Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 27 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Diadema descumpre ordem
judicial para entrega de fraldas

Celso Luiz/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Adolescente de 15 anos, com múltiplas deficiências, não recebe os materiais desde março; desempregada, mãe tem contado com doações


Aline Melo
Do Diário Grande ABC

19/06/2021 | 00:01


A dona de casa Maria das Dores Vidal de Meneses, 36 anos, moradora do bairro Conceição, em Diadema, aguarda há dois meses que a Prefeitura da cidade cumpra a ordem judicial que determina o fornecimento de 180 fraldas por mês ao seu filho, João Vitor Alexandre de Meneses, 15, portador de múltiplas deficiências e cadeirante. A última entrega foi realizada em março e, desde então, Maria das Dores tem dependido de doações para comprar as fraldas do adolescente.

A moradora não trabalha para poder cuidar do filho e a única renda dos dois é um BPC (Benefício de Prestação Continuada) que o adolescente recebe, no valor de um salário mínimo (R$ 1.100), mas que é consumido quase que integralmente pelo aluguel e pelas contas da casa. Maria das Dores explicou que a última vez em que conseguiu retirar as fraldas foi em 25 de março. “Quando voltei em abril me informaram que estava em falta. E, desde lá, não recebi mais”, pontuou.

Para comprar as fraldas, Maria das Dores gastaria pouco mais de R$ 200 ao mês, valor que ela não dispõe. “Tenho pedido ajuda para quem eu conheço”, afirmou. Essa não é a primeira vez que a Prefeitura de Diadema interrompe o fornecimento de fraldas. Em julho de 2020, o Diário mostrou que várias mães estavam com o mesmo problema, com atrasos de pelo menos dois meses.

Maria das Dores explicou que já entrou na Justiça pedindo a troca da marca da fralda que estava sendo fornecida, porque o produto não tem muita qualidade e seu filho precisa usar duas por vez, para evitar vazamentos. “Falei com uma assistente social que me explicou que existe problema com a empresa que fornece as fraldas, que o tamanho ‘G’ está em falta. Mas meu filho precisa, não temos como ficar sem”, reclamou.

Questionada sobre o atraso na entrega das fraldas, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Diadema se limitou a dizer que está tomando todas as medidas cabíveis junto ao fornecedor para normalizar a dispensação das fraldas no menor tempo possível. Que a Secretaria de Saúde está à disposição da família para os esclarecimentos que se fizerem necessários e, assim que o estoque do insumo estiver disponível, a família será comunicada. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;