Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Caetano encerra
programa Sancabike

Andrea Iseki/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sistema de aluguel de bicicletas foi finalizado
depois do contrato ser questionado pelo TCE


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

17/07/2013 | 07:00


Por problemas contratuais, a Prefeitura de São Caetano encerrou o programa Sancabike, que emprestava bicicletas gratuitamente a usuários cadastrados. O serviço, que durou pouco mais de seis meses, chegou a oferecer 100 veículos em nove pontos de apoio espalhados pela cidade.

O contrato com a empresa Brasil e Movimento foi assinado pela administração em setembro e era válido por seis meses. Após a documentação ter sido alvo de questionamentos por parte do TCE (Tribunal de Contas do Estado), a Secretaria de Mobilidade Urbana optou por não renovar o serviço. “Na época da licitação, uma das concorrentes fez representação para tentar suspender a empresa vencedora. Para que não assumíssemos a possibilidade de, lá na frente, o contrato ser reconhecido como nulo, achamos melhor descontinuar”, explica o diretor de Transportes da Prefeitura, Moacir Guirão Júnior, que não detalhou quais foram os problemas apresentados.

Segundo Guirão Júnior, o município não tinha gastos com a manutenção do programa. “Nós apenas fornecíamos os espaços para que eles se instalassem.” O diretor explica que, apesar de o contrato ter vencido em março, o serviço só parou completamente de funcionar em abril. “Fizemos a notificação à empresa por duas vezes para que interrompessem as atividades.”

A equipe do Diário percorreu na tarde de ontem seis pontos que funcionavam como bases do Sancabike. No Terminal Rodoviário Nicolau Delic e no Parque Chico Mendes ainda estavam instaladas as plataformas, mas sem quaisquer materiais publicitários do programa. No posto próximo à Prefeitura, inclusive, duas bicicletas ainda estavam estacionadas. Os veículos apresentavam mau estado de conservação – sem freios traseiros e tomados por ferrugem. Nos demais locais percorridos, os materiais já haviam sido retirados. No entanto, foram deixados para trás parafusos e restos de fiações.

“Foi feita grande campanha de divulgação e depois simplesmente retiram. Bastante gente usava. Era um serviço que funcionava”, lamenta o jornaleiro Delfino Dias de Góes, 56 anos. O ajudante de pedreiro Paulo Henrique Oliveira, 18, também demonstrou insatisfação ao receber a notícia sobre o fim do Sancabike. “Era mais barato e saudável do que pegar ônibus. Isso deveria ser mantido.”

O diretor de Transportes afirma que a cidade irá aguardar até que o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC faça contratação de programa semelhante para toda a região. Caso isso não ocorra até setembro, a Prefeitura irá contratar por conta própria. Guirão Júnior espera que o sistema seja retomado até o início do ano.

O Sancabike registrava média mensal de 2.000 a 2.500 empréstimos. O cadastro era feito pela internet, e o interessado precisava pagar caução de R$ 10 por boleto bancário ou cartão de crédito. Outra taxa necessária era a de R$ 5, referente ao seguro. A bicicleta podia ser retirada até seis vezes ao dia, em períodos de, no máximo, 45 minutos. A empresa Brasil e Movimento foi procurada, mas não se manifestou.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Caetano encerra
programa Sancabike

Sistema de aluguel de bicicletas foi finalizado
depois do contrato ser questionado pelo TCE

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

17/07/2013 | 07:00


Por problemas contratuais, a Prefeitura de São Caetano encerrou o programa Sancabike, que emprestava bicicletas gratuitamente a usuários cadastrados. O serviço, que durou pouco mais de seis meses, chegou a oferecer 100 veículos em nove pontos de apoio espalhados pela cidade.

O contrato com a empresa Brasil e Movimento foi assinado pela administração em setembro e era válido por seis meses. Após a documentação ter sido alvo de questionamentos por parte do TCE (Tribunal de Contas do Estado), a Secretaria de Mobilidade Urbana optou por não renovar o serviço. “Na época da licitação, uma das concorrentes fez representação para tentar suspender a empresa vencedora. Para que não assumíssemos a possibilidade de, lá na frente, o contrato ser reconhecido como nulo, achamos melhor descontinuar”, explica o diretor de Transportes da Prefeitura, Moacir Guirão Júnior, que não detalhou quais foram os problemas apresentados.

Segundo Guirão Júnior, o município não tinha gastos com a manutenção do programa. “Nós apenas fornecíamos os espaços para que eles se instalassem.” O diretor explica que, apesar de o contrato ter vencido em março, o serviço só parou completamente de funcionar em abril. “Fizemos a notificação à empresa por duas vezes para que interrompessem as atividades.”

A equipe do Diário percorreu na tarde de ontem seis pontos que funcionavam como bases do Sancabike. No Terminal Rodoviário Nicolau Delic e no Parque Chico Mendes ainda estavam instaladas as plataformas, mas sem quaisquer materiais publicitários do programa. No posto próximo à Prefeitura, inclusive, duas bicicletas ainda estavam estacionadas. Os veículos apresentavam mau estado de conservação – sem freios traseiros e tomados por ferrugem. Nos demais locais percorridos, os materiais já haviam sido retirados. No entanto, foram deixados para trás parafusos e restos de fiações.

“Foi feita grande campanha de divulgação e depois simplesmente retiram. Bastante gente usava. Era um serviço que funcionava”, lamenta o jornaleiro Delfino Dias de Góes, 56 anos. O ajudante de pedreiro Paulo Henrique Oliveira, 18, também demonstrou insatisfação ao receber a notícia sobre o fim do Sancabike. “Era mais barato e saudável do que pegar ônibus. Isso deveria ser mantido.”

O diretor de Transportes afirma que a cidade irá aguardar até que o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC faça contratação de programa semelhante para toda a região. Caso isso não ocorra até setembro, a Prefeitura irá contratar por conta própria. Guirão Júnior espera que o sistema seja retomado até o início do ano.

O Sancabike registrava média mensal de 2.000 a 2.500 empréstimos. O cadastro era feito pela internet, e o interessado precisava pagar caução de R$ 10 por boleto bancário ou cartão de crédito. Outra taxa necessária era a de R$ 5, referente ao seguro. A bicicleta podia ser retirada até seis vezes ao dia, em períodos de, no máximo, 45 minutos. A empresa Brasil e Movimento foi procurada, mas não se manifestou.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;