Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sondado no PMDB, Pio diz que Marinho decidirá futuro


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

07/06/2015 | 07:00


Cotado para integrar as fileiras do PMDB, do prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro, o vereador Pio Mielo (PT) sinalizou que o seu futuro político está nas mãos do chefe do Executivo de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), principal articulador da legenda na região. “Sou Marinho Futebol Clube”, citou, ao se esquivar de questionamento sobre a possibilidade de desfiliação do petismo. Próximo e apoiador de Pinheiro, Marinho seria o avalista da saída, sem risco de perda da cadeira na Câmara. Há informações de que o parlamentar, de primeiro mandato, vai deixar a sigla e migrar para o lado peemedebista, sendo sondado para compor na chapa majoritária governista.

Apesar de, em princípio, falar que defende as cores do partido, Pio admitiu que o período conturbado vivido pelo PT em âmbito federal pode prejudicar a formação de chapa a vereador. “É claro que reconheço que o PT está passando por momento conturbado e isso recai na cidade, gerando dificuldade para montar chapa proporcional”, disse, acrescentando que a situação abre especulações para o processo eleitoral. “Já me levaram para diversos outros partidos. Mas, por ora, estou e permaneço filiado”, concluiu. No pleito de 2012, a sigla conquistou apenas uma vaga no Legislativo e existe receio de queda da representatividade.

O PMDB fez duas cadeiras na última eleição municipal, com José Roberto Xavier e Roberto do Proerd, na condição de oposição – a estratégia do Paço passa pela elevação da bancada do partido. Pio evitou antecipar a discussão e alegou que não é momento para discussão de qualquer tipo de mudança. “Há calendário eleitoral que deve ser respeitado. Vou trabalhar arduamente para até fim de setembro o PT tenha chapa estruturada e a decisão de como caminhará na majoritária, se com o prefeito ou candidatura própria. Vamos esgotar todas as possibilidades”, emendou.

O PT sempre lançou projeto próprio em São Caetano, embora há quatro anos Edgar Nóbrega, nome da legenda, tenha se retirado da disputa após a divulgação do caso que conhecido como Mensalinho – o município é o único do Grande ABC que nunca foi governado por um petista. Rumores deram conta de que o partido aderiu em parte à proposta de Pinheiro em 2012, com aval de Marinho. Independentemente da questão interna, Pio adiantou predileção pelo suporte do petismo ao projeto de reeleição de Paulo Pinheiro em 2016. “Defendo o apoio ao prefeito. É opinião do mandato, mas vou respeitar a orientação partidária.”



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sondado no PMDB, Pio diz que Marinho decidirá futuro

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

07/06/2015 | 07:00


Cotado para integrar as fileiras do PMDB, do prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro, o vereador Pio Mielo (PT) sinalizou que o seu futuro político está nas mãos do chefe do Executivo de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), principal articulador da legenda na região. “Sou Marinho Futebol Clube”, citou, ao se esquivar de questionamento sobre a possibilidade de desfiliação do petismo. Próximo e apoiador de Pinheiro, Marinho seria o avalista da saída, sem risco de perda da cadeira na Câmara. Há informações de que o parlamentar, de primeiro mandato, vai deixar a sigla e migrar para o lado peemedebista, sendo sondado para compor na chapa majoritária governista.

Apesar de, em princípio, falar que defende as cores do partido, Pio admitiu que o período conturbado vivido pelo PT em âmbito federal pode prejudicar a formação de chapa a vereador. “É claro que reconheço que o PT está passando por momento conturbado e isso recai na cidade, gerando dificuldade para montar chapa proporcional”, disse, acrescentando que a situação abre especulações para o processo eleitoral. “Já me levaram para diversos outros partidos. Mas, por ora, estou e permaneço filiado”, concluiu. No pleito de 2012, a sigla conquistou apenas uma vaga no Legislativo e existe receio de queda da representatividade.

O PMDB fez duas cadeiras na última eleição municipal, com José Roberto Xavier e Roberto do Proerd, na condição de oposição – a estratégia do Paço passa pela elevação da bancada do partido. Pio evitou antecipar a discussão e alegou que não é momento para discussão de qualquer tipo de mudança. “Há calendário eleitoral que deve ser respeitado. Vou trabalhar arduamente para até fim de setembro o PT tenha chapa estruturada e a decisão de como caminhará na majoritária, se com o prefeito ou candidatura própria. Vamos esgotar todas as possibilidades”, emendou.

O PT sempre lançou projeto próprio em São Caetano, embora há quatro anos Edgar Nóbrega, nome da legenda, tenha se retirado da disputa após a divulgação do caso que conhecido como Mensalinho – o município é o único do Grande ABC que nunca foi governado por um petista. Rumores deram conta de que o partido aderiu em parte à proposta de Pinheiro em 2012, com aval de Marinho. Independentemente da questão interna, Pio adiantou predileção pelo suporte do petismo ao projeto de reeleição de Paulo Pinheiro em 2016. “Defendo o apoio ao prefeito. É opinião do mandato, mas vou respeitar a orientação partidária.”

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;