Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Pacientes ficam sem
remédio no Nardini

Alguns pacientes estão há cerca de uma semana em macas,
aguardando liberação ou transferência para outros hospitais


Andressa Dantas
Especial para o Diário

08/12/2012 | 07:00


Familiares e pacientes internados no Hospital de Clínicas Doutor Radamés Nardini, em Mauá, denunciam as condições precárias de atendimento na unidade de Saúde do município. De acordo com os relatos ouvidos pela equipe do Diário, não há medicamentos nem leitos para internação. Alguns pacientes estão há cerca de uma semana em macas, aguardando a liberação de quartos ou transferência para outros hospitais da região, já que precisam de cirurgias.

É o caso do operador de máquinas Fabiano Júnior da Silva, 32 anos. No domingo, ele sofreu acidente de moto e quebrou a clavícula. A tia de Silva, Cleide Aparecida Coradette, 52, afirma que o rapaz ficou em uma maca no corredor do hospital por cinco dias. "Apenas na quinta-feira à noite transferiram meu sobrinho para uma sala de emergência com outros pacientes. Ele continua sem tratamento, sem cirurgia e deitado na mesma maca. Os próprios enfermeiros que trabalham no hospital dizem que não têm como administrar remédios para conter a dor porque estão em falta no estoque."

A mulher do operador de máquinas, Thaiara Coradette de Almeida, 23, está indignada com a falta de qualidade no atendimento prestado pelo hospital. "É um desrespeito. Ele só recebeu medicamento na quinta-feira à noite, e está com dores fortes. Até tipoia para segurar o braço não tem no hospital, tivemos que comprar nós mesmos em uma casa de produtos ortopédicos aqui perto. Uma enfermeira me disse que um dos médicos quer abrir boletim de ocorrência contra a falta de estrutura de atendimento da unidade."

O quarto coletivo onde Silva está internado com mais quatro pacientes possui apenas um banheiro e uma pequena janela. "Com o calor que está fazendo, a coisa fica ainda pior. Não há ventilação e o hospital não tem lençóis para trocar as camas. Esse que estou usando foi minha esposa quem trouxe. Não sei até quando essa situação vai ficar assim", reclamou Silva.

MAIS CASOS
A falta de medicamento e atendimento adequado no Hospital Nardini também afetou Benjamim Fernandes dos Santos, 86. "Meu avô foi internado na quarta-feira com problemas vasculares. Apenas na quinta à noite enviaram o aviso aos médicos. Ele só foi atendido hoje (ontem) pela manhã", afirmou a neta do paciente, Ariane dos Santos Balu, 25. Ela disse ainda que ouviu relatos de vários familiares de pessoas internadas na unidade que tiveram de sair para comprar material para trocar os curativos dos pacientes. "O hospital diz não ter itens básicos necessários para realizar atendimentos de enfermagem. Vimos até baratas dentro dos quartos, a situação está horrível."

O hospital negou as denúncias e informou que há medicamento para atender todo o tipo de caso. Ainda conforme a nota, o paciente Fabiano Júnior da Silva seria transferido para um quarto ontem para aguardar a liberação de vaga para cirurgia em um dos dois hospitais estaduais da região (Mário Covas, em Santo André, ou Serraria, em Diadema).

Até a noite de ontem, porém, o rapaz continuava no quarto improvisado.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;