Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Peça 'Filoctetes' chega a Diadema


Gislaine Gutierre
Da Redaçao

04/06/2000 | 17:32


  A peça Filoctetes, espetáculo que conta com um elenco formado basicamente por atores de Diadema, faz uma pausa em sua temporada paulistana para ser encenada em programa único, nesta segunda, às 20h e com entrada franca, no Teatro Clara Nunes. Esta é a primeira montagem brasileira deste texto de Sófocles, um dos mais importantes autores do teatro grego (nasceu em 495 ou 497). A direçao é do premiado Zécarlos Andrade.

Apesar de escrita cinco séculos antes do nascimento de Cristo, Filoctetes discute temas que têm se revelado atuais ao longo da história: corrupçao e a falta de ética dos governantes, por exemplo. Aliás, foi este um dos motivos que incentivou Andrade a realizar a montagem. "Li esse texto na USP e gostei muito", conta.

A trama se passa em uma ilha, onde Filoctetes (Luiz Nunes) permaneceu abandonado pelos gregos liderados por Odisseu (Atílio Bari) ao longo de dez anos. Passado esse tempo, os seus antigos colegas de batalha voltam ao lugar para buscá-lo.

Eles precisam que Filoctetes ingresse na luta contra Tróia. Segundo um importante adivinho, a vitória só seria possível se ele empunhasse, na guerra, as armas sagradas deixadas por Hércules sob seus cuidados.

Por isso, Odisseu pede a Neoptólemo (Wilson Juliao) que o convença pela força das palavras, verdadeiras ou nao. É a partir desse ponto que a peça traz à tona a questao da ética.

O maior mérito desta montagem cabe a Andrade. Calcado no bom senso e na sua bagagem profissional, ele criou um espetáculo envolvente, belo e de fácil entendimento. Além disso, soube equilibrar, no palco, a atuaçao dos atores principais - e portanto, mais experientes - com a dos novatos egressos das oficinas de teatro da cidade.

O resultado é, por isso, muito harmonioso. E cabe destacar também a ótima atuaçao do elenco principal, sobretudo de Luiz Nunes. O ator André Latorre, que interpreta Corifeu, é uma boa surpresa da montagem. Filoctetes voltará à regiao no dia 7 para uma apresentaçao em Sao Bernardo, no Teatro Lauro Gomes. Depois, prossegue com sua temporada normal no Teatro Fernando de Azevedo, em Sao Paulo, até o dia 30 deste mês.

Filoctetes - Dir.: Zécarlos de Andrade. Com Luiz Nunes, Atílio Bari, Wilson Juliao, André Latorrre. Segunda, às 20h. No Teatro Clara Nunes - r. Graciosa, 300. Tel.: 713-3983. Entrada franca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Peça 'Filoctetes' chega a Diadema

Gislaine Gutierre
Da Redaçao

04/06/2000 | 17:32


  A peça Filoctetes, espetáculo que conta com um elenco formado basicamente por atores de Diadema, faz uma pausa em sua temporada paulistana para ser encenada em programa único, nesta segunda, às 20h e com entrada franca, no Teatro Clara Nunes. Esta é a primeira montagem brasileira deste texto de Sófocles, um dos mais importantes autores do teatro grego (nasceu em 495 ou 497). A direçao é do premiado Zécarlos Andrade.

Apesar de escrita cinco séculos antes do nascimento de Cristo, Filoctetes discute temas que têm se revelado atuais ao longo da história: corrupçao e a falta de ética dos governantes, por exemplo. Aliás, foi este um dos motivos que incentivou Andrade a realizar a montagem. "Li esse texto na USP e gostei muito", conta.

A trama se passa em uma ilha, onde Filoctetes (Luiz Nunes) permaneceu abandonado pelos gregos liderados por Odisseu (Atílio Bari) ao longo de dez anos. Passado esse tempo, os seus antigos colegas de batalha voltam ao lugar para buscá-lo.

Eles precisam que Filoctetes ingresse na luta contra Tróia. Segundo um importante adivinho, a vitória só seria possível se ele empunhasse, na guerra, as armas sagradas deixadas por Hércules sob seus cuidados.

Por isso, Odisseu pede a Neoptólemo (Wilson Juliao) que o convença pela força das palavras, verdadeiras ou nao. É a partir desse ponto que a peça traz à tona a questao da ética.

O maior mérito desta montagem cabe a Andrade. Calcado no bom senso e na sua bagagem profissional, ele criou um espetáculo envolvente, belo e de fácil entendimento. Além disso, soube equilibrar, no palco, a atuaçao dos atores principais - e portanto, mais experientes - com a dos novatos egressos das oficinas de teatro da cidade.

O resultado é, por isso, muito harmonioso. E cabe destacar também a ótima atuaçao do elenco principal, sobretudo de Luiz Nunes. O ator André Latorre, que interpreta Corifeu, é uma boa surpresa da montagem. Filoctetes voltará à regiao no dia 7 para uma apresentaçao em Sao Bernardo, no Teatro Lauro Gomes. Depois, prossegue com sua temporada normal no Teatro Fernando de Azevedo, em Sao Paulo, até o dia 30 deste mês.

Filoctetes - Dir.: Zécarlos de Andrade. Com Luiz Nunes, Atílio Bari, Wilson Juliao, André Latorrre. Segunda, às 20h. No Teatro Clara Nunes - r. Graciosa, 300. Tel.: 713-3983. Entrada franca.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;