Cultura & Lazer Titulo Literatura
Memórias no Grande ABC inspiram HQ Superpunk

Quadrinista da região promove lançamento de obra que mistura aventura, sobrenatural, humor e punk rock

Jaque Corrêa
Especial para o Diário
10/07/2024 | 20:49
Compartilhar notícia
FOTO: André Henriques/DGABC


Guilherme Petreca, 33 anos, é um renomado quadrinista morador do Grande ABC e está pronto para cativar o público com sua mais recente obra, intitulada Superpunk. Ambientado em um cenário repleto de mistério e adrenalina, o quadrinho narra a história de Violeta, uma adolescente de 13 anos que vive na periferia e se transforma ao descobrir poderes especiais após tocar uma fita cassete ao contrário. E ao lado de seu parceiro investigador Alan, Violeta, agora conhecida como Superpunk, enfrenta desafios sobrenaturais enquanto equilibra sua vida como estudante e skatista.

A trama, que combina elementos de aventura sobrenatural com diálogos engraçados e uma trilha sonora punk rock, tem como pano de fundo o Grande ABC, proporcionando um toque de autenticidade local à narrativa. Petreca, que trabalha com ilustrações há 17 anos, nasceu em São Bernardo, cresceu em Santo André, atualmente mora em São Caetano, e conta em ao Diário sobre a influência da região em seu trabalho. “Tem um quadrinho meu de 2016 chamado Ye que narra a história de um personagem que fica amaldiçoado e tem de ir para um local procurar uma bruxa que vai ajudá-lo a se curar. Esse lugar onde a bruxa mora é totalmente inspirado em Paranapiacaba. Eu queria que tivesse uma cara meio europeia, e eu acho a arquitetura de lá muito rica, muito bonita e me inspirei bastante”, explica o ilustrador. 

Sobre Superpunk, Guilherme cita os principais locais que usou como referência para a ambientação do quadrinho. “Há algumas cenas que eu homenageio diretamente, tipo a escola que estudei em São Bernardo, a ETE que estudei em Santo André, além da loja de música, que no quadrinho se chama Mãe da Banda, por causa de uma loja que tinha na Avenida Pereira Barreto, chamada Pai da Banda, o lugar onde eu comprei minha primeira guitarra nos anos 1990”, revela o artista. “Superpunk tem bastante inspiração na questão das pichações também. Santo André e São Bernardo, nos anos 2000, tinham muito grafite. Eu era pivetinho, mas ficava fascinado. Então, acho que é uma influência bem forte, mais do que eu até tinha noção”.

Guilherme Petreca, cujo trabalho inclui outras obras premiadas como Ye e Shamisen, une forças com a roteirista Mirtes Santana, conhecida por seu trabalho em séries televisivas aclamadas, para criar uma história que ressoa com os leitores de todas as idades. A arte de Petreca e a narrativa de Mirtes prometem transportar os leitores para um universo repleto de nostalgia, amizade e empoderamento feminino.

Publicado inicialmente como um zine em 2017, o quadrinho é uma obra repleta de referências musicais, visuais e resgata os elementos favoritos de diversas gerações: seja a nostalgia musical em que os perrengues com fita-cassete e vinil são uma realidade distante de quem vive conectado com plataformas de streaming de música; ou pelos temas universais da adolescência, como amizades inesperadas e crescimento.

O lançamento, pela renomada editora Pipoca&Nanquim, inicialmente em pré-venda na Amazon, que ocorreu em 14 de junho, registrou uma resposta entusiástica, com mais de 500 cópias vendidas até o momento. No domingo (14), os exemplares começam a ser entregues. O evento de lançamento oficial está agendado para os dias 27 e 28 deste mês, na Fábrica de Cultura de Diadema, em colaboração com a Perifacon, prometendo uma celebração vibrante da cultura local e da criatividade dos quadrinhos. 




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;