Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Equador pode pedir moratória, alerta imprensa local


Do Diário do Grande ABC

26/09/1999 | 18:07


Os equatorianos se encontravam neste domingo na expectativa de uma rede nacional onde o presidente Jamil Mahuad anunciaria a estratégia do governo para reestruturar a dívida externa. O presidente deve falar neste domingo à noite sobre a dívida externa e os bônus Brady, disse o assessor de imprensa de Mahuad.  

O assessor destacou que a intervençao está confirmada e que neste domingo poderia saber o que será feito na próxima terça-feira, quando o Equador deverá pagar US$ 96 milhoes pela dívida do bônus Brady.A imprensa local vem especulando nos últimos dois dias sobre uma possível moratória neste pagamento, porque no próximo dia 28 vence um prorrogaçao de 30 dias que o Equador havia pedido para preparar sua estratégia de renegociaçao.   ''

O Equador declarará uma moratória no pagamento das dívidas prorrogadas'', publicou neste domingo o diário Hoy de Quito baseado em fontes anônimas do governo. O presidente disse sábado que a missao de técnicos e funcionários que se encontram em Nova Iorque para abordar o tema da dívida ``mas nao definiu'' a posiçao do país.   ``Temos que pensar e analisar as conseqüências em cada um dos campos de possíveis açoes que podem tomar'', disse Mahuad em uma cadeia de rádio. A missao está falando com os advogados contratados pelo Equador sobre as implicaçoes jurídicas... vendo as vantagens e desvantagens de cada alternativa, é nisso que estamos trabalhando até o dia de hoje''.  

O presidente ressaltou que a urgência de uma renegociaçaose deve que o Equador nao pode pagar uma dívida do tamanho atual de uns US$ 13 bilhoes. '' Nao é o caso de querermos ou nao querermos pagar, e sim que nao podemos''.

A possível moratória havia gerado uma divisao na equipe do governo e surgiram versoes nao confirmadas que nas últimas horas o chamado superministro da Economia Guillermo Lasso havia renunciado. A imprensa anunciou que Lasso havia apresentado sua renúncia por discordar do tratamento na reestruturaçao da dívida. O presidente se referiu sábado sobre a tao comentada demissao .

lasso também nao confirmou nem desmentiu a notícia. Em seu discurso desta noite, Mahuad abordará os rumores sobre um possível feriado bancário nesta segunda-feira e sobre a renúncia do superministro Lasso, que deveria viajar na segunda para os Estados Unidos para reunir-se com a missao negociadora.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Equador pode pedir moratória, alerta imprensa local

Do Diário do Grande ABC

26/09/1999 | 18:07


Os equatorianos se encontravam neste domingo na expectativa de uma rede nacional onde o presidente Jamil Mahuad anunciaria a estratégia do governo para reestruturar a dívida externa. O presidente deve falar neste domingo à noite sobre a dívida externa e os bônus Brady, disse o assessor de imprensa de Mahuad.  

O assessor destacou que a intervençao está confirmada e que neste domingo poderia saber o que será feito na próxima terça-feira, quando o Equador deverá pagar US$ 96 milhoes pela dívida do bônus Brady.A imprensa local vem especulando nos últimos dois dias sobre uma possível moratória neste pagamento, porque no próximo dia 28 vence um prorrogaçao de 30 dias que o Equador havia pedido para preparar sua estratégia de renegociaçao.   ''

O Equador declarará uma moratória no pagamento das dívidas prorrogadas'', publicou neste domingo o diário Hoy de Quito baseado em fontes anônimas do governo. O presidente disse sábado que a missao de técnicos e funcionários que se encontram em Nova Iorque para abordar o tema da dívida ``mas nao definiu'' a posiçao do país.   ``Temos que pensar e analisar as conseqüências em cada um dos campos de possíveis açoes que podem tomar'', disse Mahuad em uma cadeia de rádio. A missao está falando com os advogados contratados pelo Equador sobre as implicaçoes jurídicas... vendo as vantagens e desvantagens de cada alternativa, é nisso que estamos trabalhando até o dia de hoje''.  

O presidente ressaltou que a urgência de uma renegociaçaose deve que o Equador nao pode pagar uma dívida do tamanho atual de uns US$ 13 bilhoes. '' Nao é o caso de querermos ou nao querermos pagar, e sim que nao podemos''.

A possível moratória havia gerado uma divisao na equipe do governo e surgiram versoes nao confirmadas que nas últimas horas o chamado superministro da Economia Guillermo Lasso havia renunciado. A imprensa anunciou que Lasso havia apresentado sua renúncia por discordar do tratamento na reestruturaçao da dívida. O presidente se referiu sábado sobre a tao comentada demissao .

lasso também nao confirmou nem desmentiu a notícia. Em seu discurso desta noite, Mahuad abordará os rumores sobre um possível feriado bancário nesta segunda-feira e sobre a renúncia do superministro Lasso, que deveria viajar na segunda para os Estados Unidos para reunir-se com a missao negociadora.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;