (leia mais abaixo).

O município cita ainda a implantação, no mês passado, do aplicativo Partiu SBC, responsável por informar a chegada dos ônibus em tempo real, diretamente pelo smartphone, melhorando assim o serviço aos usuários.

Além disso, a expectativa da Prefeitura é a de que sejam repassados neste ano cerca de R$ 42 milhões de subsídio à SBCTrans, empresa concessionária do serviço.

A permissão da atividade que vencerá em setembro do próximo ano, aliás, já é alvo de estudo dentro da administração. A municipalidade deve contratar, ainda neste ano, consultoria para avaliar possíveis mudanças no sistema.

No próximo domingo, o Diário fará análise do sistema de transporte municipal de ônibus de São Caetano. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;