Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Faisa terá orçamento próprio; Paço estima R$ 17 mi com modelo

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Montante se refere à estrutura para exercício de 2022, primeiro ano de vigência, projetado no PPA de investimentos da Prefeitura de Sto.André


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

26/09/2021 | 00:01


A Prefeitura de Santo André, comandada por Paulo Serra (PSDB), prevê despender, ao menos, valor aproximado de R$ 16,8 milhões com a reformulação do modelo da Faisa (Fundação de Assistência à Infância de Santo André), que passará a se chamar Fundação de Assistência Integral à Saúde com a mudança do escopo. O montante se refere à nova estrutura arquitetada a partir do exercício de 2022, primeiro ano de vigência na prática, projetado no PPA (Plano Plurianual) de investimento para o período dos próximos quatro anos – documento em trâmite na Câmara, sem previsão de votação.

Deste total estimado, a fatia de R$ 13,3 milhões estaria vinculada diretamente ao pagamento de pessoal. Na descrição há menção ainda em desembolsar R$ 2,08 milhões com manutenção dos serviços. O demonstrativo não apresenta, contudo, previsão com possíveis contratos atrelados ao setor da saúde – a iniciativa do governo tucano é fazer espécie de refundação do órgão, criando outro molde de instituição, com a proposta de transformá-la em estrutura mais robusta de gestão de saúde pública. Em suma, a ideia integra municipalizar parte dos serviços prestados. 

O governo tucano publicou texto da lei na edição de terça-feira do Diário Oficial. “Enquanto não for firmado o primeiro contrato de gestão entre a Faisa e a Secretaria de Saúde, o Poder Executivo definirá dotação orçamentária para o custeio de suas despesas mensais, mediante plano de aplicação, não caracterizando essa exceção relação de dependência orçamentária da Faisa. Após a efetiva criação e implantação da Faisa, o prazo máximo para celebração do primeiro contrato de gestão será definido por meio de decreto municipal”, diz trecho da legislação. “Não é dependente do orçamento municipal, devendo aprovar seu próprio orçamento, de acordo com os contratos que firmar, em especial, com a Secretaria de Saúde.”

Na sequência dos exercícios, o orçamento da Faisa registrado no PPA indica custeio de R$ 17,5 milhões em 2024, último ano de mandato de Paulo Serra. O documento aponta que o objetivo da nova fundação, que irá entrar em fase de transição, será “garantir atendimento da rede básica comprometido com o projeto terapêutico e cuidados com a saúde”, tendo como justificativa a “necessidade de manter os serviços nas áreas administrativas e atenção básica”. Além de abranger a denominação, a alteração prevista na lei envolve a natureza jurídica e as suas competências.

Ao Diário, o secretário de Saúde de Santo André, Márcio Chaves, já pontuou, recentemente, que o plano do governo engloba integrar a pasta, a futura Faisa e a FUABC (Fundação do ABC), que hoje possui contratos vultosos para gerir equipamentos de saúde na cidade. Em julho, o Paço estendeu por até 180 dias o contrato emergencial com a FUABC, no valor global de R$ 153,9 milhões, incluindo gastos com os equipamentos regulares de saúde e os destinados à Covid-19. Foi o terceiro termo emergencial consecutivo. O administração municipal abriu novo chamamento público para contratação de OSS (Organização Social de Saúde), exigência apontada pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado).

A Prefeitura sintetizou que, a partir da publicação da lei, o município terá 180 dias para instituir a Faisa e criar o estatuto. “Sendo assim, as informações (detalhadas em relação à sua estrutura) serão fornecidas em momento oportuno.”



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;