Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Integrantes do MTST dizem ter sofrido ataque a tiros


Do Diário do Grande ABC

29/11/2008 | 07:04


A ocupação do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) na Rua Andirá, no Jardim Paranavaí, em Mauá, sofreu um ataque a tiros por volta das 23h de anteontem. No momento dos disparos cerca de 150 pessoas estavam no acampamento. Ninguém ficou ferido.

A coordenadora da invasão, Daniela Rodrigues Damasceno, estava dormindo no momento em que três ou quatro tiros foram ouvidos. "O pânico foi muito grande, não conseguimos enxergar quem atirou porque estava muito escuro, mas chamamos a polícia", disse. Uma viatura do 30º Batalhão da Polícia Militar atendeu a ocorrência.

O terreno, que foi invadido em 7 de novembro por 58 famílias, hoje tem cerca de 300. O MTST pretende negociar a desocupação do terreno público só em 2009, com o prefeito eleito Oswaldo Dias (PT).

O atual prefeito de Mauá, Leonel Damo (PV), tem se mostrado permissivo ao movimento e não pediu a reintegração da posse da área.
O último contato de Damo com os integrantes do movimento aconteceu no último dia 17, ocasião em que ele disse que só desalojaria as famílias mediante proposta real de moradia.

O MTST está programando uma comemoração de Natal e Ano-Novo no acampamento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Integrantes do MTST dizem ter sofrido ataque a tiros

Do Diário do Grande ABC

29/11/2008 | 07:04


A ocupação do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) na Rua Andirá, no Jardim Paranavaí, em Mauá, sofreu um ataque a tiros por volta das 23h de anteontem. No momento dos disparos cerca de 150 pessoas estavam no acampamento. Ninguém ficou ferido.

A coordenadora da invasão, Daniela Rodrigues Damasceno, estava dormindo no momento em que três ou quatro tiros foram ouvidos. "O pânico foi muito grande, não conseguimos enxergar quem atirou porque estava muito escuro, mas chamamos a polícia", disse. Uma viatura do 30º Batalhão da Polícia Militar atendeu a ocorrência.

O terreno, que foi invadido em 7 de novembro por 58 famílias, hoje tem cerca de 300. O MTST pretende negociar a desocupação do terreno público só em 2009, com o prefeito eleito Oswaldo Dias (PT).

O atual prefeito de Mauá, Leonel Damo (PV), tem se mostrado permissivo ao movimento e não pediu a reintegração da posse da área.
O último contato de Damo com os integrantes do movimento aconteceu no último dia 17, ocasião em que ele disse que só desalojaria as famílias mediante proposta real de moradia.

O MTST está programando uma comemoração de Natal e Ano-Novo no acampamento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;