Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Concurso público de Sto.André tem suspeita de fraude


Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

08/05/2006 | 07:57


A abertura antecipada de um envelope com provas do concurso público da Prefeitura de Santo André realizado domingo levantou uma suspeita de fraude. Quatro pessoas que estavam na sala onde o envelope foi violado se recusaram a continuar participando da seleção, alegando que o concurso havia sido “vendido”. O caso foi parar na delegacia, onde foi registrado um boletim de ocorrência por fraude.

A Fundação Santo André, entidade organizadora do concurso para a contratação de 271 funcionários públicos, nega a acusação. O secretário de Assuntos Jurídicos da universidade, o advogado Carlos Alberto Nunes Barbosa, admitiu que um dos envelopes onde as provas estavam guardadas foi violado antes do início da aplicação do exame, mas atribuiu o incidente a um “equívoco” da funcionária responsável pela aplicação dos testes na sala 11 do anexo 2 da Fundação Santo André. Ao invés de abrir o envelope onde estavam as etiquetas para identificar a mesa em que cada candidato faria sua prova, ela teria rasgado o envelope onde estavam os testes.

O incidente teria ocorrido cerca de 40 minutos antes da abertura dos portões para os candidatos, o que se deu por volta das 8h. Segundo as pessoas que deixaram de fazer a prova após perceberem a irregularidade, o envelope aberto antes da hora estava preso com fitas adesivas improvisadas quando os candidatos entraram na sala. Quando questionaram a aplicadora da prova sobre o que havia ocorrido, ela teria dito que o envelope abriu sozinho no transporte entre a Prefeitura de Santo André e a Fundação. Pressionada pelos candidatos, mudou a versão e disse que rasgou por engano, pensando ser o envelope das etiquetas.

O temor dos candidatos era de que as perguntas do concurso público tivessem vazado antes do início das provas, favorecendo algumas pessoas. Segundo a Fundação Santo André, a hipótese está descartada. A coordenação do concurso informou que logo após ter se dado conta do equívoco, a mulher teria levado o envelope para o seu coordenador. O funcionário, que assim como a aplicadora teve a identidade preservada, teria sugerido o fechamento do envelope com fita adesiva, sem comprometer a distribuição das provas na sala.

A Fundação Santo André descartou a possibilidade de anulação do concurso público por conta do incidente. Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Santo André disse que só se pronunciaria sobre o caso nesta segunda-feira, após reunião entre os funcionários da administração responsáveis pelas contratações e representantes da Fundação. No boletim de ocorrência registrado no 4º DP, a aplicadora da prova consta como averiguada. Nesta segunda-feira, o delegado titular do distrito deve decidir se irá ou não instaurar inquérito para apurar o caso.

Cerca de 20 mil pessoas participaram do concurso público para contratação de 271 funcionários para a Prefeitura de Santo André. No total, são 105 carreiras, entre elas guardas civis municipais e médicos de diversas especialidades. Os quatro candidatos que deixaram a sala em protesto concorriam para o cargo de motorista.

Os salários dos cargos variam entre R$ 554,14 e R$ 2.552,13 para jornadas de 20 horas a 40 horas. Para algumas carreiras serão aplicadas outras duas baterias de testes. O concurso terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado por outros dois. No dia 13, será divulgado o gabarito e a publicação dos resultados da primeira fase.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;