Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Região exporta US$ 3,28 bi no semestre

Resultado daria ao Grande ABC a terceira posição no ranking nacional de vendas ao Exterior


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

12/07/2008 | 07:00


As exportações do Grande ABC somaram US$ 3,28 bilhões no primeiro semestre, 11,64% mais do que no mesmo período de 2007. O resultado daria à região a terceira colocação no ranking nacional da exportação, se as sete cidades fossem consideradas um único município. Ficaria atrás apenas de São Paulo, que tem vendas ao Exterior 24,8% maiores (somou US$ US$ 4,097 bilhões), e de São José dos Campos (US$ 3,34 bilhões), cujo desempenho é 1,63% melhor.

O desempenho se deve em grande parte a São Bernardo, que representa 70% do exportado pela região. De forma isolada, o município está na quarta colocação entre os que mais exportaram, com US$ 2,1 bilhões vendidos ao Exterior.

Por conta sobretudo das encomendas de veículos (caminhões, chassis de ônibus e automóveis) ao mercado internacional, as exportações da cidade cresceram 8% nos primeiros seis meses frente ao alcançado (US$ 1,96 bilhões) em igual período do ano passado.

São Bernardo estava melhor posicionado no primeiro semestre de 2007. Ocupava a terceira colocação. Mas a perda do ‘pódio' foi para Angra dos Reis (RJ) - que ampliou as vendas externas para US$ 2,6 bilhões -, graças ao petróleo, que domina 98% de sua pauta de exportações.

O município da região também se destaca em saldo comercial (exportações menos importações), com a décima posição no País: somou US$ 786 milhões. O resultado ocorre apesar do dólar em queda frente ao real, que favoreceu as importações. No Grande ABC, houve crescimento de 41,46% no total de itens adquiridos de outros países.

"Temos, no caso de São Bernardo, uma indústria com uma base de produção muito grande. Isso dá uma economia de escala, ou seja, a redução do custo unitário", afirma o diretor do Departamento de Economia do Ciesp (Centro das Indústrias de São Bernardo), Roberto Gianinni.

A cidade pode melhorar ainda mais seu potencial de distribuição de produtos, segundo o prefeito William Dib, em conseqüência da construção do Rodoanel e da modernização do sistema viário.

CÂMBIO
Apesar das exportações em alta, o setor empresarial da região mostra preocupação com o câmbio em queda. O diretor do Ciesp de Santo André, Shotoku Yamamoto, afirma que as pequenas empresas têm mais dificuldade de manter as vendas ao Exterior, enquanto grandes fabricantes conseguem compensar margens menores com redução de custos, pela importação de peças e insumos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Região exporta US$ 3,28 bi no semestre

Resultado daria ao Grande ABC a terceira posição no ranking nacional de vendas ao Exterior

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

12/07/2008 | 07:00


As exportações do Grande ABC somaram US$ 3,28 bilhões no primeiro semestre, 11,64% mais do que no mesmo período de 2007. O resultado daria à região a terceira colocação no ranking nacional da exportação, se as sete cidades fossem consideradas um único município. Ficaria atrás apenas de São Paulo, que tem vendas ao Exterior 24,8% maiores (somou US$ US$ 4,097 bilhões), e de São José dos Campos (US$ 3,34 bilhões), cujo desempenho é 1,63% melhor.

O desempenho se deve em grande parte a São Bernardo, que representa 70% do exportado pela região. De forma isolada, o município está na quarta colocação entre os que mais exportaram, com US$ 2,1 bilhões vendidos ao Exterior.

Por conta sobretudo das encomendas de veículos (caminhões, chassis de ônibus e automóveis) ao mercado internacional, as exportações da cidade cresceram 8% nos primeiros seis meses frente ao alcançado (US$ 1,96 bilhões) em igual período do ano passado.

São Bernardo estava melhor posicionado no primeiro semestre de 2007. Ocupava a terceira colocação. Mas a perda do ‘pódio' foi para Angra dos Reis (RJ) - que ampliou as vendas externas para US$ 2,6 bilhões -, graças ao petróleo, que domina 98% de sua pauta de exportações.

O município da região também se destaca em saldo comercial (exportações menos importações), com a décima posição no País: somou US$ 786 milhões. O resultado ocorre apesar do dólar em queda frente ao real, que favoreceu as importações. No Grande ABC, houve crescimento de 41,46% no total de itens adquiridos de outros países.

"Temos, no caso de São Bernardo, uma indústria com uma base de produção muito grande. Isso dá uma economia de escala, ou seja, a redução do custo unitário", afirma o diretor do Departamento de Economia do Ciesp (Centro das Indústrias de São Bernardo), Roberto Gianinni.

A cidade pode melhorar ainda mais seu potencial de distribuição de produtos, segundo o prefeito William Dib, em conseqüência da construção do Rodoanel e da modernização do sistema viário.

CÂMBIO
Apesar das exportações em alta, o setor empresarial da região mostra preocupação com o câmbio em queda. O diretor do Ciesp de Santo André, Shotoku Yamamoto, afirma que as pequenas empresas têm mais dificuldade de manter as vendas ao Exterior, enquanto grandes fabricantes conseguem compensar margens menores com redução de custos, pela importação de peças e insumos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;