Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Canibal alemão diz ter se decepcionado com a vítima


Do Diário OnLine

08/12/2003 | 13:51


O alemão Armin Meiwes, 42 anos, que confessou ter matado um homem e comido seus restos mortais, disse nesta segunda-feira, no segundo dia de seu julgamento, que ficou “decepcionado” com sua vítima. Ele também revelou que entrou em contato pela Internet com mais uma pessoa disposta a ser devorada por ele.

"Ele exigiu que eu o esquartejasse imediatamente. E eu queria conhecê-lo melhor primeiro", disse, segundo o site da rede britânica BBC. Meiwes disse que Bernd Jürgen B. foi morto com diversas facadas no pescoço depois de ser anestesiado com bebidas alcoólicas e remédio para dormir.

Meiwes declarou ainda que voltou a entrar em contato pela Internet com uma pessoa que queria ser comida por ele, depois do crime. Ele justificou a atitude pela necessidade de comer mais carne humana, já que os restos da primeira vítima “acabaram rapidamente”.

"Ainda era meu desejo abater um ser humano, em outras palavras, dissecar um corpo", afirmou. Ele disse ainda que seu plano era compartilhar os restos da primeira vítima com a próxima antes de matá-la.

Mas ele insistiu em afirmar que não chegou a consumar seu plano. "Eu gostaria de dizer que eu nunca matei outra pessoa, embora eu o fizesse se a oportunidade tivesse se apresentado", disse Meiwes à polícia durante o interrogatório.

O acusado disse que comeu cerca de 20 quilos de carne do cadáver de Bernd Jürgen B. durante suas refeições regulares. "O ato de comer os restos mortais deu sentido à morte, já que o corpo não foi jogado fora", disse o alemão.

Nesta segunda-feira serão exibidos trechos do vídeo que mostra o assassinato, a dissecação e parte do consumo da carne da vítima. O acesso a essa parte do processo, no entanto, será restrito.

Meiwes não está sendo julgado por canibalismo, que oficialmente não é um delito na Alemanha. O julgamento deve se prolongar até o fim de janeiro. Se condenado, ele será sentenciado à prisão perpétua sob acusação de assassinato para satisfação sexual.

O crime — Na quarta-feira passada, no primeiro dia de seu julgamento, Meiwes explicou detalhes minuciosos como conheceu Brandes através da Internet, após publicar um anúncio no qual dizia procurar alguém para ser morto e devorado.

Brandes viajou até sua casa em Rotemburgo, perto de Kassel. Lá, Meiwes extirpou o pênis de sua vítima, o qual ambos tentaram comer.

Naquela noite de 10 de março de 2001, Meiwes esfaqueou Brandes, cortou seu corpo em pedaços, armazenou parte da carne no freezer, a maior parte da qual ele comeu, e enterrou os ossos e a cabeça no jardim. Ele foi detido depois que um estudante austríaco viu um outro anúncio semelhante na Internet e avisou à polícia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Canibal alemão diz ter se decepcionado com a vítima

Do Diário OnLine

08/12/2003 | 13:51


O alemão Armin Meiwes, 42 anos, que confessou ter matado um homem e comido seus restos mortais, disse nesta segunda-feira, no segundo dia de seu julgamento, que ficou “decepcionado” com sua vítima. Ele também revelou que entrou em contato pela Internet com mais uma pessoa disposta a ser devorada por ele.

"Ele exigiu que eu o esquartejasse imediatamente. E eu queria conhecê-lo melhor primeiro", disse, segundo o site da rede britânica BBC. Meiwes disse que Bernd Jürgen B. foi morto com diversas facadas no pescoço depois de ser anestesiado com bebidas alcoólicas e remédio para dormir.

Meiwes declarou ainda que voltou a entrar em contato pela Internet com uma pessoa que queria ser comida por ele, depois do crime. Ele justificou a atitude pela necessidade de comer mais carne humana, já que os restos da primeira vítima “acabaram rapidamente”.

"Ainda era meu desejo abater um ser humano, em outras palavras, dissecar um corpo", afirmou. Ele disse ainda que seu plano era compartilhar os restos da primeira vítima com a próxima antes de matá-la.

Mas ele insistiu em afirmar que não chegou a consumar seu plano. "Eu gostaria de dizer que eu nunca matei outra pessoa, embora eu o fizesse se a oportunidade tivesse se apresentado", disse Meiwes à polícia durante o interrogatório.

O acusado disse que comeu cerca de 20 quilos de carne do cadáver de Bernd Jürgen B. durante suas refeições regulares. "O ato de comer os restos mortais deu sentido à morte, já que o corpo não foi jogado fora", disse o alemão.

Nesta segunda-feira serão exibidos trechos do vídeo que mostra o assassinato, a dissecação e parte do consumo da carne da vítima. O acesso a essa parte do processo, no entanto, será restrito.

Meiwes não está sendo julgado por canibalismo, que oficialmente não é um delito na Alemanha. O julgamento deve se prolongar até o fim de janeiro. Se condenado, ele será sentenciado à prisão perpétua sob acusação de assassinato para satisfação sexual.

O crime — Na quarta-feira passada, no primeiro dia de seu julgamento, Meiwes explicou detalhes minuciosos como conheceu Brandes através da Internet, após publicar um anúncio no qual dizia procurar alguém para ser morto e devorado.

Brandes viajou até sua casa em Rotemburgo, perto de Kassel. Lá, Meiwes extirpou o pênis de sua vítima, o qual ambos tentaram comer.

Naquela noite de 10 de março de 2001, Meiwes esfaqueou Brandes, cortou seu corpo em pedaços, armazenou parte da carne no freezer, a maior parte da qual ele comeu, e enterrou os ossos e a cabeça no jardim. Ele foi detido depois que um estudante austríaco viu um outro anúncio semelhante na Internet e avisou à polícia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;