Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Momentos iniciais do Estádio Bruno Daniel

14 de dezembro de 1969. Inauguração do Estádio Municipal de Santo André, que depois receberia o nome de Estádio Bruno Daniel


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

03/01/2010 | 00:00


14 de dezembro de 1969. Inauguração do Estádio Municipal de Santo André, que depois receberia o nome de Estádio Bruno Daniel. Uma história que completou 40 anos e que está bem viva entre os torcedores mais fiéis.

Israel Cirlinas, médico e pesquisador da memória, cita o nome completo de Chicão: Francisco Lasso de La Veja Filho. Foi ele, envergando a camisa do Humaitá, quem deu o passe para o primeiro gol no estádio, na preliminar, marcado por João Carlos: Humaitá 1, Vila Bela 0. Cirlinas e Chicão (ou Chiquinho) fizeram o ginásio juntos.

Chicão frequenta o salão Equipe 5 Cabeleireiros. Ali participou de alegre bate-papo para relembrar os fatos da inauguração do Bruno Daniel. E Memória retorna ao assunto para cumprir promessa que fizemos a Eduardo Aguilar, da Equipe 5, de levantar o número maior possível de dados sobre a inauguração do estádio.



Este menino esteve lá
Texto: Plínio César Ribeiro
Manoel Ribeiro, meu pai, me levou à inauguração do Estádio Municipal de Santo André, hoje Bruno Daniel, em 14 de dezembro de 1969. Eu tinha 9 anos e foi o primeiro de uma série de jogos que acompanhamos juntos. Naquele jogo, o Santo André FC, hoje EC, recebeu o Palmeiras, meu time do coração.

Sentamos no alto das cadeiras atuais (centrais), na frente das cabines de transmissão das rádios. Naquele tempo só existiam as numeradas. Já havia a marquise com as torres de iluminação, mas não se realizavam jogos à noite, pois a iluminação não era suficiente.

A Avenida Mario Toledo de Camargo não existia e no local havia uma faixa de terra que servia de estacionamento.

No amistoso inaugural do estádio, o Palmeiras jogou com um time misto e ganhou de 4 a 0. Lembro de dois nomes: Chicão (goleiro) e o ponta-direita Copeu. Lembro também da preliminar e da vitória do Humaitá, quando foi marcado o primeiro gol do estádio.

PRELIMINAR
SE Humaitá 1, EC Vila Bela 0
Data: 14-12-1969
Jogo: amistoso que inaugurou o Estádio Bruno Daniel.
Humaitá: Cláudio, Roberto, Mustafá, Gilberto e Didi; Chicão e Liminha; Zoinho, João Carlos, Cabeção e Manoel José.
Vila Bela: Vitinho, Dadinho, Babalu, Zé Maria (Zé Carlos) e Piefer; Vaci e Costinha; Titi, Bule, Zito (Paulão) e Domis.

Árbitro: José Francisco Alves, auxiliado por João Ferreira Cavadinha e José Carlos Lopes.
Primeiro tempo: 1 a 0 para o Humaitá, gol assinalado por João Carlos aos 11 minutos.

PARTIDA PRINCIPAL
Santo André FC 0, SE Palmeiras 4
Data: 14-12-1969
Jogo: amistoso.
Santo André: Clovis, Luizinho, Juba (Moacir), Cite e Shell (Alberto); Moacir (Mário) e Enir; Roney, Mário (Jandaia), Sapito (Marco Antonio) e Estefano.
Palmeiras: Chicão (Bernardino), Neves (Robertinho), Luiz Pereira Chevrolet, Giba e Dé (Nelson); Zé Carlos (Pedrinho) e Alfredo; Copeu (Cassiano), Cabralzinho (China), Wagner (Nei) e Marco Antonio (Pasternak).
Gols: no primeiro tempo, Wagner, aos 18 minutos; no segundo tempo: Wagner, aos 2 minutos; Nei, aos 32; e Pasternak, argentino, aos 43.
Árbitro: Dulcídio Vanderlei Boschilla, auxiliado por João Izidio da Silva e Jurandir Vicente.

Renda: NCr$ 13.185,00.
Público: 3.034 pagantes.
Nota: O estádio estava literalmente tomado, o que equivale dizer que muitos penetras conseguiram adentrar graciosamente.
FONTE: DIÁRIO, 16-12-1969.

Um jogo, uma transmissão
Mensagem enviada pelo jornalista Oswaldo Lavrado, ex-Diário (rádio e jornal): "Veja o patrocínio, há 30 anos a Casas Bahia já patrocinava o esporte da Diário. A rádio foi a primeira emissora a receber anúncio especifico de programação da Casas Bahia. Na época o gerente de marketing e publicidade era o João Elias".

Newseller

Domingo, 3 de janeiro de 1960

Manchete - Prefeitura de Santo André deixa o funcionalismo sem pagamento.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Quinta-feira, 3 de janeiro de 1980

Destaque - Barracas da estação de Santo André são retiradas.

Trabalhadores

FONTE: SQABC
Nascem em 3 de janeiro:
1 - Waldemar Moreira Andrade, 1918. Itaiandu (MG). Tintureiro da Zarzur.

2 - Julio Somenzari, 1920. Paulicéia (SP). Auxiliar de escritório da Rhodia Química.

3 - Vicente Gaiatto. 1921. Cerquilho (SP). Ajudante de mecânico da CBC.

4 - Benvindo Maso. 1926. São Bernardo. Mecânico da Rhodia.

HOJE
Dia da Liberdade de
Culto
Dia da Gratidão



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Momentos iniciais do Estádio Bruno Daniel

14 de dezembro de 1969. Inauguração do Estádio Municipal de Santo André, que depois receberia o nome de Estádio Bruno Daniel

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

03/01/2010 | 00:00


14 de dezembro de 1969. Inauguração do Estádio Municipal de Santo André, que depois receberia o nome de Estádio Bruno Daniel. Uma história que completou 40 anos e que está bem viva entre os torcedores mais fiéis.

Israel Cirlinas, médico e pesquisador da memória, cita o nome completo de Chicão: Francisco Lasso de La Veja Filho. Foi ele, envergando a camisa do Humaitá, quem deu o passe para o primeiro gol no estádio, na preliminar, marcado por João Carlos: Humaitá 1, Vila Bela 0. Cirlinas e Chicão (ou Chiquinho) fizeram o ginásio juntos.

Chicão frequenta o salão Equipe 5 Cabeleireiros. Ali participou de alegre bate-papo para relembrar os fatos da inauguração do Bruno Daniel. E Memória retorna ao assunto para cumprir promessa que fizemos a Eduardo Aguilar, da Equipe 5, de levantar o número maior possível de dados sobre a inauguração do estádio.



Este menino esteve lá
Texto: Plínio César Ribeiro
Manoel Ribeiro, meu pai, me levou à inauguração do Estádio Municipal de Santo André, hoje Bruno Daniel, em 14 de dezembro de 1969. Eu tinha 9 anos e foi o primeiro de uma série de jogos que acompanhamos juntos. Naquele jogo, o Santo André FC, hoje EC, recebeu o Palmeiras, meu time do coração.

Sentamos no alto das cadeiras atuais (centrais), na frente das cabines de transmissão das rádios. Naquele tempo só existiam as numeradas. Já havia a marquise com as torres de iluminação, mas não se realizavam jogos à noite, pois a iluminação não era suficiente.

A Avenida Mario Toledo de Camargo não existia e no local havia uma faixa de terra que servia de estacionamento.

No amistoso inaugural do estádio, o Palmeiras jogou com um time misto e ganhou de 4 a 0. Lembro de dois nomes: Chicão (goleiro) e o ponta-direita Copeu. Lembro também da preliminar e da vitória do Humaitá, quando foi marcado o primeiro gol do estádio.

PRELIMINAR
SE Humaitá 1, EC Vila Bela 0
Data: 14-12-1969
Jogo: amistoso que inaugurou o Estádio Bruno Daniel.
Humaitá: Cláudio, Roberto, Mustafá, Gilberto e Didi; Chicão e Liminha; Zoinho, João Carlos, Cabeção e Manoel José.
Vila Bela: Vitinho, Dadinho, Babalu, Zé Maria (Zé Carlos) e Piefer; Vaci e Costinha; Titi, Bule, Zito (Paulão) e Domis.

Árbitro: José Francisco Alves, auxiliado por João Ferreira Cavadinha e José Carlos Lopes.
Primeiro tempo: 1 a 0 para o Humaitá, gol assinalado por João Carlos aos 11 minutos.

PARTIDA PRINCIPAL
Santo André FC 0, SE Palmeiras 4
Data: 14-12-1969
Jogo: amistoso.
Santo André: Clovis, Luizinho, Juba (Moacir), Cite e Shell (Alberto); Moacir (Mário) e Enir; Roney, Mário (Jandaia), Sapito (Marco Antonio) e Estefano.
Palmeiras: Chicão (Bernardino), Neves (Robertinho), Luiz Pereira Chevrolet, Giba e Dé (Nelson); Zé Carlos (Pedrinho) e Alfredo; Copeu (Cassiano), Cabralzinho (China), Wagner (Nei) e Marco Antonio (Pasternak).
Gols: no primeiro tempo, Wagner, aos 18 minutos; no segundo tempo: Wagner, aos 2 minutos; Nei, aos 32; e Pasternak, argentino, aos 43.
Árbitro: Dulcídio Vanderlei Boschilla, auxiliado por João Izidio da Silva e Jurandir Vicente.

Renda: NCr$ 13.185,00.
Público: 3.034 pagantes.
Nota: O estádio estava literalmente tomado, o que equivale dizer que muitos penetras conseguiram adentrar graciosamente.
FONTE: DIÁRIO, 16-12-1969.

Um jogo, uma transmissão
Mensagem enviada pelo jornalista Oswaldo Lavrado, ex-Diário (rádio e jornal): "Veja o patrocínio, há 30 anos a Casas Bahia já patrocinava o esporte da Diário. A rádio foi a primeira emissora a receber anúncio especifico de programação da Casas Bahia. Na época o gerente de marketing e publicidade era o João Elias".

Newseller

Domingo, 3 de janeiro de 1960

Manchete - Prefeitura de Santo André deixa o funcionalismo sem pagamento.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Quinta-feira, 3 de janeiro de 1980

Destaque - Barracas da estação de Santo André são retiradas.

Trabalhadores

FONTE: SQABC
Nascem em 3 de janeiro:
1 - Waldemar Moreira Andrade, 1918. Itaiandu (MG). Tintureiro da Zarzur.

2 - Julio Somenzari, 1920. Paulicéia (SP). Auxiliar de escritório da Rhodia Química.

3 - Vicente Gaiatto. 1921. Cerquilho (SP). Ajudante de mecânico da CBC.

4 - Benvindo Maso. 1926. São Bernardo. Mecânico da Rhodia.

HOJE
Dia da Liberdade de
Culto
Dia da Gratidão

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;