Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Com gol de Gabriel, Santos faz 1 a 0 no Palmeiras na 1ª final da Copa do Brasil

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Primeira decisão da Copa do Brasil terminou em
vitória justa, em jogo que mostrou times opostos



26/11/2015 | 00:09


A primeira decisão da Copa do Brasil terminou com uma justa vitória do Santos por 1 a 0 em cima do Palmeiras, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em uma partida que mostrou dois times opostos, com filosofias de jogo bem distintas. De um lado, a objetividade santista e o prazer de atacar o adversário incessantemente. Do outro, o pragmatismo palmeirense, com jogadores se doando ao máximo apenas para evitar o gol do rival e com o goleiro Fernando Prass o melhor jogador do time.

É verdade que a história do jogo poderia ter sido diferente se, com pouco mais de um minuto de jogo, o zagueiro Jackson tivesse aproveitado a ótima chance que teve após falta cobrada por Robinho. Sozinho, ele cabeceou por cima do gol e perdeu a única jogada mais aguda do Palmeiras na primeira etapa.

Depois disso, a partida se transformou em ataque contra defesa. O Santos chegava rápido demais e muitas vezes confundiu a marcação alviverde. Aos 4 minutos, Arouca fez um dos pênaltis mais infantis da temporada ao puxar a camisa de Ricardo Oliveira dentro da área após cobrança de escanteio. Esperava-se que o próprio atacante, que nos últimos tempos andou se desentendendo com Fernando Prass, batesse. Nem ele e nem Lucas Lima foram para a bola. Gabriel foi quem pegou a bola e bateu firme, mas tirou muito do goleiro rival e a bola explodiu na trave.

O técnico Marcelo Oliveira perdeu Gabriel Jesus, machucado, aos 12 minutos. Em seu lugar, apareceu Kelvin. O Santos seguiu mais muito mais intenso na primeira etapa. Com Lucas Lima e Marquinhos Gabriel trocando de posições, o Palmeiras sofria, mais uma vez, com a descompactação de suas linhas defensivas - zagueiros e laterais ficavam distantes dos meias e dos volantes. Assim, com jogadores com bom toque de bola, ficou fácil para a equipe de Dorival Júnior entrar na área palmeirense, sempre nos espaços vazios que a marcação alviverde não conseguia preencher.

O lance mais perigoso do Santos surgiu aos 39 minutos, quando Victor Ferraz passou pela marcação pela direita e tocou para Ricardo Oliveira bater de primeira, de dentro da área, para excelente defesa de Fernando Prass. E o Palmeiras desceu para o intervalo celebrando o 0 a 0.

A segunda etapa começou como terminou a primeira e logo aos 2 minutos Lucas Lima deixou Gabriel sozinho, de frente para o gol. Ele dominou, virou e bateu para mais uma admirável defesa de Fernando Prass. Mas, mais uma vez, o jogo poderia ter mudado a favor do Palmeiras logo depois. Dudu achou Barrios nas costas de David Braz. O paraguaio entrou na área e iria marcar o gol, mas foi calçado com falta na hora da finalização. Pênalti não marcado pelo árbitro paulista Luiz Flávio de Oliveira.

A partir daí a chuva caiu em Santos, deixando a bola mais lisa e o gramado mais pesado. O jogo, que já era demasiadamente tenso, ficou mais travado e até o árbitro precisou ser substituído - a partida passou a ser comandada por Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza. Dorival Júnior e Marcelo Oliveira mexeram nos times, cada um buscando seus objetivos - o clube alvinegro queria velocidade com Geuvânio, o alviverde buscava segurar a bola com Rafael Marques.

Em um lance de contra-ataque, Lucas fez a falta e levou cartão amarelo, que o tira da decisão no Allianz Parque - depois, em confusão com Lucas Lima, acabou sendo expulso. Pouco tempo depois, Ricardo Oliveira mais uma vez achou o espaço que queria. Com um passe perfeito, nas costas dos defensores, deixou Gabriel livre, mais uma vez, na frente de Fernando Prass. Desta vez, o atacante teve frieza para tocar firme no canto direito do goleiro do Palmeiras, decretando a vitória santista na primeira decisão da Copa do Brasil.

Aos 50 minutos, Nilson perdeu chance inacreditável, o chamado "gol do título" - sem goleiro, escorregou e chutou para fora. A taça da Copa do Brasil, que poderia ter sido definida a favor do Santos na Vila Belmiro, ainda não tem dono.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 x 0 PALMEIRAS

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia (Nilson), Renato e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel (Geuvânio), Ricardo Oliveira e Gabriel (Neto Berola). Técnico: Dorival Júnior.

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Vitor Hugo, Jackson e Zé Roberto; Matheus Sales (Amaral), Arouca e Robinho; Dudu, Gabriel Jesus (Kelvin) e Barrios (Rafael Marques). Técnico: Marcelo Oliveira.

GOL - Gabriel, aos 33 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Renato, Gabriel, Victor Ferraz e Ricardo Oliveira (Santos); Dudu, Fernando Prass, Matheus Sales, Arouca e Barrios (Palmeiras).

CARTÃO VERMELHO - Lucas (Palmeiras).

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (Fifa/SP), substituído por Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP).

RENDA - R$ 1.631.560,00.

PÚBLICO - 14.116 pagantes.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com gol de Gabriel, Santos faz 1 a 0 no Palmeiras na 1ª final da Copa do Brasil

Primeira decisão da Copa do Brasil terminou em
vitória justa, em jogo que mostrou times opostos


26/11/2015 | 00:09


A primeira decisão da Copa do Brasil terminou com uma justa vitória do Santos por 1 a 0 em cima do Palmeiras, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em uma partida que mostrou dois times opostos, com filosofias de jogo bem distintas. De um lado, a objetividade santista e o prazer de atacar o adversário incessantemente. Do outro, o pragmatismo palmeirense, com jogadores se doando ao máximo apenas para evitar o gol do rival e com o goleiro Fernando Prass o melhor jogador do time.

É verdade que a história do jogo poderia ter sido diferente se, com pouco mais de um minuto de jogo, o zagueiro Jackson tivesse aproveitado a ótima chance que teve após falta cobrada por Robinho. Sozinho, ele cabeceou por cima do gol e perdeu a única jogada mais aguda do Palmeiras na primeira etapa.

Depois disso, a partida se transformou em ataque contra defesa. O Santos chegava rápido demais e muitas vezes confundiu a marcação alviverde. Aos 4 minutos, Arouca fez um dos pênaltis mais infantis da temporada ao puxar a camisa de Ricardo Oliveira dentro da área após cobrança de escanteio. Esperava-se que o próprio atacante, que nos últimos tempos andou se desentendendo com Fernando Prass, batesse. Nem ele e nem Lucas Lima foram para a bola. Gabriel foi quem pegou a bola e bateu firme, mas tirou muito do goleiro rival e a bola explodiu na trave.

O técnico Marcelo Oliveira perdeu Gabriel Jesus, machucado, aos 12 minutos. Em seu lugar, apareceu Kelvin. O Santos seguiu mais muito mais intenso na primeira etapa. Com Lucas Lima e Marquinhos Gabriel trocando de posições, o Palmeiras sofria, mais uma vez, com a descompactação de suas linhas defensivas - zagueiros e laterais ficavam distantes dos meias e dos volantes. Assim, com jogadores com bom toque de bola, ficou fácil para a equipe de Dorival Júnior entrar na área palmeirense, sempre nos espaços vazios que a marcação alviverde não conseguia preencher.

O lance mais perigoso do Santos surgiu aos 39 minutos, quando Victor Ferraz passou pela marcação pela direita e tocou para Ricardo Oliveira bater de primeira, de dentro da área, para excelente defesa de Fernando Prass. E o Palmeiras desceu para o intervalo celebrando o 0 a 0.

A segunda etapa começou como terminou a primeira e logo aos 2 minutos Lucas Lima deixou Gabriel sozinho, de frente para o gol. Ele dominou, virou e bateu para mais uma admirável defesa de Fernando Prass. Mas, mais uma vez, o jogo poderia ter mudado a favor do Palmeiras logo depois. Dudu achou Barrios nas costas de David Braz. O paraguaio entrou na área e iria marcar o gol, mas foi calçado com falta na hora da finalização. Pênalti não marcado pelo árbitro paulista Luiz Flávio de Oliveira.

A partir daí a chuva caiu em Santos, deixando a bola mais lisa e o gramado mais pesado. O jogo, que já era demasiadamente tenso, ficou mais travado e até o árbitro precisou ser substituído - a partida passou a ser comandada por Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza. Dorival Júnior e Marcelo Oliveira mexeram nos times, cada um buscando seus objetivos - o clube alvinegro queria velocidade com Geuvânio, o alviverde buscava segurar a bola com Rafael Marques.

Em um lance de contra-ataque, Lucas fez a falta e levou cartão amarelo, que o tira da decisão no Allianz Parque - depois, em confusão com Lucas Lima, acabou sendo expulso. Pouco tempo depois, Ricardo Oliveira mais uma vez achou o espaço que queria. Com um passe perfeito, nas costas dos defensores, deixou Gabriel livre, mais uma vez, na frente de Fernando Prass. Desta vez, o atacante teve frieza para tocar firme no canto direito do goleiro do Palmeiras, decretando a vitória santista na primeira decisão da Copa do Brasil.

Aos 50 minutos, Nilson perdeu chance inacreditável, o chamado "gol do título" - sem goleiro, escorregou e chutou para fora. A taça da Copa do Brasil, que poderia ter sido definida a favor do Santos na Vila Belmiro, ainda não tem dono.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 x 0 PALMEIRAS

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia (Nilson), Renato e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel (Geuvânio), Ricardo Oliveira e Gabriel (Neto Berola). Técnico: Dorival Júnior.

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Vitor Hugo, Jackson e Zé Roberto; Matheus Sales (Amaral), Arouca e Robinho; Dudu, Gabriel Jesus (Kelvin) e Barrios (Rafael Marques). Técnico: Marcelo Oliveira.

GOL - Gabriel, aos 33 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Renato, Gabriel, Victor Ferraz e Ricardo Oliveira (Santos); Dudu, Fernando Prass, Matheus Sales, Arouca e Barrios (Palmeiras).

CARTÃO VERMELHO - Lucas (Palmeiras).

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira (Fifa/SP), substituído por Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP).

RENDA - R$ 1.631.560,00.

PÚBLICO - 14.116 pagantes.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;