Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Megaoperação nas favelas da Maré começa com dois mortos


Do Diário OnLine

18/07/2003 | 22:31


A megaoperação policial iniciada nesta sexta-feira nas 16 favelas que compõem o Complexo da Maré (zona Norte do Rio de Janeiro) já fez duas vítimas. A Secretaria de Segurança Pública do Estado pretende estender a operação por pelo menos dez dias, com o objetivo de combater o tráfico de drogas e diminuir os elevados índices de criminalidade da região. A Justiça do Rio concedeu um mandado de busca e apreensão coletivo, o que permite aos policiais entrar em toda e qualquer casa ou barraco suspeito.

As ações desta sexta-feira contaram com a presença de 936 policiais, sendo 600 agentes da Civil e 336 soldados dos mais diversos batalhões da Polícia Militar – até o helicóptero Águia, da PM, foi escalado para a missão. O tamanho da operação e o efetivo policial envolvido impressionaram os cariocas. O secretário de Segurança Pública do Estado, Anthony Garotinho, explicou que a operação na Maré inaugura uma nova filosofia de segurança no Rio. Ele avisou que o modelo será expandido para outras favelas - Vigário Geral e Parada de Lucas foram citadas como destinos prováveis para as próximas ações.

Garotinho, numa breve visita ao Complexo durante a tarde, afirmou que os moradores da Maré estão vibrando com a operação. Além de ser um dos pontos mais perigosos do Rio, o local escolhido vive hoje uma guerra entre traficantes de duas facções rivais, que disputam o domínio dos pontos de venda de drogas na região. As duas outras favelas citadas por Garotinho como alvos potenciais para megaoperações semelhantes também protagonizaram episódios de violência nesta semana – 11 pessoas morreram em disputas de traficantes.

Tiroteio - Os dois suspeitos mortos no primeiro dia de operação trocaram tiros com os policiais na favela Vila do João. Na casa onde estavam as vítimas, os soldados apreenderam um fuzil AK-47 de fabricação russa, uma pistola automática, duas granadas de uso exclusivo das Forças Armadas, munição, quatro radiotransmissores e uma farda camuflada, além de papelotes de cocaína.

As identidades das vítimas não foram divulgadas. Os dois homens foram apontados como integrantes da quadrilha do traficante Macumba, ligado à facção criminosa Terceiro Comando. Além dos dois mortos, um terceiro homem ficou ferido no tiroteio.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;