Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Vereador depoe sobre supostos funcionários fantasmas na Anhembi


Do Diário do Grande ABC

27/07/1999 | 17:49


O vereador Alan Lopes (PPB) prestou depoimento nesta terça-feira ao delegado Itagiba Franco, que investiga a existência de funcionários fantasmas na Anhembi Eventos e Turismo. O parlamentar foi diretor de turismo no órgao de 1997 até novembro de 1998, quando assumiu sua vaga de suplente na Câmara Municipal. Ele foi nomeado para o cargo pelo prefeito Celso Pitta (sem partido).

Além de Lopes, o delegado Franco também ouvirá seu irmao e o filho, que também já trabalharam na Anhembi. Franco já ouviu uma irma de Lopes, que já foi empregada do órgao, e é suspeita de ter sido funcionária fantasma. "A irma já disse que nao exercia funçao nenhuma", disse o delegado. Até o momento, o delegado já ouviu mais de cem pessoas contratadas pela Anhembi. Do total, 43 sao ligadas a políticos e sao suspeitas de serem fantasmas.

"Há famílias inteiras engajadas na Anhembi", disse Franco. Um exemplo é a família do ex-deputado estadual Hanna Garib. Sua mulher, Valéria, o filho Ricardo e o cunhado Faris foram funcionários do órgao, mas sao suspeitos de nao terem exercido nenhuma funçao.

Pinheiros - Nesta terça-feira, a ex-chefe da unidade de fiscalizaçao da Administraçao Regional de Pinheiros, Maria Theresa Ferrari de Castro, prestou depoimento no Departamento de Investigaçoes e Registros Diversos (Dird). Ela era chefe de todos fiscais da regional, inclusive do ex-fiscal Marco Antonio Zeppini, suspeito de comandar um esquema de propinas na regional.

Maria Teresa é suspeita de participar do esquema. Segundo o promotor Roberto Porto, do Grupo de Atuaçao Especial e Repressao ao Crime Organizado (Gaecco), parte do dinheiro arrecadado de eventuais propinas eram destinados para Maria Theresa. As suspeitas partem das agendas apreendidas com Zeppini no início do ano. Nos valores anotados, parte seria destinado para "Ter", que a polícia e os promotores suspeitam que seja Maria Theresa.

A ex-chefe da unidade nao soube explicar o fato de Zeppini possuir uma sala própria na regional, apesar de ser um fiscal como os outros.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vereador depoe sobre supostos funcionários fantasmas na Anhembi

Do Diário do Grande ABC

27/07/1999 | 17:49


O vereador Alan Lopes (PPB) prestou depoimento nesta terça-feira ao delegado Itagiba Franco, que investiga a existência de funcionários fantasmas na Anhembi Eventos e Turismo. O parlamentar foi diretor de turismo no órgao de 1997 até novembro de 1998, quando assumiu sua vaga de suplente na Câmara Municipal. Ele foi nomeado para o cargo pelo prefeito Celso Pitta (sem partido).

Além de Lopes, o delegado Franco também ouvirá seu irmao e o filho, que também já trabalharam na Anhembi. Franco já ouviu uma irma de Lopes, que já foi empregada do órgao, e é suspeita de ter sido funcionária fantasma. "A irma já disse que nao exercia funçao nenhuma", disse o delegado. Até o momento, o delegado já ouviu mais de cem pessoas contratadas pela Anhembi. Do total, 43 sao ligadas a políticos e sao suspeitas de serem fantasmas.

"Há famílias inteiras engajadas na Anhembi", disse Franco. Um exemplo é a família do ex-deputado estadual Hanna Garib. Sua mulher, Valéria, o filho Ricardo e o cunhado Faris foram funcionários do órgao, mas sao suspeitos de nao terem exercido nenhuma funçao.

Pinheiros - Nesta terça-feira, a ex-chefe da unidade de fiscalizaçao da Administraçao Regional de Pinheiros, Maria Theresa Ferrari de Castro, prestou depoimento no Departamento de Investigaçoes e Registros Diversos (Dird). Ela era chefe de todos fiscais da regional, inclusive do ex-fiscal Marco Antonio Zeppini, suspeito de comandar um esquema de propinas na regional.

Maria Teresa é suspeita de participar do esquema. Segundo o promotor Roberto Porto, do Grupo de Atuaçao Especial e Repressao ao Crime Organizado (Gaecco), parte do dinheiro arrecadado de eventuais propinas eram destinados para Maria Theresa. As suspeitas partem das agendas apreendidas com Zeppini no início do ano. Nos valores anotados, parte seria destinado para "Ter", que a polícia e os promotores suspeitam que seja Maria Theresa.

A ex-chefe da unidade nao soube explicar o fato de Zeppini possuir uma sala própria na regional, apesar de ser um fiscal como os outros.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;