Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 26 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Museu do Trabalho motiva protestos contra e a favor

Vereadores da base abraçam equipamento e criticam corrupção; PT faz ato sem políticos da sigla


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

14/12/2017 | 07:00


Um ano após a deflagração da Operação Hefesta, que detectou desvios de verbas na construção do Museu do Trabalho e do Trabalhador, em São Bernardo, o centro político da cidade foi alvo de duas manifestações simultâneas sobre o episódio: uma governista e outra de oposição.

No caso da base de apoio do prefeito Orlando Morando (PSDB), a opção foi de ir até o local onde se localiza o equipamento, no Centro, e efetuar um abraço coletivo. O evento contou com a presença de diversos vereadores e apoiadores do governo.

Para o parlamentar Fran Silva (SD), um dos participantes do ato, a intenção foi protestar contra a corrupção. “Fiz um discurso na tribuna e tive a ideia de convocar as pessoas que de alguma forma se sentem prejudicadas. Foi um gesto contra a corrupção”, definiu.

Durante a sessão de ontem, o munícipe Marcelo Sarti, que entrou com representação contra o contrato do museu baseada em reportagem do Diário, também discursou na Câmara.

Já o ato do PT contou com menos adesão – nenhum vereador petista participou – e foi liderado pelo ex-parlamentar Zé Ferreira (PT). Apesar de negar o tom político da manifestação, o petista admitiu que o encontro dos dois lados, no acesso ao Paço, pode motivar discussões.

“Eles fizeram um ato contra a corrupção, mas o governo tem casos. Só achei estranho terem barrado o nosso pessoal e liberado o deles. Também não sei se o ato do governo estava programado, mas marcamos nossa posição”, prosseguiu o ex-vereador.

A justificativa oficial para o protesto foi o apoio a moradores da Vila Moraes, que alegam risco de despejo.

A manifestação da oposição contou ainda com a presença do presidente municipal do PT, Brás Marinho – irmão do ex-prefeito Luiz Marinho, idealizador do museu e réu por suspeita de desvios –, do militante e ex-mandatário da sigla Wanderley Salatiel, de Rozane Sena, a Zaninha, que é mulher de Zé Ferreira, e também do presidente do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos), José Rubem.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;