Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Portugal oferece trabalho para 20 mil estrangeiros


Das Agências

23/08/2001 | 00:11


Portugal precisará de mais 20 mil trabalhadores estrangeiros antes do fim do ano para fazer frente às necessidades de seu mercado de trabalho, estimadas entre 60 mil e 80 mil empregos durante o segundo semestre, informou ontem a imprensa portuguesa.

As áreas mais necessitadas são as da construção civil, turismo e agricultura. Segundo o secretário de Trabalho e Formação de Portugal, Antonio Dornelas, o maior número de vagas será para trabalhadores rurais, garçons, cozinheiros, faxineiros e operários da construção civil.

A situação de cerca de 100 mil trabalhadores clandestinos em Portugal pode ser regularizada antes do fim do ano, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Em janeiro passado, foi aprovada uma lei que garantia autorização de trabalho provisória, legalizando a situação de milhares de imigrantes ilegais. No final de julho, segundo os serviços de imigração, 29.111 ucranianos, 15.722 brasileiros, 6.256 moldavos e 4.826 romenos foram regularizados.

A imigração proveniente do Leste europeu e do Brasil superou o fluxo tradicional procedente da África de língua portuguesa.

O desemprego no país caiu para 3,9% no segundo trimestre, 0,3% a menos do que nos três meses anteriores.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Portugal oferece trabalho para 20 mil estrangeiros

Das Agências

23/08/2001 | 00:11


Portugal precisará de mais 20 mil trabalhadores estrangeiros antes do fim do ano para fazer frente às necessidades de seu mercado de trabalho, estimadas entre 60 mil e 80 mil empregos durante o segundo semestre, informou ontem a imprensa portuguesa.

As áreas mais necessitadas são as da construção civil, turismo e agricultura. Segundo o secretário de Trabalho e Formação de Portugal, Antonio Dornelas, o maior número de vagas será para trabalhadores rurais, garçons, cozinheiros, faxineiros e operários da construção civil.

A situação de cerca de 100 mil trabalhadores clandestinos em Portugal pode ser regularizada antes do fim do ano, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Em janeiro passado, foi aprovada uma lei que garantia autorização de trabalho provisória, legalizando a situação de milhares de imigrantes ilegais. No final de julho, segundo os serviços de imigração, 29.111 ucranianos, 15.722 brasileiros, 6.256 moldavos e 4.826 romenos foram regularizados.

A imigração proveniente do Leste europeu e do Brasil superou o fluxo tradicional procedente da África de língua portuguesa.

O desemprego no país caiu para 3,9% no segundo trimestre, 0,3% a menos do que nos três meses anteriores.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;