Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Separatistas atacam e matam em aldeia na Caxemira


Do Diário do Grande ABC

05/02/2000 | 13:41


Militantes separatistas atacaram uma aldeia no sul da Caxemira e mataram três membros de uma dizimada comunidade de hindus, onde a maioria dos habitantes tinha fugido para se salvar da revolta que já dura dezenas de anos, segundo a polícia.

Os assassinatos foram à noite em Telwani, a 260 quilômetros ao norte de Jammu, a capital da Caxemira.

Os militantes cercaram a aldeia e abriram fogo, abatendo dois homens e uma menina de 8 anos. Os policiais mantidos na localidade para garantir a segurança das seis famílias hindus que restavam em Telwani, responderam ao ataque, iniciando uma rápida troca de tiros. Os militantes, por fim, foram embora.

Um policial ficou gravemente ferido no tiroteio. Nao foram registradas baixas no lado dos rebeldes. Rapidamente, as autoridades enviaram reforços para a regiao, porém os soldados caíram numa emboscada dos militantes, segundo a polícia. Mas, nao houve mortes.

Após uma série de matanças tendo os hindu como alvo, o governo da Caxemira estabeleceu postos da polícia em todas as aldeias onde ainda existem hindus.

Segundo a polícia, a reaçao do grupo de segurança impediu uma carnificina.

Desde o início da revolta em 1989, a maioria das dezenas de milhares de hindus que vivem na Caxemira, tem abandonado o território, passando a viver como refugiados no norte da India.

Dezenas de grupos militantes combatem as tropas do governo com a finalidade de separar a Caxemira da India. Mais de 26 mil pessoas já morreram na última década no conflito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Separatistas atacam e matam em aldeia na Caxemira

Do Diário do Grande ABC

05/02/2000 | 13:41


Militantes separatistas atacaram uma aldeia no sul da Caxemira e mataram três membros de uma dizimada comunidade de hindus, onde a maioria dos habitantes tinha fugido para se salvar da revolta que já dura dezenas de anos, segundo a polícia.

Os assassinatos foram à noite em Telwani, a 260 quilômetros ao norte de Jammu, a capital da Caxemira.

Os militantes cercaram a aldeia e abriram fogo, abatendo dois homens e uma menina de 8 anos. Os policiais mantidos na localidade para garantir a segurança das seis famílias hindus que restavam em Telwani, responderam ao ataque, iniciando uma rápida troca de tiros. Os militantes, por fim, foram embora.

Um policial ficou gravemente ferido no tiroteio. Nao foram registradas baixas no lado dos rebeldes. Rapidamente, as autoridades enviaram reforços para a regiao, porém os soldados caíram numa emboscada dos militantes, segundo a polícia. Mas, nao houve mortes.

Após uma série de matanças tendo os hindu como alvo, o governo da Caxemira estabeleceu postos da polícia em todas as aldeias onde ainda existem hindus.

Segundo a polícia, a reaçao do grupo de segurança impediu uma carnificina.

Desde o início da revolta em 1989, a maioria das dezenas de milhares de hindus que vivem na Caxemira, tem abandonado o território, passando a viver como refugiados no norte da India.

Dezenas de grupos militantes combatem as tropas do governo com a finalidade de separar a Caxemira da India. Mais de 26 mil pessoas já morreram na última década no conflito.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;