Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Alesp aprova reforma administrativa com bônus por desempenho dos servidores



19/10/2021 | 23:01


A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo aprovou, na noite desta terça-feira, 19, a reforma administrativa enviada pelo governador João Doria (PSDB). O texto altera a remuneração de servidores e foi alvo de protestos durante a sessão. Foram 50 votos a favor e 29 contra.

O texto institui um bônus por desempenho aos servidores. Este é um dos pontos polêmicos. Parlamentares de oposição afirmam que os termos para a concessão da bonificação são vagos e podem ser politizados dentro da administração do Estado. "A bonificação ficará a cargo dos secretários estaduais", criticou o deputado Caio França (PSB).

Governistas afirmaram ao Estadão que haveria um critério de metas para o recebimento do bônus. Porém, não foram ao plenário defender o projeto.

A reforma também cria a Corregedoria-Geral do Estado, que será vinculada ao governador e receberá o auxílio da Procuradoria-Geral do Estado. A corregedoria teria a mesma função da CGU, a de fiscalizar contratos do governo e investigar possíveis irregularidades.

Deputados de oposição disseram que o órgão pode ser usado como um instrumento de "perseguição" dentro do governo. "A controladoria, que será aprovada, nós vamos assistir a uma verdadeira caça às bruxas dentro do nosso serviço público", afirmou a deputada Valéria Bolsonaro (PRTB).

Outro ponto controverso do texto é que prevê o fim das faltas abonadas para professores da rede estadual. Durante a sessão, somente deputados contrários ao projeto tomaram os microfones.

"Um projeto desse é uma ofensa ao PM. Aos professores. Quem vota a favor de um projeto desses teve na vida um professor?", afirmou o deputado Campos Machado (Avante).

A votação ocorreu em meio a protestos de servidores estaduais em frente à Alesp. Membros dos sindicatos também ocuparam as galerias da Casa e vaiaram deputados da base.

Tramitação

O projeto foi enviado em agosto pelo governador ao Legislativo, e não passou por comissões. Oposicionistas, como a líder do PT, professora Bebel, afirmaram que esta foi uma manobra do governo para acelerar a aprovação da pauta sem transparência e debate público. Antes da votação, a petista apresentou uma questão de ordem para que o projeto fosse retirado de pauta e voltasse às comissões, mas o requerimento não foi aceito.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;