Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Ibovespa sobe e tenta retomar 107 mil pontos com redução da queda em NY



19/05/2022 | 11:22


O Ibovespa tenta retomar a marca dos 107 mil pontos, quando a máxima mais cedo atingiu 107.033,14 pontos (alta de 0,74%), na esteira da redução da queda em Nova York. Com isso, tenta apagar parte da queda de mais de 2% da véspera.

Apesar da diminuição do ritmo, contudo, prevalece o recuo lá fora. "Nada mudou no cenário. Há muita incerteza em relação à China, que segue com sua política de covid-zero, fechando alguns territórios, inclusive de cidades portuárias, o que acaba elevando os problemas logísticos. Claro, isso gera mais inflação", avalia Eduardo Telles, especialista em renda variável da Blue3.

Segundo Telles, a direção oposto do índice Bovespa ante Nova York reflete em parte o fato de o indicador ter sofrido mais principalmente no mês passado. "Mantém essa ideia da questão dos múltiplos, com empresas com o PL preço por ação perto de 3. Pode ser uma correção", afirma, ao referir-se ao fato de que algumas ações estão com preços atrativos.

Às 11h03, o Ibovespa subia 0,56%, aos 106.838 pontos. Petrobras tinha alta de 1,19% (PN) e Vale ON, de 2,19%.

Porém, o quadro segue incerto, diz Caio Kanaan Eboli, sócio e diretor operacional da mesa proprietária Axia Investing. "A inflação está estourando no mundo e alguns bancos centrais não fazendo nada BCE. Isso pode esfriar o mercado", afirma.

"Difícil pensar que apenas um papel consiga levantar o mercado inteiro", acrescenta, ao referir-se principalmente à aprovação do processo de privatização da Eletrobras, cujas ações sobem acima de 2,5%. Para Eboli, o fato de o Brasil ter saído na frente em relação à alta de juros deixa-o em estado um pouco menos desconfortável. "Isso ajuda a não perder tanto fluxo."

Apesar das incertezas em relação aos efeitos da China sobre a economia mundial, os papéis ligados ao minério de ferro, que subiu hoje por lá, em recuperação, sobem, ajudando o Ibovespa.

Contudo, a notícia de adoção de medidas restritivas em alguns territórios chineses para conter a covid-19 e lucros abaixo do esperado de grandes varejistas dos Estados Unidos realimentam as preocupações com inflação e, ao mesmo tempo, com o desaquecimento mundial. A possibilidade de uma estagflação pressiona ainda mais os bancos centrais a agirem de maneira agressiva na condução das suas políticas monetárias ou comecem a agir, caso do Banco Central Europeu (BCE).

Ainda sem subir juros, dirigentes do BCE vêm aparentemente preparando o terreno para que a instituição comece a elevá-los a partir de julho, após a conclusão do programa de compras de ativos prevista para o início do terceiro trimestre. Na ata do BCE divulgada hoje, os membros amplamente expressaram preocupação com a inflação elevada. "Alguns dirigentes julgaram importante agir sem atraso indevido", cita o documento.

A maioria das bolsas americanas caem e, na Europa, o recuo supera 1% em quase todos os índices.

O comportamento dos mercados reflete basicamente a preocupação com o crescimento global, afirma o economista-chefe do BV, Roberto Padovani. "Neste sentido, os sinais do Fed Federal Reserve, banco central dos EUA de mais altas juros pioram o quadro. Além disso, os balanços corporativos estão vindo mais fracos e aumentaram as duvidas sobre a reabertura da economia", avalia em comentário matinal a clientes e à imprensa.

Como reforça a MCM Consultores, alertas de grandes empresas americanas do setor de consumo de que seus lucros poderão ser menores, por conta das pressões de custos, continuam a ter impacto negativo sobre os preços das ações e commodities.

Ontem, o Ibovespa fechou em baixa de 2,34%, aos 106.247,15 pontos, interrompendo cinco pregões seguidos de valorização. Com isso, voltou a acumular perda no mês. Agora, é de -1,09%. O temor no mercado é que o indicador desça ainda mais, perdendo a importante marca psicológica dos 103 mil pontos e em seguida, a dos 100 mil pontos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;