Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Água contaminada obriga fechamento de bica


Aline Mazzo
Especial para o Diário

16/08/2005 | 07:47


A canalização da bica que fica no km 38,5 da rodovia Índio Tibiriçá, na região do Parque Andreense, em Santo André, causou descontentamento geral dos usuários. A Prefeitura alega que a água está contaminada e imprópria para beber. Os moradores e comerciantes das proximidades – que utilizam a água da bica há anos – afirmam que nunca tiveram problemas de saúde e desconfiam de uma manobra da Prefeitura para que eles sejam obrigados a comprar água do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André).

A diretora de Meio Ambiente da Subprefeitura de Paranapiacaba e Parque Andreense, Patrícia Lorenz, explica que das 27 análises feitas nessa bica, 15 apontaram a presença de coliformes fecais. "Não podemos garantir a potabilidade da água de uma bica que fica exposta à beira de uma rodovia e ainda passa próximo a um estabelecimento comercial que possui fossa", argumenta Patrícia.

A diretora explica que em 2000 a Prefeitura colocou placas no local avisando que a água era imprópria para o consumo, mas em 2001 foi notificada pelo Ministério Público Estadual, que exigiu uma medida enérgica para cessar o consumo da água contaminada da bica. "Como a área é de responsabilidade do DER (Departamento de Estradas e Rodagens), precisamos negociar uma ação conjunta com eles para o fechamento, o que levou um tempo", fala Patrícia.

O DER informou que recentemente engenheiros da empresa tiveram uma reunião com técnicos da Prefeitura de Santo André, que pediam o fechamento da bica por problemas de contaminação da água. Prontamente a DER providenciou a canalização da bica.

Os moradores contestam a contaminação da água. "Eu e minha família bebemos essa água há mais de 30 anos e nunca tivemos nada. A Prefeitura está preocupada com a bica, mas as reclamações sobre falta de ônibus e canalização de esgoto que fizemos durante as reuniões do Orçamento Participativo desse ano ninguém deu atenção", reclama o aposentado Wilson Pereira Alvim, 64 anos. Já o comerciante Sérgio Rubens Guido, 53, arrisca uma justificativa para a canalização da bica. "Isso é uma manobra política para favorecer o Semasa. Agora teremos que comprar a água deles, que é de péssima qualidade", fala.

O departamento de Vigilância à Saúde da Prefeitura, informou que a Prefeitura cumpre a Resolução Estadual SS-65, de 12/04/2005, e a Portaria 518, de 25/03/2004, que estabelecem os procedimentos de responsabilidade relativos ao controle e vigilância da qualidade e potabilidade da água para consumo humano no Estado de São Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Água contaminada obriga fechamento de bica

Aline Mazzo
Especial para o Diário

16/08/2005 | 07:47


A canalização da bica que fica no km 38,5 da rodovia Índio Tibiriçá, na região do Parque Andreense, em Santo André, causou descontentamento geral dos usuários. A Prefeitura alega que a água está contaminada e imprópria para beber. Os moradores e comerciantes das proximidades – que utilizam a água da bica há anos – afirmam que nunca tiveram problemas de saúde e desconfiam de uma manobra da Prefeitura para que eles sejam obrigados a comprar água do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André).

A diretora de Meio Ambiente da Subprefeitura de Paranapiacaba e Parque Andreense, Patrícia Lorenz, explica que das 27 análises feitas nessa bica, 15 apontaram a presença de coliformes fecais. "Não podemos garantir a potabilidade da água de uma bica que fica exposta à beira de uma rodovia e ainda passa próximo a um estabelecimento comercial que possui fossa", argumenta Patrícia.

A diretora explica que em 2000 a Prefeitura colocou placas no local avisando que a água era imprópria para o consumo, mas em 2001 foi notificada pelo Ministério Público Estadual, que exigiu uma medida enérgica para cessar o consumo da água contaminada da bica. "Como a área é de responsabilidade do DER (Departamento de Estradas e Rodagens), precisamos negociar uma ação conjunta com eles para o fechamento, o que levou um tempo", fala Patrícia.

O DER informou que recentemente engenheiros da empresa tiveram uma reunião com técnicos da Prefeitura de Santo André, que pediam o fechamento da bica por problemas de contaminação da água. Prontamente a DER providenciou a canalização da bica.

Os moradores contestam a contaminação da água. "Eu e minha família bebemos essa água há mais de 30 anos e nunca tivemos nada. A Prefeitura está preocupada com a bica, mas as reclamações sobre falta de ônibus e canalização de esgoto que fizemos durante as reuniões do Orçamento Participativo desse ano ninguém deu atenção", reclama o aposentado Wilson Pereira Alvim, 64 anos. Já o comerciante Sérgio Rubens Guido, 53, arrisca uma justificativa para a canalização da bica. "Isso é uma manobra política para favorecer o Semasa. Agora teremos que comprar a água deles, que é de péssima qualidade", fala.

O departamento de Vigilância à Saúde da Prefeitura, informou que a Prefeitura cumpre a Resolução Estadual SS-65, de 12/04/2005, e a Portaria 518, de 25/03/2004, que estabelecem os procedimentos de responsabilidade relativos ao controle e vigilância da qualidade e potabilidade da água para consumo humano no Estado de São Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;