Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 30 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Prefeitura de SP quer parceiro privado para batizar centro de skate



10/08/2021 | 22:00


O skate, modalidade que estreou nos Jogos de Tóquio com três medalhas para o Brasil, e outras modalidades olímpicas, como o beisebol e o ciclismo BMX, vão ganhar novos impulsos na cidade de São Paulo. A Prefeitura de São Paulo vai comercializar os naming rights de três centros esportivos, entre eles, o Centro de Esportes Radicais, localizado na Marginal Tietê, nas proximidades do Bom Retiro.

Os outros dois centros que também poderão ter novos nomes são o Centro Esportivo Brasil Japão, local ideal para a prática do beisebol, BMX e sumô e localizado também nas proximidades da marginal do Tietê, além do Centro Esportivo e de Lazer Modelódromo do Ibirapuera, zona sul da cidade.

A cessão dos naming rights significa conceder o direito de nomear um bem, um local ou uma atividade com uma marca ou produto. A grosso modo, é a nova maneira como ele será identificado oficialmente, como o Allianz Parque, estádio do Palmeiras, ou a Neo Química Arena, do Corinthians. No caso dos centros esportivos, eles vão ganhar um "sobrenome" do parceiro privado, que vai poder expor sua marca. A gestão continua sendo da prefeitura.

A consulta pública será aberta nesta quarta-feira, com prazo de 45 dias para apresentação de propostas. O edital deverá ser publicado em setembro. O valor mínimo para aquisição dos naming rights do Centro de Esportes Radicais é de R$ 1.058.200,00 por ano. O Modelódromo vale R$ 1,754.400,00. Já no Centro Esportivo Brasil-Japão, o valor é de R$ 791 mil anuais. Quem oferecer o maior valor será declarado o vencedor do processo pelo período de cinco anos. Os locais foram escolhidos em função da boa infraestrutura, da demanda da população e do interesse já manifestado pela iniciativa privada.

A 'FEBRE' DO SKATE - Com uma área de mais de 38 mil metros quadrados, o Centro de Esportes Radicais se tornou um dos destaques do projeto municipal em função do sucesso do skate na Olimpíada. A modalidade trouxe três medalhas para o País em sua estreia, com Rayssa Leal e Kelvin Hoefler na modalidade street e Pedro Barros no park. O skate já foi confirmado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) nos Jogos de Paris-2024.

O parque é o primeiro do País a abrigar um complexo com três pistas de "pump track" com níveis (rampas) para praticantes e os veteranos. O local também permite o uso de bicicleta, patins ou patinete, circuito de parkour.

O Centro Esportivo Brasil-Japão é o endereço do beisebol/softbol na cidade. Depois de estrear nos Jogos de Pequim-2008 e reaparecer em Tóquio, a modalidade não será disputada em 2024.

CONTRAPARTIDAS SOCIAIS - A iniciativa é da Secretaria Executiva de Desestatização e Parcerias, unidade vinculada à Secretaria de Governo Municipal, em parceria com a Secretaria de Esportes e Lazer. A expectativa é gerar cerca de R$ 18 milhões no período de cinco anos nos três equipamentos. O valor será destinado para o fundo voltado para políticas públicas prioritárias, como saúde e educação.

"É uma iniciativa pioneira e inovadora em que a iniciativa privada participa com uma finalidade social. A ideia não é só receber investimentos, mas também receber contrapartidas sociais", explica Tarcila Peres, secretária Executiva de Desestatização e Parcerias da Prefeitura de São Paulo.

Com as contrapartidas sociais, o investidor pode abater até 75% dos pagamentos, que são feitos mensalmente. Entre esses retornos estão as benfeitorias nas instalações dos centros esportivos, como mobiliário e itens de acessibilidade. Outra opção é a promoção de atividades de interesse coletivo de esportes, lazer e recreação gratuitas e abertas ao público em 60 dias por ano.

Outra vertente é o incentivo direto para atletas e equipes das modalidades praticadas nos locais, seja por meio de transporte e alimentação, equipamentos ou até mesmo financiamento direto. Nesta fase do projeto, 50 atletas deverão ser beneficiados com auxílio financeiro de acordo com as regras do edital. "A ideia é incentivar que o parceiro apoie essas contrapartidas sociais para que o investimento fique direto na comunidade", diz Tarcila.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;